A cada 4 minutos, uma mulher é vítima de agressão por homem no Brasil » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 24-02-2020 » Esteve na Sapucaí | Ataques de Bolsonaro aproximam governadores, diz Doria 24-02-2020 » Último Carnaval | Fontenelle desfila com febre e reclama de fantasia em despedida 24-02-2020 » Camarote CarnaUOL N1 | Sabrina mostra ferida do desfile da Gaviões e elege a rainha da folia 24-02-2020 » Desfiles na Sapucaí | Primeiros habitantes do Rio 24-02-2020 » 3ª a entrar na avenida | Stycer: Globo foge da polêmica e não fala do 'Messias de arma na mão' da Mangueira 24-02-2020 » Penúltima escola da noite | União da Ilha é prejudicada por enorme buraco e estoura o tempo 24-02-2020 » Folia para todos | 'É uma família', diz integrante do Cacique de Ramos, que desfilou tradição 24-02-2020 » Assédio ao vivo na RedeTV! | 'Medidas serão tomadas', diz Simony sobre apalpada de Dudu Camargo 24-02-2020 » Camarote CarnaUOL N1 | Isis fala sobre feminismo e elege a sua rainha de bateria preferida 24-02-2020 » Carnaval de rua em SP | Foliões tomam a Faria Lima no bloco Goddy Crazy, lançado por Daniel Alves 24-02-2020 » CarnaUOL N1 é pura música | Com hit 'Sentadão', Pedro Sampaio diz que Carnaval tem sido 'experiência única' 24-02-2020 » Mais de 28 casos registrados | 'Senti a picada no ombro e fiquei agoniada', diz vítima de agulhada em Olinda 24-02-2020 » Mais do camarote | Chico Barney elege Lexa como a musa do Carnaval: 'Estrela em ascensão no Brasil' 24-02-2020 » Em plena folia de Salvador | Casal perde chance de subir em trio de Ivete após não ouvir convite 24-02-2020 » Reta final da gravidez | Dany Bananinha ganhou 12 kg e reclama de peso nas pernas 24-02-2020 » Camarote CarnaUOL N1 | Daniella Sarahyba se emocionou em conversa com Xuxa 24-02-2020 » Camarote no Rio | Anitta posa ao lado do seu suposto affair, Gabriel David 24-02-2020 » Vários tipos e modelos | Moda dos tapa-mamilos invade blocos de Carnaval pelo país 24-02-2020 » Chegou com Cintia | Pedro Scooby se emociona vendo show de Anitta em camarote 24-02-2020 » Não é só glamour | Rainha da Acadêmicos do Tatuapé mostra seio ferido após desfile
Publicidade
9 de setembro de 2019

A cada 4 minutos, uma mulher é vítima de agressão por homem no Brasil

Foto Rede Acontece

Acada quatro minutos, uma mulher é agredida por um homem no Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde, obtidos por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Apenas em 2018, foram mais de 145 mil registros de violência – física sexual, psicológica e de outros tipos – em que as vítimas sobreviveram. O resultado não engloba os casos em que houve feminicídio. É importante mencionar, também, que existe subnotificação, aquelas situações em que as agredidas não denunciam a violência, o que significa que o número é ainda maior. Entre 2014 e 2018, foram 1,4 milhões de casos registrados no país, tendo sido registrado aumento expressivo das ocorrências de violência física, psicológica e sexual, de acordo com a base de dados da pasta. A tendência de crescimento se manteve ano após ano. Os casos de violência sexual, por exemplo, tiveram aumento de 53% no período. Nesse tipo de agressão, 7 em cada 10 vítimas são crianças e adolescentes (de até 19 anos). Já os estupro coletivos, cometidos por mais de um autor, tiveram 3.837 ocorrências apenas em 2018, uma média de 11 a cada dia. Se a violência sexual atinge mais crianças e adolescentes, a agressão física tem como vítima preferencial mulheres de 20 a 39 anos (55% dos casos) e, em quase todos os casos, o agressor é uma pessoa próxima, como pai, padrasto, irmão, filho, ou, principalmente, ex ou atual marido ou namorado. Os dados levantados por órgãos de saúde, como Sinan, tendem a ser mais confiáveis que os de sistemas de segurança, alimentado pelas polícias. Isso acontece porque é alto o índice de subnotificação de casos de violência doméstica e de violência sexual, já que há casos em que as vítimas temem denunciar seus agressores. O Ministério da Justiça, que agrega informações policiais, chega a registrar o dobro de casos de estupro que o Ministério da Saúde em 2018, em razão de alguns estados enviarem à pasta pasta da saúde apenas os dados de atendimentos em hospitais públicos, enquanto outros incluem atendimentos na rede privada.


Tags:
VOLTAR