A cada 4 minutos, uma mulher é vítima de agressão por homem no Brasil » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 04-07-2020 » 'Estou até sextando' | Gloria Maria celebra recuperação após se tratar 04-07-2020 » Vídeo com Bia Doria | Após polêmica, Val Marchiori dá comida a moradores de rua 04-07-2020 » 'Pobre', mas conectado | GM volta atrás e põe internet 4G até nos primeiros Tracker PCD 04-07-2020 » Aos 96 anos | Morre Leonardo Villar, ator que eternizou Zé do Burro no cinema 04-07-2020 » Entrevista | Cleo: 'Nicho sexual' serve para tentar desvalorizar conquistas 04-07-2020 » Odiava iogurte | 'Filho de Malvino' em Fina Estampa explica por que saiu da TV 04-07-2020 » Sociedade civil | Entidades promovem virada pela democracia nas redes sociais 04-07-2020 » Lívia está bem | Polícia alemã acha estudante brasileira que estava desaparecida 04-07-2020 » Ricardo Feltrin | Empresa ajuda cliente a ser indenizado por serviço ruim na TV paga 04-07-2020 » Diferentes versões | Bolinho de chuva é delícia do café da tarde; aprenda 10 diferentes receitas 04-07-2020 » Estourou na 2ª temporada | 'A Ordem': saiba por que vale a pena começar a assistir à série da Netflix 04-07-2020 » Fórmula 1 | Bottas supera Hamilton e vai sair na frente no GP da Áustria; veja grid 04-07-2020 » Futebol na televisão | Com rescisão do Carioca, Globo permite redução de Estaduais em 2022 04-07-2020 » É real ou fake? | Vídeo de ave 'pescando' tubarão viraliza; veja 04-07-2020 » 'Trabalho é trabalho' | Atacada após clipe com Ludmilla, sósia de Anitta se manifesta 04-07-2020 » Passou nua correndo | Mulher de Fábio Porchat 'invade' live com Boulos; veja 04-07-2020 » Isolados no RJ | Saiba quanto custa a casa que Grazi e Caio alugaram em Angra 04-07-2020 » 'Nunca discutimos' | Leonardo explica rompimento de parceria com E. Costa 04-07-2020 » Namoro confirmado | 'Nos conhecemos por amigos', diz Paloma Tocci sobre Rubinho 04-07-2020 » Caso das 'rachadinhas' | 'Queiroz odiava falar do governo Bolsonaro', diz dono de loja em Atibaia
Publicidade
9 de setembro de 2019

A cada 4 minutos, uma mulher é vítima de agressão por homem no Brasil

Foto Rede Acontece

Acada quatro minutos, uma mulher é agredida por um homem no Brasil. Os dados são do Ministério da Saúde, obtidos por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Apenas em 2018, foram mais de 145 mil registros de violência – física sexual, psicológica e de outros tipos – em que as vítimas sobreviveram. O resultado não engloba os casos em que houve feminicídio. É importante mencionar, também, que existe subnotificação, aquelas situações em que as agredidas não denunciam a violência, o que significa que o número é ainda maior. Entre 2014 e 2018, foram 1,4 milhões de casos registrados no país, tendo sido registrado aumento expressivo das ocorrências de violência física, psicológica e sexual, de acordo com a base de dados da pasta. A tendência de crescimento se manteve ano após ano. Os casos de violência sexual, por exemplo, tiveram aumento de 53% no período. Nesse tipo de agressão, 7 em cada 10 vítimas são crianças e adolescentes (de até 19 anos). Já os estupro coletivos, cometidos por mais de um autor, tiveram 3.837 ocorrências apenas em 2018, uma média de 11 a cada dia. Se a violência sexual atinge mais crianças e adolescentes, a agressão física tem como vítima preferencial mulheres de 20 a 39 anos (55% dos casos) e, em quase todos os casos, o agressor é uma pessoa próxima, como pai, padrasto, irmão, filho, ou, principalmente, ex ou atual marido ou namorado. Os dados levantados por órgãos de saúde, como Sinan, tendem a ser mais confiáveis que os de sistemas de segurança, alimentado pelas polícias. Isso acontece porque é alto o índice de subnotificação de casos de violência doméstica e de violência sexual, já que há casos em que as vítimas temem denunciar seus agressores. O Ministério da Justiça, que agrega informações policiais, chega a registrar o dobro de casos de estupro que o Ministério da Saúde em 2018, em razão de alguns estados enviarem à pasta pasta da saúde apenas os dados de atendimentos em hospitais públicos, enquanto outros incluem atendimentos na rede privada.


Tags:
VOLTAR