‘A intenção dele sempre foi puxar Brumado para baixo’, afirma secretário de Saúde sobre as declarações de vereador oposicionista » Rede Acontece
Últimas
21-10-2018 » Só começa dia 4/11 | Celular mudou para o horário de verão sozinho? Saiba ajustar 21-10-2018 » Em 200 cidades | Manifestantes fazem atos hoje contra o PT e a favor de Bolsonaro 21-10-2018 » 2º turno em SP | França e Doria focam Lula e Bolsonaro em debates 21-10-2018 » 2º turno em MG | Verba de Zema cresce 318%; R$ 600 mil não têm origem declarada 21-10-2018 » Brasileirão | Corinthians enfrenta Vitória e tabu no 1º duelo direto na luta contra queda 21-10-2018 » Sucesso dos anos 90 | Depressão e budismo: a volta por cima de Deborah Blando 21-10-2018 » Mundial de surfe | Atrás do bi, Medina vai à 'final' na mesma situação de 1º título 21-10-2018 » Mais Brasileiro | SP ficou no jejum, mas teve gols na rodada de sábado; veja todos 21-10-2018 » Grávida de oito meses | Sabrina Sato revela em programa o nome da 1ª filha com Duda Nagle 21-10-2018 » Só 3.500 unidades | Renault Sandero 1.0 ganha série limitada GT Line por R$ 47.990 21-10-2018 » Semana decisiva antes das urnas | O que pensam eleitores em dúvida entre Haddad, Bolsonaro e voto nulo 21-10-2018 » 3 anos depois do surto | Mães de crianças com zika enfrentam dificuldade financeira e abandono 21-10-2018 » Advertência por 'transação comercial' | Nos anos 80, Bolsonaro vendia bolsas feitas de paraquedas do quartel 21-10-2018 » Disparo de mensagens | Relator de ação contra Bolsonaro tem fama de 'durão' e decisões contra PT 21-10-2018 » Eleições e economia | Privatizar estatais reduz dívida, mas não barra corrupção nem baixa preço 21-10-2018 » Região decisiva no 1º turno | Presidenciáveis jogam com o medo por voto do interior do Nordeste
Publicidade
12 de junho de 2018

‘A intenção dele sempre foi puxar Brumado para baixo’, afirma secretário de Saúde sobre as declarações de vereador oposicionista

Foto Rede Acontece

Crítico ferrenho da atual administração, sendo considerada hoje a “voz solitária” da oposição, o vereador Zé Ribeiro voltou a fazer questionamentos quanto à área de saúde municipal, os quais não deixaram de ter um posicionamento de esclarecimento do secretário municipal da pasta, Claudio Feres. Num tom mais agudo, ele asseverou que “infelizmente esse vereador que sempre puxou Brumado para baixo, mais uma vez, mostra que não conhece seu município e acaba, por falta deste conhecimento, falando o que não sabe. Da mesma forma que foi contra a implantação do serviço de hemodiálise agora vem questionar o serviço de saúde municipal sem conhecimento dos fatos”. E deu continuidade argumentando que “a saúde sempre foi e será uma das prioridades da administração, tanto que em 01 ano e meio de gestão já ampliamos a atenção básica do município em mais três equipes, implantamos o programa Melhor em Casa (atendimento de pacientes que podem ficar internados no conforto do lar). Atualmente estamos acompanhando 30 pacientes e temos potencial para 60, ampliamos a oferta de cirurgias eletivas, chegando a quase 200 cirurgias mês e zerando a fila de espera de cirurgia geral, ortopédica, urológica, plástica etc… Implantamos 20 leitos de UTI adulto e neonatal, assumindo 40% dos custos das UTIs que atendem a região de saúde e ajudamos a zerar a fila de espera da central de leitos de Vitória da Conquista, que regula os leitos de UTI da região”. E num tom ainda mais otimista citou que “em 2018 chegamos a marca de 32% de investimentos com recursos próprios em saúde, superando a média nacional que é 22,5%, está aí a prova incontestável do nosso compromisso com a saúde pública. Realmente a nossa UTI ainda carece de retaguarda de neurocirurgião, mas já solicitamos um credenciamento junto à SESAB para implantação de neurocirurgia no HMPMN, infelizmente foi negado, mas não iremos desistir”. E finalizou narrando que “ao invés de denegrir a imagem da saúde do município, o vereador deveria procurar saber ou até mesmo buscar apoio com seu deputado para o credenciamento da neurocirurgia para Brumado. Por fim o projeto Glaucoma, não somos nos os responsáveis pela desassistência, o Ministério da Saúde fez um corte significativo no programa e não definiu como ficaria o atendimento, atualmente acompanhamos 4800 pacientes e o recurso dá apenas para tratar 1600, portanto nosso problema não é um novo credenciamento e sim uma revisão do teto para os cinco estados do Nordeste (Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Bahia e Alagoas) afetados com o corte. A OMS diz que 2 % da população tem glaucoma, a população afrodescendente tem maior propensão à doença, a região Nordeste tem uma população negra maior que a sul e sudeste, não podemos tratar igual regiões com características diferentes. Essa decisão do retorno do glaucoma não é uma decisão da secretaria de saúde de Brumado, esse recurso é dos 21 municípios pactuados e estamos lutando junto ao COSEMS e CONASEMS para rever essa situação com o MS. Então, para concluir, esse que se diz defender os interesses do povo nunca nos procura para que possamos esclarecer as dúvidas, ele prefere criticar, pois é o caminho mais fácil”.


VOLTAR