Ações do Facebook se recuperam após escândalo e batem recorde » Rede Acontece
Últimas
17-02-2019 » Acidente matou Boechat | Mãe de piloto de helicóptero morre três dias depois do filho 17-02-2019 » Crise no Planalto | Bolsonaro já assinou saída de Bebianno, dizem interlocutores 17-02-2019 » E o coração aguenta? | Maiara e Maraisa lavam alma sertaneja com sofrência e Jenifer no festival 17-02-2019 » Chegou chegando | Ludmilla põe público do CarnaUOL para rebolar e dançar até o chão com funk 17-02-2019 » Chicleeeeete! | Show de Bell Marques faz evento tremer com sucessos da BA 17-02-2019 » Primeira atração | Abertura do CarnaUOL tem clima de micareta com a Banda Eva 17-02-2019 » De olho nos ponteiros | Horário de verão no Brasil terminou; atrase relógio em 1 hora 17-02-2019 » 1ª negra na posição | Maju estreia na bancada do JN com elogios e improviso 17-02-2019 » Deslizamento em Mauá | Bombeiros buscam por 2 crianças soterradas na Grande São Paulo 17-02-2019 » Taça Guanabara | Justiça determina final com portões fechados após pedido do Flu 17-02-2019 » Papo com Mazzafera | No CarnaUOL, Ludmilla diz que nunca transou em 1º encontro: 'Sou careta' 17-02-2019 » Um ano após tiroteio nos EUA | Alunos, pais, policiais e professores falam sobre tragédia em Parkland 17-02-2019 » Destaque do CarnaUOL | Mariana Xavier conta a Mazzafera qual foi a pior cantada que já ouviu 17-02-2019 » Em São Paulo | CarnaUOL vibra com eletrônico de Alok 17-02-2019 » Bombeiros, Defesa Civil e PM já atuam | Moradores de Nova Lima (MG) deixam casas por risco em barragem
Publicidade
20 de junho de 2018

Ações do Facebook se recuperam após escândalo e batem recorde

Imagem Reprodução

As ações do Facebook se recuperaram das perdas registradas após o estouro do escândalo da Cambridge Analytica e se aproximam do patamar de US$ 200 nesta semana. O Facebook abriu capital e passou a ser listado na Bolsa de Nova York em 2012. Na segunda-feira, os papéis da companhia fecharam na máxima histórica de US$ 198,31, mas cederam para US$ 197,49 nesta terça – o dia foi de perdas nos principais mercados de risco do mundo, com o agravamento da tensão comercial entre Estados Unidos e China.

O recorde alcançado apenas três meses após a revelação de que dados pessoais de milhões de usuários da rede social foram utilizados pela consultoria Cambridge Analytica para interferir nas eleições americanas de 2016 contraria todos os prognósticos apocalípticos feitos.

À época, especialistas disseram que o Facebook precisaria mudar seu modelo de negócio, baseado na venda de publicidade direcionada aos usuários da rede, e grandes investidores pediram mudanças no comando da companhia.

Fundador do Facebook, Mark Zuckerberg acumula os postos de presidente executivo e presidente do conselho de administração da empresa. A recuperação das ações do Facebook não é, no entanto, um movimento isolado: os papéis das gigantes de tecnologia americanas Amazon, Apple, Google e Netflix também vêm batendo recordes de alta nos últimos pregões.


VOLTAR