Atos exaltam Moro e Guedes, pais de reformas do governo, e criticam Maia e centrão » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 18-02-2020 » Professor filmava alunas, diz polícia | Preso gravava genitálias de meninas de 10 anos em colégio de elite de SP 18-02-2020 » Falou sobre crenças | 'Deus é uma invenção do homem', declara Gilberto Gil 18-02-2020 » Mauricio Stycer | Em busca de 'equilíbrio na internet', Mion enfrenta Google 18-02-2020 » Acusa de ameaças | Namorada do goleiro Jean processa ex do atleta por R$ 500 mil 18-02-2020 » Lamborghini alagada | Conserto será mais caro que o de batida de Rubinho 18-02-2020 » Na Bahia | Lorena Improta sairá disfarçada em bloco do ex, Leo Santana 18-02-2020 » Outras prioridades | Miss Bumbum diz por que nunca vai desfilar em escola de samba 18-02-2020 » Educação | MEC vai gastar R$ 20 mi para avaliar fluência de leitura de aluno de 2º ano 18-02-2020 » Filha e namorada estão presas | Acusados de matar família no ABC eram vizinhos; roubo era objetivo inicial 18-02-2020 » Preço do frete | Líder da greve de 2018 pede que caminhoneiros não trabalhem nesta 4ª 18-02-2020 » Veja cena exclusiva | Regina Casé mostra jeitinho brasileiro em "Três Verões" 18-02-2020 » Privacidade | Ex-executivo da Amazon diz que desliga Alexa para conversar 18-02-2020 » B3, IPO, HB e mais | Conheça as siglas do mercado para perder o medo e poder investir 18-02-2020 » Veja finalistas | Série Primeiro Cartel da Capital vence o Grande Prêmio UOL 18-02-2020 » Dono é taxista | Etios 'imortal' roda mais de 1 milhão de km e até trava o odômetro 18-02-2020 » Caso ocorreu em 2013 | Globo é condenada a indenizar vítima de pegadinha no Caldeirão 18-02-2020 » No Cidade Alerta | Luiz Bacci revela ao vivo a uma mãe que a filha foi assassinada 18-02-2020 » Acordo está próximo | Como Felipe Neto e Adnet ajudarão Bota a trazer Yaya Touré 18-02-2020 » Câmbio | Dólar emenda 2ª alta e fecha a R$ 4,358, um novo recorde nominal 18-02-2020 » Campeonato português | Polícia identifica torcedores racistas que ofenderam Marega
Publicidade
27 de maio de 2019

Atos exaltam Moro e Guedes, pais de reformas do governo, e criticam Maia e centrão

Foto André Avila

Com a direita rachada, as manifestações pró-governo Bolsonaro realizadas neste domingo (26) pelo país exaltaram projetos encampados pelos ministros Sergio Moro (Justiça) e Paulo Guedes (Economia) e centraram críticas não só no centrão, alvo já esperado, como no presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Os atos foram impulsionados pelo próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL), que, apesar das recomendações de integrantes do governo para que mantivesse distanciamento, estimulou a mobilização ao espalhar imagens em redes sociais e dizer que ela era um “recado àqueles que teimam com velhas práticas”. Ao levar milhares de pessoas às ruas em ao menos 140 cidades, as manifestações superaram a expectativa de aliados do governo devido ao racha de grupos de direita e ao temor de fracasso. Elas não chegaram a lotar os principais pontos de encontro, como a avenida Paulista, em São Paulo, mas não ficaram muito distantes dos atos do último dia 15 contra bloqueios de recursos da educação pelo governo Bolsonaro, quando houve mobilizações em ao menos 170 cidades. Em Brasília, congressistas destacaram que Bolsonaro deu demonstração de força em algumas cidades de Sudeste e Sul, mas que, no geral, as mobilizações foram aquém dos protestos anti-governo. As aglomerações deste domingo também não chegaram perto dos principais atos políticos dos últimos anos, como os que antecederam o impeachment de Dilma Rousseff (PT). Principalmente em São Paulo, a mobilização pró-reformas teve mais destaque do que a defesa do próprio presidente Bolsonaro. As reivindicações pela reforma da Previdência, encampada pelo ministro Paulo Guedes, e do pacote anticrime, a cargo do ministro e ex-juiz federal Sergio Moro, constavam da pauta desde que os atos foram gestados. Alguns grupos, porém, também enfatizavam na época mensagens contrárias ao STF (Supremo Tribunal Federal) e chegavam a falar até em fechamento do Congresso -temas que afastaram parte dos grupos de direita e acabaram ficando em segundo plano nos principais atos deste domingo. Parte da bancada do próprio PSL chegou a se opor à mobilização devido às reivindicações dispersas e temor que ela insufle a crise política enfrentada do governo para conseguir avançar com suas pautas no Congresso.


VOLTAR