Autoridades sanitárias dos EUA pedem medidas preventivas perante zika vírus » Rede Acontece
Últimas
17-01-2019 » Inseparáveis | Por que você vai ouvir falar muito de Arielle, a coreógrafa da Anitta 17-01-2019 » Bem além da passarela | 5 lutas compradas por Gisele que a tornaram mais do que modelo 17-01-2019 » Discurso nos EUA; veja | Bolsonaro elogiado por Trump? No contexto, talvez não seja assim 17-01-2019 » Deputada e socialista | Por que Ocasio-Cortez é a mulher mais importante dos EUA? 17-01-2019 » Jack estava internada | Ginasta brasileira que defendeu seleção morre aos 17 anos 17-01-2019 » Sexo sem tabu | 'Com 16 eu tinha cama de casal', diz youtuber Dora Figueiredo 17-01-2019 » Onda de violência no estado | Governador do CE pede a Moro reforço em segurança por reação de facções 17-01-2019 » Grito de carnaval da cidade | Shows do CarnaUOL serão em frente ao sambódromo de SP; veja atrações 17-01-2019 » Mercado financeiro | Bolsa sobe e fecha acima de 95 mil pontos pela 1ª vez; Taurus salta 14% 17-01-2019 » Brecha na segurança | Vazamento na web atinge 800 milhões de e-mails e senhas; veja se foi afetado 17-01-2019 » Educação | Economista que chamou docentes de manipuladores será coordenador do Enem 17-01-2019 » Reforma da previdência | Governo quer restringir acúmulo de pensão com aposentadoria 17-01-2019 » No Fórum de Davos, na Suíça | Guedes apresentará privatizações e Previdência como vitrines do Brasil 17-01-2019 » Senador eleito pelo PSL | MP do Rio usa Coaf como 'atalho' para burlar Justiça, diz Flávio Bolsonaro 17-01-2019 » Liminar parou investigação de Queiroz | Flávio Bolsonaro alega ter foro e pede anulação de provas do Coaf no STF 17-01-2019 » Normal ou cesariana? | Como disputas ideológicas no Brasil chegaram ao parto 17-01-2019 » UOL Líderes | País não sobreviverá sem reformas, diz vice da Microsoft América Latina 17-01-2019 » Celular, isqueiro, cabo USB... | Preso tenta voltar para a cadeia com 62 objetos no estômago em SC
Publicidade
22 de janeiro de 2016

Autoridades sanitárias dos EUA pedem medidas preventivas perante zika vírus

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Autoridades sanitárias dos Estados Unidos aconselharam a população a tomar medidas preventivas perante o risco de contágio do vírus de zika, especialmente as mulheres grávidas, enquanto é investigado o possível vínculo da doença com o nascimento de bebês com microcefalia. “Até que se tenha mais informação, como precaução, estamos recomendando que todas as mulheres grávidas e as que estão tentando engravidar não viagem às áreas afetadas e as que vivem nas áreas afetadas, que tomem medidas especiais”, disse à Agência Efe Diana Valencia, cientista do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. Em 2015, o Brasil reportou um surto significativo do vírus e a possível associação com uma infecção durante a gravidez, que teria afetado bebês que nasceram com microcefalia, de acordo com o especialista, que no entanto afirma que ainda é necessário realizar mais pesquisas para esclarecer o vínculo. Os especialistas do CDC trabalham atualmente em coordenação com outras agências de saúde para definir o caminho a seguir quanto à pesquisa, diagnóstico, tratamento, vacinas e campanhas informativas.O especialista explicou que por enquanto a prevenção é a única forma de evitar o contágio e as consequências da doença porque não existe uma vacina e nem um tratamento específico para tratá-la. “Não existe vacina e nem tratamento específico para o zika, a única alternativa é se concentrar em tratar os sintomas e que visitem o médico, sobretudo se estiverem grávidas para poder fazer o exame de detecção e dar seguimento à gravidez”, disse. O CDC emitiu nesta semana novas diretrizes com relação ao diagnóstico do vírus, entre as quais recomenda realizar o exame de detecção de zika em mulheres grávidas que tenham viajado às zonas afetadas e apresentem os sintomas da doença. Esta nova diretriz se soma ao alerta feito na semana passada pelo CDC, que adverte sobre o risco de viajar para 14 países da América Latina e o Caribe onde foram registrados contágios do vírus, com ênfase nas mulheres grávidas. Os territórios incluídos no alerta são Brasil, Colômbia, El Salvador, à Guiana Francesa, Martinica, Guatemala, Haiti, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Suriname, Venezuela e Porto Rico. Até agora, nos Estados Unidos só foram registrados casos importantes no Texas, Flórida e Illinois.


Tags:
VOLTAR