Azul oferece U$$ 145 milhões para comprar parte da Avianca » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 03-06-2020 » Caso gerou atos nos EUA | Outros 3 ex-policiais serão acusados pela morte de Floyd 03-06-2020 » Futebol | Barcelona reforça foco em Neymar mesmo com corte de agente brasileiro 03-06-2020 » Bahia | Polícia interrompe culto evangélico e festas da pandemia 03-06-2020 » Nina Lemos | Antifas e antifascistas: quem são? Vieram de onde? Por que lutam? 03-06-2020 » Alexandra Loras | Quem é a jornalista que expôs Waack ao vivo por caso de racismo 03-06-2020 » Muita bateria | Xiaomi: novos celulares de linha 'sucesso' custarão até R$ 4.199 03-06-2020 » Rede de restaurantes | Coco Bambu encerra suspensão de contrato e demite 20% da equipe 03-06-2020 » Ainda é secretária | Cargo de Regina Duarte na Cinemateca já está descartado 03-06-2020 » Assista | Campanha homofóbica de aliado de Putin gera polêmica na Rússia 03-06-2020 » Caso em 2007 | Prisioneiro alemão vira suspeito pelo sumiço de Madeleine McCann 03-06-2020 » Um (novo) adeus para Karev | Desfecho de um dos personagens mais populares de 'Grey's Anatomy' desagradou fãs e originou fanfics 03-06-2020 » Nossa | Casal Rueda leva comida afetiva da família para novo serviço de delivery 03-06-2020 » Conheça Valéria dos Santos | 'É um grito de quem o filho levou uma chibatada, um grito da senzala' 03-06-2020 » No sul do México | Achado o mais antigo e grandioso monumento da civilização maia 03-06-2020 » Josias de Souza | Governo denuncia o crime do racismo cometendo-o 03-06-2020 » Tostão | Eu e Pelé nos entendíamos cada vez melhor 03-06-2020 » Ruy Castro | O problema de governar a cavalo 03-06-2020 » Esper Kallás | Esse é um vírus que muda pouco 03-06-2020 » Maria C. Trevisan | Racismo nos EUA e atos anti-STF: o que há em comum 03-06-2020 » Juca Kfouri | E o futebol move a política outra vez
Publicidade
14 de maio de 2019

Azul oferece U$$ 145 milhões para comprar parte da Avianca

Foto Rede Acontece

A companhia aérea Azul informou na última segunda-feira (13), que protocolou na Justiça uma nova proposta para comprar parte das operações da Avianca Brasil, empresa que passa por recuperação judicial e cancelou diversos voos no último mês. Em nota, a empresa informou que requereu junto ao juízo da 1ª Vara de Falências e Recuperação Judicial de São Paulo, onde se processa a recuperação judicial da Avianca Brasil, uma autorização específica para a compra de uma “nova Unidade Produtiva Isolada (Nova UPI)”, espécie de empresa que seria criada a partir do desmembramento da Avianca, no valor mínimo de U$ 145 milhões. A proposta é maior do que a ofertada em março, quando a Azul ofereceu US$ 105 milhões para a compra de parte das operações da Avianca Brasil. A oferta da Azul prevê a compra de 21 slots (autorizações de pouso e decolagem), que a Avianca detém atualmente no Aeroporto de Congonhas; 14, no Santos Dumont, e 7 no aeroporto de Brasília. “A Azul acredita que o pedido formulado ao juízo da RJ para alienação judicial da Nova UPI confere à Avianca Brasil, seus empregados, consumidores, credores e demais interessados uma alternativa legal e legítima para viabilizar a monetização, o uso continuado de bens e a preservação de atividades, as quais correm grave risco de paralisação e rápida deterioração das atividades da companhia, no melhor interesse do mercado de aviação e todos os envolvidos”, disse a empresa em comunicado

A empresa aérea justificou o pedido de compra com o argumento de que a medida oferece uma alternativa para aumentar a competitividade na ponte aérea Rio-São Paulo. A Azul disse ainda que a proposta de nova UPI “não invalida o procedimento de alienação judicial das 7 unidades produtivas isoladas”, previstos para ser leiloados na semana passada. O leilão, que deveria ter acontecido na última terça-feira (7), foi suspenso pela Justiça de São Paulo a pedido da Swissport Brasil, empresa que atua com serviços de logística em aeroportos. A Swissport argumentou, no pedido, que a transferência de slots, prevista no plano de recuperação da Avianca, é proibida por lei. A Avianca recorreu da suspensão, defendendo a legalidade de seu plano de recuperação. “A alienação de UPIs, com a destinação dos recursos recebidos para o pagamento de credores, é inequivocamente um meio legítimo de recuperação”, disse a empresa no recurso.


VOLTAR