Bahia: Ataques a bancos têm menor média dos últimos seis anos » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 23-07-2019 » Tragédia completa 6 meses | Cruzamento de dados ajuda em buscas e resgata histórias em Brumadinho (MG) 23-07-2019 » Brasil líder de preservação? | Cientistas questionam 'guru ambiental de Bolsonaro' 23-07-2019 » Novo primeiro-ministro | Pró-Brexit, Boris Johnson é eleito e será o novo premiê do Reino Unido 23-07-2019 » Acordo Mercosul-UE | Eurodeputados desconfiam de promessas ambientais assumidas pelo Brasil 23-07-2019 » Vítima de parada cardíaca | Jornalista esportivo Juarez Soares morre aos 78 anos 23-07-2019 » Inauguração na Bahia | Após fala sobre NE, Bolsonaro diz ter sangue 'cabra da peste' na família 23-07-2019 » Nova regra de agência | Anvisa adota risco de morte como único critério para classificar agrotóxicos 23-07-2019 » Reinaldo Azevedo | A política do ódio aplicada ao meio ambiente 23-07-2019 » Costa e Silva | A atriz rotulada como 'mulata exportação' 23-07-2019 » Cecilia Machado | O FGTS é um benefício ou um custo? 23-07-2019 » Vera Iaconelli | O trabalho infantil é demérito do Estado 23-07-2019 » Lia Bock | Escolho o casamento aberto. Mas só pra mim 23-07-2019 » Flávio Ricco | Programação coloca Gazeta em situação difícil 23-07-2019 » Juca Kfouri | Um milhão nas ruas e a Terra plana 23-07-2019 » Tales Faria | Somos todos vítimas da intransigência 23-07-2019 » Marcel Rizzo | Libertadores: brasileiros temem pressão argentina 23-07-2019 » Cantuaria | A influencer não vê mais sentido em postar 23-07-2019 » Pablo Ortellado | Presidente parece se divertir com a indignação 23-07-2019 » Sakamoto | Bolsonaro parece governar um quartel 23-07-2019 » Suspeito depôs no RJ | Jovem descobre que foi dopada e vítima de estupro coletivo em vídeo na web
Publicidade
16 de abril de 2019

Bahia: Ataques a bancos têm menor média dos últimos seis anos

Foto: Alberto Maraux

De 22,2 casos por mês para 5,3. Esta foi a escala de redução dos casos de ataques a instituições financeiras, levando em conta os três primeiros meses do ano, de 2014 até 2019. Este ano tem apresentado a menor média/mês desde 2014. Ao comparar os registros de 2019 e 2018, no trimestre, a redução é de 33,3%, passando de 24 casos no ano passado para 16 este ano. A prisão 30 pessoas de quadrilhas especializadas nesta modalidade de crime e o trabalho conjunto das Polícias Civil e Militar, unidos às ações de inteligência têm contribuído para o alcance dos índices, os menores dos últimos anos. “É um trabalho árduo, minucioso e de inteligência, que precisa ser divulgado, da mesma forma que são noticiados prejuízos causados pelas ações criminosas. Porque os índices só caíram graças a muito suor dos nossos policiais, seja na repressão do dia a dia, realizado pela Polícia Militar, ou pela identificação das quadrilhas e posterior prisões, pela Polícia Civil”, comentou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Foto: Alberto Maraux

Também não esqueceu de atribuir a redução à parceria com outras forças de segurança como as polícias Federal e Rodoviária Federal, além das polícias de outros estados. Após o ano de 2014, quando a média trimestral foi de 22,2 casos, o ano de 2015 obteve o maior número de ataques, 25. Nos anos seguintes, a média entrou em constantes reduções, passando para 10 registros em 2016, 7,6 em 2017, 8% em 2018, até atingir o seu menor índice: 5,3 em 2019. A produtividade policial neste primeiro trimestre também resultou na apreensão de 13 armas com os grupos especializados, dentre elas um fuzil. Nove assaltantes também foram retirados de circulação, após entrarem em confronto direto com as unidades das polícias Militar e Civil.


VOLTAR