BC abre caminho para pessoas físicas terem conta em dólar no país » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 18-11-2019 » Meio ambiente | Desmatamento na Amazônia bate recorde e cresce 29,5% em 12 meses 18-11-2019 » San-São foi último clássico do ano | Veja desempenho dos times de SP em clássicos 18-11-2019 » Mais sobre GP do Brasil de F-1 | Segundo lugar faz francês superar 'rebaixamento' 18-11-2019 » Telefone celular | Recadastramento de pré-pagos termina hoje para 17 estados 18-11-2019 » Balanço da rodada | Empate com São Paulo garante o Santos na Libertadores 18-11-2019 » Comentarista da CNN | 'Se colocar rótulo, não prestam atenção em mim', diz Gabriela Prioli 18-11-2019 » É preciso trocar? | Notas velhas de dólar ainda valem? Veja onde é possível usar 18-11-2019 » Vestibular | Prova da Unicamp teve questão igual na Fuvest em 2018 e foi difícil 18-11-2019 » Após 14 anos | Brasil encerra jejum de vitórias no mundial de motovelocidade 18-11-2019 » Extrema-direita | Pesquisa aponta 334 células nazistas em atividade no Brasil 18-11-2019 » Lutava contra câncer | Cantor Reinaldo, o Príncipe do Pagode, morre aos 65 anos 18-11-2019 » Forças Armadas na política | Lula quer dialogar com militares ou com interlocutores deles 18-11-2019 » Flamengo | Ônibus Rio-Lima com flamenguistas não aguenta e será trocado em Rondônia 18-11-2019 » Atendimento especial | 'Mamãe, não morra': como preservar criança que vivenciou cena de violência 18-11-2019 » Vasco x Goiás, no Rio | Vascaínos que 'cantaram mais do que o Fla' terão ingresso para jogo hoje 18-11-2019 » Atacante do Palmeiras | Borja adota tom de adeus: 'Se eles acham que tenho que sair, saio' 18-11-2019 » Prêmio UOL Carros | Conheça os indicados à categoria Melhor Hatch Compacto 18-11-2019 » Festa termina em tragédia | Atirador mata quatro e fere ao menos seis pessoas na Califórnia (EUA) 18-11-2019 » Lançada em 2014 | Após colher pedaços de asteroide, sonda japonesa inicia volta à Terra 18-11-2019 » SUV 'anti-Tesla' | Ford Mustang Mach-E tem 465 cv e roda 480 km sem recarga
Publicidade
8 de outubro de 2019

BC abre caminho para pessoas físicas terem conta em dólar no país

Foto Reprodução

O governo enviou um projeto de lei à Câmara dos Deputados com objetivo de diminuir os custos das empresas e reduzir a burocracia relacionada a operações cambiais. O texto pode abrir caminho para pessoas físicas terem contas em moeda estrangeira no país. Hoje, só segmentos específicos podem ter contas em moeda estrangeira no país, como agentes autorizados a operar em câmbio, emissores de cartões de crédito de uso internacional, sociedades seguradoras e prestadores de serviços turísticos.Com o projeto de lei, o BC (Banco Central) pode gradualmente expandir a possibilidade de pessoas físicas e jurídicas serem titulares dessas contas. Mas, de acordo com os técnicos da autoridade monetária, a liberação ainda demandaria uma regulação específica. “No futuro, sob certas circunstâncias, pode ser liberado”, afirma o diretor de regulação do BC, Otávio Damaso. Isac Costa, professor do Ibmec, diz que a criação das contas com moedas estrangeiras vai atender principalmente exportadores e investidores estrangeiros que queiram aplicar no Brasil. No caso de pessoas físicas, as mais interessadas devem ser aquelas que têm parentes no exterior e precisam enviar ou receber dinheiro. “É mais uma conveniência para pessoas que detém recursos no exterior. Vai diminuir os custos desse tipo de operação”, afirma. Hoje, o envio de capital de um banco brasileiro para um estrangeiro demanda o cumprimento de um rito burocrático que exige prestação de informações como os dados do não residente e a finalidade da transação. Além disso, taxas bancárias (além do spread) oneram transação. Para Damaso, no entanto, o principal objetivo do projeto é diminuir a burocracia e tornar mais moderno o arcabouço legal sobre o tema, hoje disperso em nove leis, uma medida provisória, cinco decretos, além de 95 artigos e dispositivos. “O primeiro objetivo é a modernização da regulação cambial, pois temos dispositivos com caráter de lei em vigor desde 1920”, afirmou. De acordo com o BC, a proposta é uma etapa fundamental para viabilizar a conversibilidade do real, quando a moeda é capaz de liquidar transações financeiras livremente sem restrições ou dificuldades à compra e à venda. Segundo a entidade, o necessário para a conversibilidade plena do real já está no projeto encaminhado aos parlamentares nesta segunda-feira. Mas, também nesse caso, será necessária uma regulamentação posterior. Entre os pontos do texto, está também a liberação para que fintechs atuem de forma independente no mercado de câmbio. Hoje, essas empresas precisam estar associadas a instituições financeiras tradicionais (como bancos e corretoras) para operar no mercado. Isso, no entanto, também demandará regulamentação específica. Para o BC, entre os maiores beneficiados com o projeto de lei estão os exportadores. O projeto libera empréstimos de recursos para subsidiárias no exterior ou ainda para terceiros fora do país. A previsão é de um corte significativo nos custos com as operações cambiais, embora não haja uma estimativa oficial do quanto seria a redução. Bancos centrais estrangeiros também poderão abrir contas em reais no Brasil com o projeto. De acordo com os técnicos do BC, existia uma demanda dessas instituições para que elas possam abrir contas e aplicar em títulos brasileiros.


VOLTAR