18-12-2015

Papa faz alerta contra falsos profetas que vendem a salvação A salvação é gratuita, alerta papa

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Em comunicado durante a audiência pública nesta quarta (16) na praça São Pedro, em Roma, o papa Francisco fez um alerta aos católicos. Como todas as semanas, milhares de pessoas estavam presentes para ouvir o pontífice. “Sejam cuidadosos. Tomem cuidado com qualquer um que tente ser rápido e esperto, dizendo que vocês têm que pagar. Não! Não se paga pela salvação. Ela é gratuita”, discursou. O alerta era contra golpistas que podem tentar cobrar dos fiéis para que atravessem as “Portas Sagradas” de catedrais de todo o mundo. Esse ritual faz parte do ano do Jubileu da igreja, que iniciou semana passada e terá duração de um ano. Esse é um grande acontecimento para os cerca de 1,2 bilhão de católicos do mundo. Acredita-se que fiéis farão peregrinações ao Vaticano e a outras catedrais procurando o perdão dos seus pecados. Segundo a tradição, ao atravessar as portas dos templos que são abertas apenas durante o ano do Jubileu, os católicos passam “do pecado para a graça”. O aviso do papa ocorre poucos dias após a polícia italiana ter confiscado 3.500 pergaminhos falsos que ofereciam bênçãos do papa e eram vendidos aos peregrinos. A tradição católica do Ano Santo (ou Ano do Jubileu) teve início em 1300. A princípio, a manifestação ocorria uma vez a cada século.Aos poucos, passaram a ser decretados a cada 50 anos. Desde 1475, são realizados a cada 25, para permitir que fiéis de cada geração possam participar de pelo menos um Ano Santo. O evento pode ser anunciado pelo papa em situações de particular importância. O último ocorreu em 2000, por decreto do papa João Paulo II. O próximo estava marcado para 2025. Mas o papa, que deseja uma igreja que ‘inclua mais e julgue menos’, decretou um Jubileu extraordinário. O tema é a misericórdia, a compaixão e o perdão. Foi decretado um perdão para mulheres que já fizeram aborto. Para enfatizar que a igreja deve mostrar mais preocupação com os pobres este ano, levou a tradição para além das casas de oração. Anunciou que vai abrir uma “porta sagrada” simbólica em um abrigo de sem-teto de Roma na sexta (18)

AQUIVO ACONTECE