Bolsonaro e Haddad descartam convocar nova Constituinte » Rede Acontece
Últimas
19-10-2018 » 2º turno em SP | Por apoio a França, prefeitos saem do PSDB em São Paulo 19-10-2018 » Denúncias de eleitores | Vídeos com urna que autocompleta voto a presidente são falsos 19-10-2018 » Denúncia na campanha presidencial | Disparo de mensagens contra o PT no WhatsApp constrange o TSE 19-10-2018 » Mais eleições nas redes | Candidatos declaram gasto de R$ 3 milhões com WhatsApp 19-10-2018 » Pesquisa Datafolha | Eleitores de esquerda ampliam vantagem de Bolsonaro 19-10-2018 » Em boate de Barcelona | Após dispensar Bruna, Neymar Jr. é flagrado com ex-namorada 19-10-2018 » 'Quase híbrido' | Mercedes Classe C ficará mais caro por pegadinha do IPI 19-10-2018 » Jogadora de vôlei | 'Só está rolando reclamação porque eu sou boa', diz Tifanny 19-10-2018 » Veja quem oferece | Chave inteligente cobra até R$ 6 mil para abrir, ligar e estacionar carro 19-10-2018 » Nega briga política | Marquezine confirma fim de namoro com Neymar: "Decisão dele" 19-10-2018 » Destruiu placa de Marielle | Mais votado para Alerj quer PSL na Comissão de Direitos Humanos 19-10-2018 » Brasileirão | Corinthians liga alerta sobre rebaixamento, mas risco é tão alto? 19-10-2018 » França e Doria disputam governo | 'Crau', Bolsonaro 'coitado' e bronca do mediador: as frases do debate em SP 19-10-2018 » Previsão de chegada é 2025 | Europa e Japão lançam sua 1ª missão com a meta de explorar Mercúrio 19-10-2018 » R$ 6,7 milhões | BNDES libera verba para fazer rede de recarga de carros elétricos no país
Publicidade
9 de outubro de 2018

Bolsonaro e Haddad descartam convocar nova Constituinte

Foto Reprodução

Os presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) descartaram a possibilidade de convocarem uma nova Constituinte, caso eleitos. Ambos foram entrevistados ontem (8), primeiro dia de campanha após a definição do segundo turno, no Jornal Nacional, da TV Globo.

O petista recuou a respeito de uma proposta que consta em seu plano de governo e defende um novo processo constituinte “para a refundação democrática e o desenvolvimento do País”. Ao JN, Haddad afirmou que agora a intenção é que as reformas sejam feitas através de emendas à Constituição.

“Vamos fazer as reformas por emenda constitucional. Em primeiro lugar, a reforma tributária, que prevê a isenção de quem ganha até cinco salários mínimos. Em segundo, a reforma bancária”, disse.

Já Bolsonaro desautorizou o vice da chapa, o general Hamilton Mourão (PRTB), que recentemente defendeu a elaboração de uma nova Carta Magna por “notáveis”, sem necessidade de serem “eleitos pelo povo”.

“Quando se fala em Constituinte, não podemos admitir isso, até porque não temos autoridade para tal. Vamos ser escravos de nossa Constituição”, afirmou. O militar reformado disse, ainda, que se limitaria a defender mudanças “pontuais” na Constituição, a exemplo da redução da maioridade penal.


VOLTAR