Brumado: familiares protestam contra veredito de Júri Popular que absolveu esposa de facada e morte do marido  » Rede Acontece
Últimas
12-11-2018 » 'É um desastre absoluto' | Entrada de juízes e procuradores na política é negativa, diz historiador 12-11-2018 » Não precisa de BO nem documento | Lei do Minuto Seguinte: em caso de estupro, ela deve ser seguida à risca 12-11-2018 » Cuidado ou negligência? | Barrada pelo STF, educação de crianças em casa é defendida por pais 12-11-2018 » Deputado federal por SP | 'Se for necessário prender 100 mil, qual o problema?', diz Eduardo Bolsonaro 12-11-2018 » Líder do Brasileirão | Palmeiras usa lições de 2016 e caminha para o deca fugindo da pressão 12-11-2018 » Orçamento | Recuperar verba da ciência é desafio para Bolsonaro 12-11-2018 » São Paulo demite Aguirre | Troca de técnico gera discussão no SP; Raí defende Jardine 12-11-2018 » Futuro ministro de Bolsonaro | Moro será decisivo na escolha do PGR que vai suceder Dodge 12-11-2018 » Jogador assassinado no PR | Em áudio na manhã do crime, Daniel cita ausência de suspeito 12-11-2018 » Compra de caças da FAB | Juiz suspende depoimento de Palocci em ação contra Lula 12-11-2018 » Resistência em família | Para Iggor Cavalera, fã conservador não entende sua música 12-11-2018 » TAB - Match sob medida | Como as pessoas constroem o 'eu' para serem mais desejadas 12-11-2018 » Sarcasmo britânico | Divertida e eletrizante, Killing Eve é uma das melhores séries do ano 12-11-2018 » Bola na rede | Empates marcam rodada do Brasileirão; veja os gols do domingo 12-11-2018 » Preferência brasileira | Caoa Chery lança trinca de SUVs no Salão do Automóvel de SP 12-11-2018 » Bandeira integra o Escola sem Partido | Veto a discussão de gênero em escolas sofre derrotas na Justiça
Publicidade
5 de novembro de 2018

Brumado: familiares protestam contra veredito de Júri Popular que absolveu esposa de facada e morte do marido 

Foto Rede Acontece

Os familiares de Lucindo Ferreira Azevedo, morto com uma facada pela esposa em 2000, protestaram diante a sentença de absorvição dada pelo tribunal do juri nesta segunda-feria (05), após 18 anos dos fatos.

Foto Rede Acontece

Uma faixa pendurada na grade do fórum pedia justiça após os 18 anos da morte de Lucindo. Segundo a sobrinha da vítima, Carla ferreira, “A gente pode matar, a gente só não pode morrer, porquê quem morre perde a vida e fica o crime fica impune. Não acredito na justiça dos homens, só na de Deus”. Declarou Carla que ainda disse “Foi briga de casal, sabemos que casal tem suas divergência, mas o que levou a morte dele foi a falta de socorro, ela trancou meu tio e deixou ele morrer”.


VOLTAR