Caixa gastou quase R$ 17 milhões em evento com micareta » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 23-05-2019 » Proposta afeta o Mais Médicos | Após "atravessar" acordo do pai, Eduardo Bolsonaro recua sobre Revalida 23-05-2019 » Policial e advogada indiciados | PF conclui que houve obstrução à investigação da morte de Marielle 23-05-2019 » Jogadores brasileiros | Futebol europeu: veja quem está em alta e em baixa na temporada 23-05-2019 » Atacante lesionado | Palmeiras rescinde com Ricardo Goulart; atleta voltará para time chinês 23-05-2019 » Novidade na aviação | Nome da Embraer na aviação civil vira Boeing Brasil - Commercial 23-05-2019 » Massa de manobra? | Lobão sobre Bolsonaro: ataque a estudantes foi 'coisa de imbecil' 23-05-2019 » Briga no Rio | Lutador é preso por matar homem e publicar foto no Instagram 23-05-2019 » Promessa de Trump | EUA mudam de postura e apoiam a candidatura do Brasil à OCDE 23-05-2019 » Conheça a programação | Vem aí Universa Talks, um encontro de mulheres que transformam o mundo 23-05-2019 » Texto vai para o Senado | Acordo exclui ação de auditores, e Câmara aprova MP dos ministérios 23-05-2019 » Acordo com a Globo | Palmeiras cola em Flamengo e Corinthians em cotas de TV e se isola de SP 23-05-2019 » Faziam turismo em Santiago | Família de brasileiros mortos no Chile voltariam ao Brasil para velório 23-05-2019 » Quem fica com o Coaf | Votação que tirou Coaf de Moro abre crise no centrão; PSD é ameaçado 23-05-2019 » Risco em Barão de Cocais | Mar de lama pode atingir 10 mil pessoas em três cidades de Minas Gerais 23-05-2019 » 1,6 mi de mortes em 10 anos | Trânsito mata cinco pessoas por hora no Brasil e custa R$ 3 bilhões ao SUS 23-05-2019 » 'Você é boa na pistola' | Repórter conta o que fez e ouviu para obter posse de arma em 74 dias 23-05-2019 » Cresceu 20 vezes em 10 anos | Energia eólica já é 10% da matriz nacional; veja estados que lideram 23-05-2019 » Ex-zagueiro fala de títulos e polêmicas | Lúcio sobre narração de Galvão na Copa de 2002: 'Totalmente equivocado' 23-05-2019 » Marcio Atalla | 10 dicas para quem já corre ou vai começar 23-05-2019 » Clóvis Rossi | Não fugiu da raia: Cristina Kirchner grita truco
Publicidade
INTERSORFT 100 MEGA
corretora de seguros
8 de junho de 2018

Caixa gastou quase R$ 17 milhões em evento com micareta

Foto Rede Acontece

A Caixa gastou R$ 16,6 milhões para reunir, em maio, 6.000 funcionários no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Encerrado com um micareta do cantor Saulo (ex-banda Eva) e apresentado por artistas de novelas da Globo, o evento foi montado para divulgar as metas da instituição em 2018, algumas bastante austeras: corte de R$ 2,5 bilhões em custos e fechamento de cem agências.

Como noticiou a Folha de S.Paulo, o banco levou para a capital federal seus gestores nos 26 estados e os vestiu com a “camiseta 9 da Seleção Caixa”, em alusão à Copa e ao lucro operacional líquido de R$ 9 bilhões, almejado para este ano. Para isso, pagou R$ 6,5 milhões por 5.716 passagens aéreas de ida e volta.

Como o evento começou de manhã se estendeu pela noite de 16 de maio, uma quarta, foi necessário pagar R$ 2 milhões por 5.868 diárias de hotel.

Comida e bebidas servidas no estádio consumiram mais R$ 1 milhão. Outros R$ 6,5 milhões foram destinados à montagem da estrutura e à organização do evento, batizado de “Seleção Caixa: em campo pelo Brasil”.

Receberam convites diretores, superintendentes, gestores, gerentes-gerais e de filiais da Caixa, o que motivou um protesto de funcionários de menor escalão do lado de fora. Do lado de dentro, os convidados assistiram a uma palestra motivacional do ex-jogador Cafu que custou R$ 78 mil. A Caixa afirmou à reportagem que ele foi chamado para “instigar os participantes sobre o prazer de ser um vencedor”.

O evento teve como mestres de cerimônia os atores Bruno de Lucca e Luiggi Barricelli, além da apresentadora Renata Fan, cujas participações custaram, respectivamente, R$ 65 mil, R$ 60 mil e R$ 50 mil. A reportagem obteve o detalhamento das despesas por meio da Lei de Acesso à Informação. Na época do evento, a Caixa não forneceu os dados.

O banco não informou quanto pagou pelo show de Saulo, que subiu ao palco por volta das 20h e mesclou sucessos do axé com versos clássicos da música brasileira, a exemplo de “Viver e não Ter a Vergonha de Ser Feliz”, de Gonzaguinha. Justificou que o cachê do cantor foi bancado pela Elo Cartões, da qual é acionista -a Elo não se pronunciou.

Os convidados eram quase 100% dos quadros da Caixa, mas houve exceções. Foram chamados o presidente do BB, Paulo Caffarelli, e outros dois dirigentes da instituição; o governador do DF, Rodrigo Rollemberg (PSB), fora três ministros de Temer: Eduardo Guardia (Fazenda), Esteves Colnago (Planejamento) e Joaquim Lima (Secretaria-Geral da Presidência).

A Caixa afirmou que o evento foi uma “reunião de trabalho” para apresentar aos gestores “novos desafios e valorizar a participação estratégica de cada um na construção dos resultados.” “O Conselho Diretor da Caixa demandou e foi informado sobre todos os passos envolvidos na organização do evento”, disse a Superintendência Nacional de Promoção de Eventos.

A Caixa acrescentou que eventos de mesma natureza foram realizados por alguns de seus concorrentes, entre eles o Itaú e o Santander. Com informações da Folhapress.


VOLTAR