Câmara aprova marco regulatório dos caminhoneiros » Rede Acontece
Últimas
20-04-2019 » Octa italiano | CR7 celebra título e diz que fica na Juventus: '1000% de certeza' 20-04-2019 » Decide Paulista contra o SP | Corinthians confirma desfalque de Junior Urso para final 20-04-2019 » Análise de especialistas | Inquérito de Toffoli deixa fraturas na relação do STF com os outros poderes 20-04-2019 » Funk de luto | MC Sapão é enterrado com presença de amigos, família e fãs 20-04-2019 » Um estranho no ninho | Senador sem partido há 3 anos relata 'desdém' de colegas 20-04-2019 » Revisão de vídeo é criticada | Árbitros admitem demora com VAR e pedem 'isolamento' de jogadores 20-04-2019 » Em teste no Brasil | Entenda o voucher, nova forma de pagamento do Uber 20-04-2019 » Em entrada de banco | Santos dá nova bicicleta para Sampaoli após outra ser furtada 20-04-2019 » Caso de 2018 | Justiça dos EUA manda prender lutador Ralph Gracie por agressão 20-04-2019 » No Arpoador | Turista tem celular roubado enquanto fazia selfie no Rio; veja 20-04-2019 » Tragédia em Brumadinho (MG) | Polícia tira 5 nomes e lista de desaparecidos cai a 41 20-04-2019 » Ameaçam parar dia 29 | 'Governo molha lenha seca na gasolina e joga na fogueira', diz líder de caminhoneiros 20-04-2019 » Atualizou rotas afetadas | Em crise, Avianca cancela mais de 1.300 voos até o dia 28 20-04-2019 » Nova Previdência tramita no Congresso | Pela reforma, governo prepara compensação previdenciária a estados 20-04-2019 » Histórias engraçadas e emocionantes | 'Já fui parar no hospital por causa da Xuxa', o relato de uma repórter 20-04-2019 » Alimentação saudável | Brócolis tem proteína? Conheça o top 10 dos legumes e verduras 20-04-2019 » UOL Confere | É falsa mensagem nas redes que diz que Moro pediu o fim do IPVA
Publicidade
INTERSORFT 100 MEGA
corretora de seguros
21 de junho de 2018

Câmara aprova marco regulatório dos caminhoneiros

Imagem Reprodução

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (20) o marco regulatório do transporte rodoviário, uma das exigências dos caminhoneiros e transportadoras que paralisaram o país em maio. O projeto vai a análise do Senado Federal. Um dos pontos polêmicos do texto determina que o vínculo entre o caminhoneiro e as transportadoras não é empregatício, mas de prestação de serviços.

Além disso, o marco também aumenta de 20 para 40 pontos o número máximo de pontos na carteira que podem ser acumulados condutor que exerça atividade remunerada no veículo. Para conseguir acordo e votar o texto, o relator, Nelson Marquezelli (PTB-SP), retirou do texto a previsão de anistia às multas tomadas pelos caminhoneiros durante a greve de 11 dias.

Apesar disso, o texto concede anistia a multas por evasão de fiscalização que tenham sido aplicadas até a data da aprovação da lei, transformando-as em advertências. O texto também prevê que o transporte de produtos perigosos seja feito por veículos de no máximo 15 anos e com reboques e caixas de carga de no máximo 20 anos. O limite para adequação da frota será de cinco anos. Além disso, o relator prevê uma série de renúncias fiscais.

Entre elas, fica determinado que os ganhos de vale-pedágio não são tributáveis. De acordo com o texto aprovado na Câmara, ainda, serão descontados do pagamento de PIS/Cofins sobre o frete o valor do pedágio pago.

Outro artigo retirado pelo relator dizia que caso a fiscalização de fronteiras estivesse inoperante, o condutor seria liberado, tendo que enviar documentação sete dias depois. De acordo com o governo, isso poderia causar caos das aduanas e permitir o aumento da entrada de contrabando e produtos ilegais no país.


VOLTAR