Câmara aprova marco regulatório dos caminhoneiros » Rede Acontece
Últimas
17-11-2018 » Mensagem circulando nas redes é falsa | Não é verdade que cédulas de US$ 100 perderão o valor em 2019 17-11-2018 » Estilo agrada Bolsonaro | Brasil tem condições de adotar a política externa agressiva de Trump? 17-11-2018 » Caravana tenta entrar nos EUA | O dia em que 12 mil migrantes chegaram à Cidade do México 17-11-2018 » Resgate ainda não foi definido | Localização de submarino argentino deixa parentes de tripulantes 'chocados' 17-11-2018 » Fogo avança nos EUA | Incêndios na Califórnia deixam mais de 70 mortos e 1.000 desaparecidos 17-11-2018 » Mandou suspender pagamento | Decisão de Gilmar sobre planos econômicos é alvo de petições no STF 17-11-2018 » A partir de R$ 80 mil | Salão de SP: como é dormir no Mitsubishi L200 Motorhome? 17-11-2018 » Foco total | 36 aviões por hora: a rotina na torre de controle de Congonhas 17-11-2018 » Falou de Bolsonaro | Silvio não sabia da participação de Lula no Teleton 2008, diz SBT 17-11-2018 » Procurando emprego? | Currículo que funciona é enxuto, em tópicos e sem nenhum enfeite 17-11-2018 » Apresentador na ESPN | Luciano Amaral já foi "herói do Tetra" e pioneiro de eSports 17-11-2018 » Novo governo | Culto e 2 cerimônias: o que já se sabe sobre a posse de Bolsonaro 17-11-2018 » Programa fica sem cubanos | Será difícil repor 10 mil vagas, diz ex-chefe do Mais Médicos 17-11-2018 » Equipes fazem escoramento | Prefeitura de SP reduz risco de desabamento de viaduto que cedeu 17-11-2018 » Amistoso Brasil x Uruguai | Neymar repete com Cavani e Suárez afagos e rusgas da vida pessoal
Publicidade
21 de junho de 2018

Câmara aprova marco regulatório dos caminhoneiros

Imagem Reprodução

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (20) o marco regulatório do transporte rodoviário, uma das exigências dos caminhoneiros e transportadoras que paralisaram o país em maio. O projeto vai a análise do Senado Federal. Um dos pontos polêmicos do texto determina que o vínculo entre o caminhoneiro e as transportadoras não é empregatício, mas de prestação de serviços.

Além disso, o marco também aumenta de 20 para 40 pontos o número máximo de pontos na carteira que podem ser acumulados condutor que exerça atividade remunerada no veículo. Para conseguir acordo e votar o texto, o relator, Nelson Marquezelli (PTB-SP), retirou do texto a previsão de anistia às multas tomadas pelos caminhoneiros durante a greve de 11 dias.

Apesar disso, o texto concede anistia a multas por evasão de fiscalização que tenham sido aplicadas até a data da aprovação da lei, transformando-as em advertências. O texto também prevê que o transporte de produtos perigosos seja feito por veículos de no máximo 15 anos e com reboques e caixas de carga de no máximo 20 anos. O limite para adequação da frota será de cinco anos. Além disso, o relator prevê uma série de renúncias fiscais.

Entre elas, fica determinado que os ganhos de vale-pedágio não são tributáveis. De acordo com o texto aprovado na Câmara, ainda, serão descontados do pagamento de PIS/Cofins sobre o frete o valor do pedágio pago.

Outro artigo retirado pelo relator dizia que caso a fiscalização de fronteiras estivesse inoperante, o condutor seria liberado, tendo que enviar documentação sete dias depois. De acordo com o governo, isso poderia causar caos das aduanas e permitir o aumento da entrada de contrabando e produtos ilegais no país.


VOLTAR