Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência por 370 votos a 124 » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 12-08-2020 » Ator | Marcos Caruso revela que é bissexual e que tem tesão no 'olhar' 12-08-2020 » 'Não desejo a ninguém' | Vivi Brunieri diz que ganhou R$ 500 mil para fazer filme pornô 12-08-2020 » Surpreendeu o casal | Alok e Romana: chá revelação tem fumaça no prédio vizinho 12-08-2020 » Jogo da Champions | Alê Oliveira volta a transmissões da TNT após desgaste e veto 12-08-2020 » Visual do ex-BBB | Victor Hugo faz harmonização facial e diz ter perdido 15 kg 12-08-2020 » Ex-BBBs na Playboy | Natália confirma temperatura elevada em ensaio com Fani 12-08-2020 » Tati Bernardi | O real da paixão é a impossibilidade 12-08-2020 » Reinaldo Azevedo | Dallagnol acusa STF, mas se quer intocável! 12-08-2020 » Sandra Caselato | Precisamos reconhecer que somos imperfeitos 12-08-2020 » Flávio Dino | Emprego: Brasil precisa de gestos de grandeza 12-08-2020 » M. C. Trevisan | Bolsonaro só confirma racismo seu e do governo 12-08-2020 » Entendendo Bolsonaro | Como narrativa bolsonarista ganhou palco 12-08-2020 » Chico Alves | A vida do contador do Bolsonaro não é fácil 12-08-2020 » Luciana Bugni | Deborah Secco e seios: há idade pra biscoitar na rede? 12-08-2020 » Ricardo Cavallini | Novas tecnologias: é preciso de regra antes de problema 12-08-2020 » Josias de Souza | Guedes sonegou aos microfones o essencial 12-08-2020 » Nizan Guanaes | Novena de Santa Terezinha na web tem 1.100 haters 12-08-2020 » H. Schwartsman | Renda do povo e centrão: Bolsonaro tem futuro? 12-08-2020 » Rafael Capanema | Um pouco de poesia a um vírus sem solução 12-08-2020 » Pablo Ortellado | Empatia promove a intolerância política, diz estudo
Publicidade
7 de agosto de 2019

Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência por 370 votos a 124

Foto: Wilson Dias

Por 370 votos a favor, 124 contra e 1 abstenção, o Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, o texto-base da proposta de emenda à Constituição que reforma da Previdência. Sob aplausos, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), proclamou o resultado à 0h38 desta quarta-feira (7), depois de cinco horas de debates. A sessão foi encerrada logo após o anúncio do placar. Segundo Maia, os deputados começarão a discutir os destaques em sessão marcada para as 9h de hoje. No segundo turno, só podem ser votados destaques e emendas supressivas, que retiram pontos do texto. Propostas que alteram ou acrescentam pontos não podem mais ser apresentadas. A sessão para votar a reforma da Previdência em segundo turno começou às 19h15, depois de Rodrigo Maia passar o dia esperando a formação de quórum no Plenário da Casa. Por volta das 19h50, os deputados rejeitaram um requerimento do PSOL para retirar a proposta de pauta, por 306 votos a 18. Por volta das 20h55, os parlamentares votaram um requerimento dos líderes para encerrar as discussões depois de dois deputados terem falado contra e dois a favor. Aprovado com 350 votos favoráveis e 18 contrários, o requerimento ajudou a acelerar a sessão. Em seguida, deputados do centrão e do governo esvaziaram o Plenário para forçar Rodrigo Maia a encerrar e reabrir a sessão, reduzindo o número de requisições da oposição para alongar os debates. No início da noite, os parlamentares aprovaram, em votação simbólica, a quebra do prazo de cinco sessões entre as votações em primeiro turno e em segundo turno para que a PEC pudesse ser votada ainda nesta madrugada. Nas últimas horas, o Plenário aprovou requerimentos para acelerar a sessão, como o que rejeitou em bloco todos os destaques individuais e o que impediu o fatiamento da votação do texto principal. O primeiro turno da proposta foi concluído no dia 13 de julho. Na ocasião, o texto principal foi aprovado por 379 votos a 131. Em segundo turno, são necessários também 308 votos para aprovar a PEC, e os partidos podem apresentar somente destaques supressivos, ou seja, para retirar partes do texto. Concluída a tramitação na Câmara, a matéria segue para análise do Senado, onde também será analisada em dois

Divergências

A oposição ainda tenta modificar trechos da proposta e anunciou que apresentará os nove destaques a que tem direito para tentar retirar pelo menos quatro itens do texto da reforma. Estão no foco dos partidos da oposição a retirada de trechos como as mudanças na pensão para mulheres, nas aposentadorias especiais, na pensão por morte e as regras de transição. A líder da Minoria, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), reiterou nessa terça-feira (6) que oposição trabalhará na “redução de danos” ao trabalhador. Entre os pontos que a oposição tentará retirar da reforma estão a restrição ao abono salarial a quem recebe até R$ 1.364,43 em renda formal e a redução de novas pensões a 50% do salário médio do cônjuge falecido, com acréscimo de 10 pontos percentuais por dependente. No entanto, para deputados da base governista, os destaques serão rejeitados independentemente dos esforços dos partidos de oposição. “A oposição está obstruindo, e obstruir significa não trabalhar para que Brasil possa avançar. Nós vamos, queira a oposição ou não, votar a reforma, a nova Previdência, para que o País volte a crescer e para que façamos com que ele volte a gerar emprego e oportunidade de vida ao povo brasileiro”, disse o deputado Darci de Matos (PSD-SC).


VOLTAR