China convoca embaixador americano por detenção de executiva da Huawei » Rede Acontece
Últimas
16-01-2019 » Se diz explorada | Rihanna abre processo contra o próprio pai, Ronald Fenty; entenda 16-01-2019 » Contas | Veja 7 dicas para economizar na compra de material escolar 16-01-2019 » Loterias | Mega acumula e pode pagar R$ 27 milhões na quinta; veja dezenas 16-01-2019 » Copa São Paulo | Figueirense elimina Palmeiras, que mantém jejum na competição 16-01-2019 » Fim de contrato | Acusado de assédio, José Mayer deixa a Globo após 35 anos 16-01-2019 » Medida é considerada ilegal | Sindicatos querem tirar reajuste salarial de quem não pagar contribuição 16-01-2019 » Italiano preso | Bolívia descarta atuação brasileira em captura de Battisti 16-01-2019 » Querem implantar no Brasil | Bancada do PSL vai à China importar sistema que reconhece rostos 16-01-2019 » Ministro da Justiça | Para Moro, críticas indicam que decreto de posse de arma foi "ponderado" 16-01-2019 » Presidência da Câmara | Esquerda não chega a acordo e pode liberar voto de deputados 16-01-2019 » Assinado por Bolsonaro | Decreto frustra defensores de acesso a armas; indústria aprova 16-01-2019 » 1ª visita de chefe de Estado | Macri vem ao Brasil e discute com Bolsonaro Mercosul e Venezuela 16-01-2019 » Antes de tomar posse | Bolsonaro recebeu R$ 33,7 mil de auxílio-mudança da Câmara 16-01-2019 » Combustível feito em um único local | Parada em refinaria da Petrobras deixa aviões agrícolas sem gasolina 16-01-2019 » 'Frankenstein' de 2018 | Misturamos modelos de celulares para criar o 'aparelho dos sonhos' 16-01-2019 » Interpretação de mapa astral | Para de ser doida! Sense Márcia analisa a vida da youtuber Evelyn Regly
Publicidade
10 de dezembro de 2018

China convoca embaixador americano por detenção de executiva da Huawei

Foto Reprodução

O Ministério de Relações Exteriores da China convocou neste domingo (9) o embaixador dos EUA em Pequim para expressar “forte protesto” contra a prisão da vice-presidente financeira da companhia chinesa Huawei e afirmou que Washington deveria retirar o pedido de prisão da executiva.

Meng Wanzhou foi presa no Canadá em 1º de dezembro e enfrenta um pedido de extradição para os EUA, que alegam que ela acobertou laços de sua empresa com uma empresa que tentou vender equipamentos ao Irã, em violação de sanções contra o país. A executiva também é filha do fundador da Huawei.

O vice-ministro de Relações Exteriores da China, Le Yucheng, afirmou ao embaixador dos EUA, Terry Branstad, que Washington fez uma “exigência despropositada” para o Canadá prendesse Meng enquanto ela estava passando por Vancouver, informou o ministério.

“As ações dos EUA seriamente violaram os direitos legais e legítimos de uma cidadã chinesa e foram extremamente sórdidas em sua natureza”, disse Le a Branstad.

“A China vai responder com novas medidas dependendo das ações dos EUA”, disse Le, sem dar detalhes.

No sábado (8), Le havia convocado o embaixador canadense em Pequim, John McCallum, para apresentar um “forte protesto”.

Le alertou o Canadá de que o país pode sofrer sérias consequências se não libertasse Meng imediatamente, chamando o episódio de “extremamente desagradável”.

Adam Austen, porta-voz da chanceler canadense, Chrystia Freeland, disse que não havia nada a acrescentar “além do que a ministra disse ontem”.

Freeland disse na sexta-feira que o relacionamento com a China é importante e valorizado, e que acesso consular será fornecido a Meng.


VOLTAR