CNJ: cadastro nacional permite que cidadão escolha mediadores e conciliadores » Rede Acontece
Últimas
19-07-2018 » Kefir, biomassa de banana... | Febre dos prebióticos e probióticos: ciência ainda discute sua eficácia 19-07-2018 » Presos na Papuda | Geddel e Luiz Estevão vão para segurança máxima no DF 19-07-2018 » Após rumores | Chay Suede nega romance com colega de novela 19-07-2018 » 'Tinha medo de ir e vir' | Nívea Stelmann diz por que trocou o Brasil pelos EUA 19-07-2018 » 'Não me entendem' | Galvão esclarece se vai se aposentar das narrações 19-07-2018 » Manteiga? Não! | O que você jamais deve usar como lubrificante no sexo 19-07-2018 » Candidato isolado | Bolsonaro tenta salvar aliança com general 19-07-2018 » Melhores da América Latina | Documentário do UOL sobre gays na Rússia concorre ao WAN-IFRA 19-07-2018 » "Dr. Bumbum" é preso no Rio | Foragido após morte de cliente, médico foi detido na Barra da Tijuca 19-07-2018 » Celulares podem ficar mais caros | Além de pagar multa recorde, Google deverá mudar Android; entenda 19-07-2018 » Ataque de tubarão é investigado | Adolescentes são mordidos enquanto mergulhavam em Nova York 19-07-2018 » Comic-Con sem Marvel nem GoT | O que esperar da maior feira de cultura pop, em San Diego (EUA)? 19-07-2018 » Como você é fiscalizado | Polícia não usa drone para multar quem fala ao celular enquanto dirige 19-07-2018 » Eleições 2018 | Centrão segura apoio a Ciro e tucanos aguardam 19-07-2018 » Filofobia | O que é e como superar o medo patológico de se apaixonar e formar laços 19-07-2018 » Ex-presidente preso | CNJ intima Moro e desembargadores sobre decisões na prisão de Lula 19-07-2018 » Tumulto no centro | SP: Usuários atacam motoristas após ação da GCM na Cracolândia 19-07-2018 » De galã teen a rei do rap | Como Drake se transformou no músico mais popular do mundo 19-07-2018 » SP x Corinthians | Aguirre confirma Jucilei fora do clássico; Rojas vai jogar 19-07-2018 » Refis | Receita cancela adesão de 700 "viciados" em renegociar dívidas
Publicidade
clinica master supermercado centrel grafica bandeirante intersorft centro medico sao gabriel lab laboratorio
25 de março de 2017

CNJ: cadastro nacional permite que cidadão escolha mediadores e conciliadores

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Um cadastro nacional de conciliadores e mediadores aptos a facilitar a negociação de conflitos em processos judiciais e extrajudiciais está disponível para a população de todo o país. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ferramenta indica profissionais e seus e-mails, além de um minicurrículo. A listagem é separada por estado e conta com cerca de 3 mil integrantes, entre conciliadores, mediadores e profissionais de Câmaras privadas. O Cadastro Nacional de Mediadores Judiciais e Conciliadores tem em torno de 1 mil conciliadores, de oito unidades federativas: São Paulo tem 794 profissionais inscritos; Goiás, 129; o Distrito Federal (DF), 24; o Rio Grande do Sul, 21; Sergipe, 13; o Rio Grande do Norte, 11; a Paraíba, cinco; e o Rio de Janeiro, três. O número de mediadores cadastrados é quase o dobro – atualmente, há 1.747 profissionais de 13 estados, além do Distrito Federal. São Paulo e Goiás têm, respectivamente 1.155 e 206. Em seguida, aparecem Bahia (130); Rio Grande do Sul (83); Minas Gerais (77); Rio de Janeiro (37); Sergipe (19); Distrito Federal (13); Pará (11); Rio Grande do Norte (6); Paraíba (5); Pernambuco (2); Ceará (2) e Acre (1). Pela ferramenta, é possível escolher desde conciliadores e mediadores voluntários (gratuitos) até profissionais que cobram pelo trabalho. “Apenas profissionais que atendam aos padrões definidos pelo CNJ (estabelecidos na Resolução 125/2010) podem fazer parte da listagem”, informou o conselho. Outra opção disponível é a utilização de câmaras privadas de mediação, mas apenas cinco estados e o DF têm Passo a passo do cadastro: Para acessar o cadastro, a orientação é que o cidadão entre no site do CNJ. Na área de informações e serviços, entrar em Programas e Ações, buscar o Portal da Conciliação e, no índice, clicar em Consulta Pública – Cadastro Nacional de Mediadores Judiciais e Conciliadores. A página da consulta pública abre três opções: Mediador; Câmara privada e Conciliador. A mediação geralmente é usada em questões mais complexas, como inventários e dissolução de sociedade e problemas familiares que não se resolvem em uma única sessão. A conciliação é usada em conflitos mais simples, como problemas entre consumidor e empresas. As câmaras privadas são instituições que têm um corpo de mediadores. O mediador pode ser independente ou estar ligado a uma Câmara. O cadastro é administrado pelos tribunais, que recebem e avaliam os dados encaminhados pelos profissionais. Para ser um conciliador ou mediador, é preciso estar capacitado e, além da etapa teórica, é necessário que o profissional tenha finalizado estágio supervisionado de, no mínimo, 60 horas. O banco de dados está à disposição dos cidadãos e também de Núcleos Permanentes de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania, Câmaras Privadas de Mediação, mediadores e conciliadores.


VOLTAR