Consumo de TV pela internet cresce 102% em apenas um ano » Rede Acontece
Últimas
21-10-2018 » Só começa dia 4/11 | Celular mudou para o horário de verão sozinho? Saiba ajustar 21-10-2018 » Em 200 cidades | Manifestantes fazem atos hoje contra o PT e a favor de Bolsonaro 21-10-2018 » 2º turno em SP | França e Doria focam Lula e Bolsonaro em debates 21-10-2018 » 2º turno em MG | Verba de Zema cresce 318%; R$ 600 mil não têm origem declarada 21-10-2018 » Brasileirão | Corinthians enfrenta Vitória e tabu no 1º duelo direto na luta contra queda 21-10-2018 » Sucesso dos anos 90 | Depressão e budismo: a volta por cima de Deborah Blando 21-10-2018 » Mundial de surfe | Atrás do bi, Medina vai à 'final' na mesma situação de 1º título 21-10-2018 » Mais Brasileiro | SP ficou no jejum, mas teve gols na rodada de sábado; veja todos 21-10-2018 » Grávida de oito meses | Sabrina Sato revela em programa o nome da 1ª filha com Duda Nagle 21-10-2018 » Só 3.500 unidades | Renault Sandero 1.0 ganha série limitada GT Line por R$ 47.990 21-10-2018 » Semana decisiva antes das urnas | O que pensam eleitores em dúvida entre Haddad, Bolsonaro e voto nulo 21-10-2018 » 3 anos depois do surto | Mães de crianças com zika enfrentam dificuldade financeira e abandono 21-10-2018 » Advertência por 'transação comercial' | Nos anos 80, Bolsonaro vendia bolsas feitas de paraquedas do quartel 21-10-2018 » Disparo de mensagens | Relator de ação contra Bolsonaro tem fama de 'durão' e decisões contra PT 21-10-2018 » Eleições e economia | Privatizar estatais reduz dívida, mas não barra corrupção nem baixa preço 21-10-2018 » Região decisiva no 1º turno | Presidenciáveis jogam com o medo por voto do interior do Nordeste
Publicidade
25 de janeiro de 2016

Consumo de TV pela internet cresce 102% em apenas um ano

Foto: Guanambi Acontece

Foto: Guanambi Acontece

Uma pesquisa realizada pela Adobe revela que a quantidade de programas assistidos através da internet cresceu 102% em apenas um ano, de 2015 para 2014. Especialistas comentam que esta tendência veio para ficar, segundo o Extra. Este caso não é relativo a serviços de streaming, como Netflix, mas de TVs que agora disponibilizam seu conteúdo não apenas na TV, como também pela internet, representando uma concorrência direta aos canais de TV pagos. No Brasil, um exemplo recente é o Globo Play, da TV Globo. “As previsões pessimistas sobre um possível declínio da TV não se confirmaram: nunca se viu tanta TV quanto hoje. Não importa se o conteúdo é consumido num smartphone ou numa tela de 60 polegadas, se é linear ou on demand: é tudo TV”, comenta Erick Brêtas, diretor de Mídias Digitais da Globo. Ian Burns, diretor de Criação da agência Huge, vê um grande problema para os canais de tv pagos. “O negócio das TVs por assinatura é vender um monte de canais que as pessoas não querem. Isso não vai durar para sempre. Com mais opções, os consumidores vão escolher quais canais vão assinar”, analisa.


Tags:
VOLTAR