Crime comum não deve ser apurado na Justiça Eleitoral, defende Moro » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 18-01-2020 » Erro em notas do Enem | Governo mantém data do Sisu e corre para evitar estrago maior 18-01-2020 » Nem dinheiro público | Harry e Meghan não terão mais título de 'sua alteza real' 18-01-2020 » no Amazonas | Suspeito de estuprar e matar criança é linchado e esquartejado 18-01-2020 » Do Shaba Al Ahli | São Paulo recebe proposta de R$ 12,5 milhões por Pato 18-01-2020 » Torneio começa amanhã | Pedrada, calção arriado e vexame: Pré-Olímpico já marcou craques 18-01-2020 » prêmio vale R$ 27,3 mi | Mega-Sena: veja os números sorteados hoje 18-01-2020 » Campeonato Carioca | Garotos do Fla jogam bem, mas ficam só no empate contra Macaé 18-01-2020 » Florida Cup | Palmeiras sofre, mas vence o NYC de virada por 2 a 1 18-01-2020 » Estreia no Carioca | Com time jovem, Bota é dominado e perde para Volta Redonda 18-01-2020 » Após BB | Petrobras anuncia que aposentado será desligado 18-01-2020 » Em São Paulo | Governador do MA se encontra com Lula para defender frente anti-Bolsonaro 18-01-2020 » Após dias de mistério | Globo divulga participantes do BBB20 18-01-2020 » Crise hídrica | Água mineral vira artigo de luxo após crise de contaminação no Rio 18-01-2020 » Temporais no estado | Chuva deixa seis mortos no Espírito Santo; prefeito diz que cidade acabou 18-01-2020 » Copinha | Grêmio cede empate, mas vence Vasco nos pênaltis 18-01-2020 » Mais do BBB20 | Flayslane tem mais seguidores do que habitantes em sua cidade 18-01-2020 » Serviços de streaming | A Disney vai acabar com a Netflix? Estudo informa que não é bem assim 18-01-2020 » EUA monitoram viajantes | China confirma mais quatro casos de infecção por vírus desconhecido 18-01-2020 » Concedidos no mês passado | Fila do INSS dá mais de R$ 77 mil em atrasados 18-01-2020 » Tensão no Oriente Médio | Irã envia à Ucrânia caixas-pretas de avião derrubado acidentalmente
Publicidade
14 de março de 2019

Crime comum não deve ser apurado na Justiça Eleitoral, defende Moro

Foto Reprodução

Quando apurados em ligação com delitos eleitorais, crimes comuns devem continuar sob a alçada da Justiça Federal, defendeu nesta quarta-feira (13) o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro. O Supremo Tribunal Federal (STF) começa nesta quarta um julgamento que pode definir se casos de corrupção e lavagem de dinheiro, se relacionados a crimes eleitorais (como caixa 2), devem ou não ser encaminhados à Justiça Eleitoral. “A Justiça Eleitoral, embora tenha excelentes condições e faça um trabalho excelente na organização das eleições e na solução de questões eleitorais, não está bem estruturada para julgar crimes mais complexos, como lavagem de dinheiro e crime de corrupção. Então o ideal é que haja uma separação”, afirmou Moro, após participar de um evento da Secretaria Nacional de Segurança Pública com comandantes das polícias militares dos estados. Ex-juiz da Lava Jato, o ministro destacou que o posicionamento da pasta pela separação dos casos “já foi externada publicamente”, mas disse esperar “respeitosamente que o Supremo profira a melhor decisão”.


VOLTAR