Dilma mudou de opinião sobre Angra 3 após rejeitar obra » Rede Acontece
Últimas
21-09-2018 » Maior doador é da Cosan | Empresas de 4 dos 5 maiores doadores eleitorais devem R$ 17 milhões à União 21-09-2018 » Presidenciável pela Rede | Marina destacará força da mulher para reconquistar eleitoras 21-09-2018 » Debate na TV Aparecida | Haddad exalta Lula e vira alvo de Alckmin, Ciro, Dias e Meirelles 21-09-2018 » Palmeiras vence Colo-Colo | Após mês de treinos fechados, Felipão muda jogo 21-09-2018 » Candidato pelo PSL | Bolsonaro diz nunca ter cogitado volta da CPMF: "Votei pela revogação" 21-09-2018 » Não é mais só trabalho | Neta e saúde deixaram Muricy mais light. Até os amigos estranham 21-09-2018 » Bastidores do Mundial | Nike proibiu Neymar de rasgar meião durante a Copa do Mundo 21-09-2018 » Festival de música | Por que você não vai ver nomes do feminejo no VillaMix em SP 21-09-2018 » Sem data para o Brasil | EUA já vendem novos iPhones; como comprar sem ser taxado? 21-09-2018 » Nova série da Netflix | Com Emma Stone e Jonah Hill, Maniac retrata solidão moderna 21-09-2018 » De TPM ao clima | 6 fatores do dia a dia que podem levar a crises de asma 21-09-2018 » Veganos adoram | Ágar-ágar ajuda a emagrecer? Saiba mais deste alimento 21-09-2018 » #ficaadica | Aprenda a adicionar paradas no caminho no Google Maps 21-09-2018 » Juntos há 4 anos | "Somos apaixonados, mas não transamos há 3 anos", relata casal 21-09-2018 » Números de 2018 | Voos internacionais crescem 14% no Brasil; EUA lideram 21-09-2018 » A melhor avaliada de todos | Ela é motorista nº 1 da Uber no Rio: 'Tapa na cara dos machistas' 21-09-2018 » Violência no Rio de Janeiro | Morte por policial em área de UPP já se iguala a taxa de homicídio comum 21-09-2018 » Até 28 de setembro | Você pode ter dinheiro no fundo PIS/Pasep; resta uma semana para sacar 21-09-2018 » Papo sobre amor, violência e Anitta | "Ser sexy foi carma e uma opção minha", diz Rita Cadillac 21-09-2018 » Quarto confronto entre presidenciáveis | Ingratidão, inveja, caos e Posto Ipiranga; veja frases do debate
Publicidade
22 de novembro de 2015

Dilma mudou de opinião sobre Angra 3 após rejeitar obra

FOTO: BRUMADO ACONTECE

FOTO: BRUMADO ACONTECE

A retomada da construção da usina nuclear Angra 3 – cujos contratos estão na mira da Polícia Federal, do Ministério Público e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) na Operação Lava Jato – contou com o aval da presidente Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil, em voto no Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). O CNPE, composto por 14 conselheiros, sendo nove ministros de Estado, tem a função de assessorar a presidência da República sobre questões nacionais de energia. Em 2007, a recomendação favorável do órgão possibilitou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizasse oficialmente a retomada do projeto, paralisado desde a década de 80. A discussão sobre Angra 3 se arrastou por anos no conselho. Em 2005, ainda ministra de Minas e Energia do governo Lula, Dilma resistiu à realização da obra, divergindo de José Dirceu – condenado no mensalão e preso preventivamente na Lava Jato –, então seu colega de Esplanada. Dirceu chegou a pedir vista da discussão ao deparar com dois votos contrários à usina no Conselho: o de Dilma e o de Marina Silva, então ministra do Dilma considerava a energia nuclear muito cara e dava preferência a outras alternativas existentes, como hidrelétricas e térmicas. Segundo um representante de ministério que participou das reuniões do CNPE, Dilma levava muito em consideração a questão dos custos na definição de políticas energéticas. Por essa razão, não deu prioridade ao uso de energia eólica e de biomassa, que eram mais caras na época. Em declaração publicada pela Agência Estado em 2005, a então ministra das Minas e Energia justificou sua opinião contrária à conclusão do projeto da terceira usina nuclear no complexo de Angra: “Do ponto de vista do meu ministério, não tem o menor sentido escolher Angra 3 como a fonte que seja economicamente a mais barata neste momento. É essa a nossa posição”. Estadão


VOLTAR