Dólar recua 1,37% nesta sexta, mas encerra janeiro em alta » Rede Acontece
Últimas
17-01-2019 » Inseparáveis | Por que você vai ouvir falar muito de Arielle, a coreógrafa da Anitta 17-01-2019 » Bem além da passarela | 5 lutas compradas por Gisele que a tornaram mais do que modelo 17-01-2019 » Discurso nos EUA; veja | Bolsonaro elogiado por Trump? No contexto, talvez não seja assim 17-01-2019 » Deputada e socialista | Por que Ocasio-Cortez é a mulher mais importante dos EUA? 17-01-2019 » Jack estava internada | Ginasta brasileira que defendeu seleção morre aos 17 anos 17-01-2019 » Sexo sem tabu | 'Com 16 eu tinha cama de casal', diz youtuber Dora Figueiredo 17-01-2019 » Onda de violência no estado | Governador do CE pede a Moro reforço em segurança por reação de facções 17-01-2019 » Grito de carnaval da cidade | Shows do CarnaUOL serão em frente ao sambódromo de SP; veja atrações 17-01-2019 » Mercado financeiro | Bolsa sobe e fecha acima de 95 mil pontos pela 1ª vez; Taurus salta 14% 17-01-2019 » Brecha na segurança | Vazamento na web atinge 800 milhões de e-mails e senhas; veja se foi afetado 17-01-2019 » Educação | Economista que chamou docentes de manipuladores será coordenador do Enem 17-01-2019 » Reforma da previdência | Governo quer restringir acúmulo de pensão com aposentadoria 17-01-2019 » No Fórum de Davos, na Suíça | Guedes apresentará privatizações e Previdência como vitrines do Brasil 17-01-2019 » Senador eleito pelo PSL | MP do Rio usa Coaf como 'atalho' para burlar Justiça, diz Flávio Bolsonaro 17-01-2019 » Liminar parou investigação de Queiroz | Flávio Bolsonaro alega ter foro e pede anulação de provas do Coaf no STF 17-01-2019 » Normal ou cesariana? | Como disputas ideológicas no Brasil chegaram ao parto 17-01-2019 » UOL Líderes | País não sobreviverá sem reformas, diz vice da Microsoft América Latina 17-01-2019 » Celular, isqueiro, cabo USB... | Preso tenta voltar para a cadeia com 62 objetos no estômago em SC
Publicidade
30 de janeiro de 2016

Dólar recua 1,37% nesta sexta, mas encerra janeiro em alta

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

O dólar fechou em queda expressiva nesta sexta-feira, o que não impediu que a moeda encerrasse janeiro em alta – foi o terceiro mês consecutivo de avanço. Em meio a incertezas locais e globais, alguns investidores e analistas dizem que a tendência pode se manter. A moeda americana caiu 1,37% nesta sexta, a 4,02 reais, e acumulou baixa de 2,1% na semana. Em janeiro, em contrapartida, a cotação subiu 1,93%. “Tivemos muitas entradas de recursos ontem (sexta), mas não espero que o dólar sustente a queda. Patamares abaixo de 4 reais devem atrair compra”, disse o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado. O dólar atingiu 3,99 reais na mínima desta sessão, mas logo reduziu as perdas e voltou a ser negociado por mais de 4 reais. Nos mercados externos, moedas emergentes reagiram positivamente à surpreendente decisão do banco central japonês de adotar juros negativos. A medida reduz o custo de operações conhecidas como carry trade, quando operadores captam recursos no exterior e os reinvestem em ativos que pagam juros altos. Também ajudou o humor o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no quarto trimestre, que confirmou uma desaceleração abrupta na maior economia do mundo.O dado deu força à percepção de que o Federal Reserve, o banco central americano, pode demorar mais tempo que o esperado para voltar a elevar os juros. Mesmo assim, operadores continuam apreensivos com o cenário local e esperam que a moeda americana volte a subir em breve, especialmente após a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) alimentar apostas de que os juros básicos podem não subir neste ano. O dólar chegou a subir nesta manhã, atingindo 4,09 reais na máxima da sessão. O J.P.Morgan elevou sua previsão para o câmbio e passou a estimar que o dólar atingirá 4,70 reais no fim de 2016, argumentando que a manutenção da Selic fez com que as expectativas de inflação perdessem o norte. As medidas de estímulo ao crédito anunciadas nesta quinta, que somam 83 bilhões de reais, também eram motivo de cautela. O anúncio vem em um momento de inflação de dois dígitos, apesar da profunda recessão econômica. (Reuters)


Tags:
VOLTAR