Durante crise com caminhoneiros, Temer pediu apoio a donos de TV » Rede Acontece
Últimas
19-11-2018 » Após 'drama' do cabelo | Marina Ruy Barbosa supera castigo e entra para 1º time da Globo 19-11-2018 » Não é só a Samsung | Como Apple e outras empresas imaginam o celular dobrável 19-11-2018 » Cláusula contratual | SBT mira Porchat, Mion e Bacci, mas não quer saia justa com Record 19-11-2018 » Amistoso é amanhã | Por que a seleção vai fechar 2018 em estádio de 4ª divisão inglesa? 19-11-2018 » Jogador morto no PR | Caso Daniel: mãe de gêmeo cita mentiras e represália de Brittes 19-11-2018 » Na Marginal Pinheiros | SP procura macaco hidráulico para içar viaduto que cedeu 19-11-2018 » Reta final do Brasileirão | Fla liga o 'secador' e aposta no Maracanã por sonho do título 19-11-2018 » Carlos Ghosn teria sido preso | Nissan vai demitir presidente brasileiro suspeito de fraude 19-11-2018 » Um dos líderes do CV | Extraditado do Paraguai, Marcelo Piloto vai para prisão de segurança máxima 19-11-2018 » Futura ministra da Agricultura | Tereza diz que adotou 'políticas de governo' ao conceder incentivo à JBS 19-11-2018 » Economia no novo governo | Guedes confirma Roberto Castello Branco no comando da Petrobras 19-11-2018 » País fora do Mais Médicos | Médicos deixam Brasil até o final do ano, anuncia Cuba 19-11-2018 » Milhares tentam deixar A. Central | Caravana de migrantes chega à fronteira dos EUA: 'Não nos querem' 19-11-2018 » Patrícia foi presa em São Paulo | Loba do Tinder: apuração revela falsa riqueza, ameaças e extorsão 19-11-2018 » País relaxou as leis de proteção | 'Marido cortou minhas mãos com machado': a violência doméstica russa
Publicidade
25 de junho de 2018

Durante crise com caminhoneiros, Temer pediu apoio a donos de TV

Foto Rede Acontece

Com medo de ser derrubado por manifestações populares, o presidente Michel Temer (MDB) recorreu aos donos de TVs para tentar minar a greve dos caminhoneiros.

De acordo com a Painel, da Folha, ele descreveu gravidade do momento a representantes de Globo, SBT, Band e RedeTV!. O apelo por prudência estava implícito no gesto.

Enquanto as negociações com os caminhoneiros naufragavam, o governo recebia dados cada vez mais alarmantes. Houve muita tensão quando o Planalto foi avisado de que havia risco de desabastecimento de água tratada porque, em algumas cidades, as cargas com insumos para a limpeza estavam presas nos bloqueios.

Havia também preocupação com a queda no fornecimento de eletricidade em ao menos dois estados da região Norte: Rondônia e Roraima. Nesses locais, as termelétricas são responsáveis por parte substancial da energia gerada — e as reversas de óleo estavam baixas.

O maior temor era o de que, sem luz ou água, houvesse revolta popular e ondas de saques e violência.


VOLTAR