Eduardo Leite ao tomar posse como governador do Rio Grande do Sul » Rede Acontece
Últimas
26-03-2019 » Solto por decisão do TRF-2 | Ex-presidente Michel Temer é solto no Rio após 4 dias de prisão 26-03-2019 » Encontro em Boston | Mourão vai se reunir com imigrantes brasileiros nos EUA 26-03-2019 » Nego Ney | Como funkeiro mirim embala o Fla em fase decisiva da temporada 26-03-2019 » SP e Curitiba | Justiça nega entrada de menores de 10 anos em show de P. McCartney 26-03-2019 » Aposentadoria | Brasileiro vive quase tanto quanto alemão e para 10 anos antes 26-03-2019 » Governador do Rio | Witzel é intimado por dívida de R$ 115 mil com ex-sogra 26-03-2019 » Tríplex do Guarujá (SP) | Lula pede que STJ anule condenação e envie caso à Justiça Eleitoral 26-03-2019 » Conflito pela reforma | Líder do PSL critica articulação do governo na Previdência 26-03-2019 » Ministro da Casa Civil | Onyx encomenda extinção de conselhos participativos do Meio Ambiente 26-03-2019 » Ele diz que vai recorrer | Tribunal afasta ex-ministro Carlos Marun do Conselho de Itaipu 26-03-2019 » Baixa no alto escalão da pasta | Secretária de Educação Básica pede demissão do MEC 26-03-2019 » Chef duas estrelas Michelin | O sonho do restaurante normalmente vira pesadelo, diz Ivan Ralston 26-03-2019 » Barragem da Vale em alerta | Moradores de Barão de Cocais (MG) relatam noites sem sono 26-03-2019 » 'Ele era meu melhor amigo' | Jovem revela como usou o Facebook para avô confessar abuso 26-03-2019 » Amistoso em Praga nesta 3ª | Mauro Cezar: Crédito popular pré-Copa de Tite acabou, e Brasil precisa "performar" 26-03-2019 » Celebração em 31 de março | Bolsonaro determinou "comemorações devidas" do golpe de 1964, diz porta-voz
Publicidade
corretora de seguros
INTERSORFT 100 MEGA
2 de janeiro de 2019

Eduardo Leite ao tomar posse como governador do Rio Grande do Sul

Foto Reprodução

Em seu primeiro discurso como governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) defendeu a necessidade de superação da polarização na política gaúcha e prometeu trabalhar na construção de consensos para a implementação de uma agenda de ajuste fiscal e de recuperação da economia do estado. Leite iniciou o discurso citando o escritor gaúcho Tiago Mattos ao dizer que “não estamos vivendo uma era de mudanças, estamos vivendo uma mudança de eras”. Apesar da promessa de mudança, Leite repetiu seu antecessor José Ivo Sartori (MDB) ao prometer uma agenda de ajuste fiscal baseada em privatizações e cortes na máquina pública. Segundo ele, decretos visando cortes de gastos serão publicados no Diário Oficial do Estado já nesta quarta-feira (2) e reformas estruturantes serão feitas nos primeiros 100 dias de seu governo. “O inadiável ajuste fiscal somente será possível com engajamento e compartilhamento de todos”, disse. Leite alfinetou o seu antecessor ao dizer que é preciso “mais do que governar o caixa do governo”. “Enquanto as famílias e empresas não se recuperarem, o caixa também não se recupera”, afirmou, acrescentando que o ajuste fiscal é um meio, não “um fim em si mesmo”. Ele falou de sua vontade de trabalhar em conjunto com Jair Bolsonaro e citou Barack Obama, ao dizer que “o cargo mais importante não é de presidente ou de governador, é de cidadão”. Também defendeu valores da social-democracia. “Ao contrário do que dizem por aí, a social-democracia não morreu, ela vai estar viva e forte no Rio Grande para construir um estado altivo e ativo”. Leite também deve empossar o seu secretariado ainda na tarde desta terça-feira.


VOLTAR