Eliana Calmon defende Moro após vazamento de mensagens: 'Não vejo crime' » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 23-09-2019 » Comissária da ONU | Bachelet diz que existem "muitas dúvidas" sobre processo contra Lula 23-09-2019 » Premiação da TV | Emmy coroa Game of Thrones como melhor série dramática 23-09-2019 » Marido foi assassinado | A TV, deputada Flordelis diz que foi vítima de tentativa de extorsão 23-09-2019 » 1 a 0 na 6ª rodada | Neymar supera pressão da torcida do Lyon e faz gol da vitória do PSG 23-09-2019 » Governador do Maranhão | UOL transmite hoje Roda Viva com Flávio Dino 23-09-2019 » Diversidade | Apesar da chuva, Parada LGBTI do Rio reúne multidão em Copacabana 23-09-2019 » Perrone | Falta mais preparo físico do que raça ao Corinthians 23-09-2019 » Antonio Prata | A verdade deixou o condomínio dos fatos há uns anos 23-09-2019 » Brasilianismo | Destruir Amazônia: crime contra humanidade 23-09-2019 » Felipe Santa Cruz | Vetos desfiguram a lei sobre abuso de autoridade 23-09-2019 » Julio Gomes | Odair merece críticas, mas não demissão 23-09-2019 » Fernanda Torres | Lenga-lenga dos burocratas que conspiram o poder 23-09-2019 » Marcos Lisboa | O investimento público como aspirina: de novo? 23-09-2019 » Mauricio Stycer | Há duas décadas estreava o Big Brother na Europa 23-09-2019 » Mauro Cezar | Vergonha: Flu e Cruzeiro na zona de rebaixamento 23-09-2019 » Elio Gaspari | Juiz Bretas retoma um costume da ditadura brasileira 23-09-2019 » Reinaldo Lopes | Fósseis ajudam a reconstruir som de crocodilo extinto 23-09-2019 » Ricardo Viveiros | Momento exige coragem; nem tudo está perdido 23-09-2019 » Tradição da Assembleia | FHC só abriu ONU uma vez; Lula perdeu duas; Bolsonaro estreia terça 23-09-2019 » Novo fenômeno | Olimpíada-2020 deve ter atletas de 11 anos no skate. É muito cedo?
Publicidade
13 de junho de 2019

Eliana Calmon defende Moro após vazamento de mensagens: ‘Não vejo crime’

Foto Rede Acontece

A ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon, afirmou que encarou com naturalidade as conversas ocorridas entre o ex-juiz e atual ministro Justiça, Sérgio Moro, e o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. “Eu não vi nenhuma tendenciosidade contra um partido. Eu vi uma tendenciosidade contra as pessoas que estavam sendo investigadas. É natural que qualquer ser humano se posicione. Essa história de juiz ser neutro. Isso não existe”, disse durante entrevista ao Jornal da Cidade – II Edição, apresentado por José Eduardo, na Rádio Metrópole, nesta quarta-feira (12). A jurista, que prometeu engajar-se na campanha de Jair Bolsonaro à presidência no segundo turno das eleições, no ano passado, ainda ressaltou que enxergou uma preocupação com a investigação por envolver o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Envolvia pessoas importantes, um ex-presidente da República e um político importante. É natural que a prova fosse a mais contundente possível. Para que não abrisse um processo, que fizesse um estardalhaço e não desse em nada”. Na oportunidade, Eliana Calmon defendeu a permanência de Moro no Ministério da Justiça e Segurança Pública. “Não vejo crime. Não vejo contaminação da prova. Não houve trama. Não se forjou. Não se inventou. Apenas estava preocupado para que o processo fosse mais dinâmico”. A ministra também elogiou os desembargadores João Pedro Gebran, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus, que compõem a 8ª Turma Criminal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4). Eles julgaram o recurso do ex-presidente Lula contra a decisão de Moro, no caso do tríplex no Guarujá (SP). “Toda essa prova foi revista por três grandes desembargadores, todo mundo acompanhou o julgamento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Esses desembargares são muito corretos. Essa prova passou pelo Superior Tribunal de Justiça e tudo foi validado”.


VOLTAR