Em “sinuca de bico”, Rui tem até 3 de março para indicar novo chefe do MP-BA » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 21-05-2019 » A Dona do Pedaço | Opinião: Estreia fascina e constrange como as melhores novelas 21-05-2019 » Série da HBO | Fim de Game of Thrones deixa fãs tristes, bravos e ansiosos por mais 21-05-2019 » Reforma da Previdência | Bolsonaro muda o tom e diz que 'valoriza Parlamento' 21-05-2019 » Piloto austríaco | Morre aos 70 anos Niki Lauda, tricampeão mundial de Fórmula 1 21-05-2019 » Rui Costa, da Bahia | Mensalidade em universidade pública não deve ser tabu, diz governador do PT 21-05-2019 » Felipe Francischini (PSL-PR) | Presidente da CCJ da Câmara diz que reforma tributária será votada na quarta-feira 21-05-2019 » Em Barão de Cocais (MG) | Por temor de que trepidações afetem barragem, Vale paralisa trem de carga 21-05-2019 » 'Vocês estão cegos' | Janaina Paschoal diz que deixará bancada do PSL e questiona sanidade de Jair Bolsonaro 21-05-2019 » O dia nos esportes | Abel é alvo de protesto no Flamengo, e Liziero, do SP, tem lesão 21-05-2019 » Marca carioca nega | Loja Três é acusada de racismo, assédio moral e gordofobia 21-05-2019 » Em áudio de Bolsonaro | Chamado de 'inimigo', executivo da Globo vai a evento no Planalto 21-05-2019 » De Globo a Record | Frustradas com Jair Bolsonaro, redes de TV adiam novos projetos 21-05-2019 » Resumo da segunda | Fofoca entre Poderes, barragem ameaçada e mais notícias do dia 21-05-2019 » no Brasileirão | Vasco e Grêmio vão brigar para não cair? Blogueiros opinam 21-05-2019 » Nina Lemos | Namorado que não aceita fim pode te matar 21-05-2019 » Joyce | Onde estão nossas referências? 21-05-2019 » Jairo Bouer | Conhecer riscos não impede uso de anabolizantes 21-05-2019 » Sakamoto | Como governar em uma democracia? 21-05-2019 » Vilarinho | Noiva, veja cuidados para preparar a pele 21-05-2019 » Josias de Souza | E se uma bala perdida do capitão atingir Guedes?
Publicidade
INTERSORFT 100 MEGA
corretora de seguros
24 de fevereiro de 2016

Em “sinuca de bico”, Rui tem até 3 de março para indicar novo chefe do MP-BA

Foto: Urandi Acontece

Foto: Rede Acontece

O governador Rui Costa (PT) está em uma “sinuca de bico”. Na última quarta-feira (17), o gestor estadual recebeu a lista tríplice para indicar o novo procurador-geral da Justiça do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que foi eleita pelos membros do órgão. A lista é composta pelos promotores Pedro Maia, Ediene Lousado e o atual chefe do MP-BA, Márcio Fahel, por ordem de votação. O petista tem até o dia 3 de março para escolher o novo procurador-geral. O desafio de Rui está em conciliar um nome que agrade aos membros do órgão ao passo que não traga desconforto para sua gestão. Por essa lógica, o melhor seria Márcio Fahel, que, durante a sua administração, não teve nenhum conflito com o então governador e atual ministro da Casa Civil, Jaques Wagner (PT), que o indicou para o cargo. O problema reside no fato de Fahel ter ficado em terceiro na lista tríplice e a sua escolha poderia desagradar parte considerável dos membros do MP-BA, que, a rigor, defendem a indicação do primeiro colocado. A atual presidente da Ampeb, Janaína Schuenck, já defendeu publicamente que o governador indique para o cargo de procurador-geral da Justiça o mais votado pela categoria.“O chefe do Executivo tem a prerrogativa de escolher entre os que integram essa lista. […] Mas o que se espera diante de um processo eleitoral amadurecido, com debates de ideias e propostas, é que seja observada a escolha feita pela classe”, destacou. A presidente da Ampeb ainda ressaltou que no âmbito federal os presidentes na última década têm indicado para procurador-geral da República o mais votado pela classe. “A escolha do mais votado enaltece, prestigia a democracia interna, porque os promotores e os procuradores no desenrolar do processo eleitoral observam quais são os candidatos que teriam o melhor perfil para a instituição”, frisou. Em 2010, o então governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), contrariando a vontade dos promotores e procuradores, nomeou o promotor de Justiça Wellington Silva como procurador. Silva ficou em terceiro lugar na lista. Na época, o presidente Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), José Carlos Cosenzo, criticou abertamente a atitude do governador. “Lamentamos que um governador deixe de escolher a primeira mulher na história como Procuradora-Geral de Justiça da Bahia, com reconhecidas qualidades e com expressivo acolhimento da classe. Seus antecessores privilegiaram a democracia, nomeando sempre o candidato mais votado”, disse, referindo-se a promotora Norma Angélica Cavalcanti. O governador sofre um pressão de uma outra parte do MP-BA para que indique Ediene Lousado, já que o órgão jamais teve uma mulher no comando. O nome da promotora tem ganhado força para indicação, porque ficou em segundo na lista e Rui Costa poderia usar este argumento para amenizar as críticas de parte dos membros.


VOLTAR