Estudo comprova que Alzheimer deve ser subdividido em seis grupos » Rede Acontece
Últimas
20-01-2019 » Campeonato Paulista | Na Arena, Corinthians marca no último lance e empata com São Caetano 20-01-2019 » Funcionários fantasmas | Assembleias Legislativas de 16 estados são alvo de investigações 20-01-2019 » Campeonato Carioca | Fla sai atrás após falha de R. Caio, mas vira e bate Bangu por 2 a 1 20-01-2019 » Movimentações atípicas | Caso de Flávio Bolsonaro "não tem nada" a ver com governo, diz Mourão 20-01-2019 » Músico morreu aos 53 | Corpo de Marcelo Yuka é enterrado em cemitério no Rio 20-01-2019 » "Podem ser diferentes" | 1º encontro com aliens será chocante, aposta astrofísico de Harvard 20-01-2019 » istambul basaksehir | Com Robinho, time de 'velhinhos' provoca revolução na Turquia 20-01-2019 » Campeonato Gaúcho | Fora de casa, Grêmio goleia Novo Hamburgo por 4 a 0 em sua estreia 20-01-2019 » Campeonato Mineiro | Ricardo Oliveira brilha, marca 3, e Atlético-MG goleia Boa Esporte por 5 a 0 20-01-2019 » Presidente flexibilizou posse | "Estado não está obrigando ninguém a adquirir armas de fogo", diz delegada 20-01-2019 » Carolina Ligabue conhece elite do país | Ela tuitou traições e bastidores de ricos e famosos e viralizou 20-01-2019 » Nutricionista falou no VivaBem Talks | Luta contra efeito sanfona na dieta? Confira essas 5 dicas de Veronica Laino 20-01-2019 » Queloides inflamadas no corpo | "Levei 16 anos para achar solução para as cicatrizes que me abalavam muito" 20-01-2019 » 'Temos uma cota pessoal' | Deputados do PSL montam estratégia contra parlamentares do PT e PSOL 20-01-2019 » Delação premiada | Palocci diz que Lula pediu R$ 30 mi para Delfim e Bumlai em obra de Belo Monte
Publicidade
9 de dezembro de 2018

Estudo comprova que Alzheimer deve ser subdividido em seis grupos

Foto Reprodução

Após observação de 4 mil pacientes, cientistas da Universidade de Washington, nos EUA, concluíram que o Alzheimer pode ser dividido em seis diferentes grupos, como informa o Viva Bem, do UOL. O estudo, de acordo com os profissionais envolvidos, pode contribuir para tornar o tratamento contra a doença mais eficaz ao utilizar de procedimentos específicos para cada caso. Para chegar nesta conclusão, a equipe de pesquisadores analisou os diferentes desempenhos cognitivos dos pacientes no momento em que foram diagnosticados com a doença. Nestas condições, eles utilizaram de quatro áreas onde foram distribuídos pontuações cognitivas: memória, funcionamento executivo, linguagem e funcionamento visuoespacial. Os seis grupos criados apresentaram variações nos escores dos quatro quesitos, podendo ter equiparado as pontuações de todas ou alcançado um desempenho insatisfatório em uma, duas ou três das quatro áreas. A descoberta, segundo os cientistas, está em fase inicial. Os pesquisadores ponderam quanto as possibilidades de dividir a doença em mais tipos, mas eles acreditam que o estudo está caminhando para a descoberta de tratamentos mais eficazes para o Alzheimer. Eles também não deixam de lado a possibilidade, no futuro, de ser criado um método que garanta a cura dos diagnosticados.


Tags:
VOLTAR