Ex-ministro diz que gestão do PSOL na UFRJ é uma das piores do país » Rede Acontece
Últimas
23-10-2018 » Presidenciável do PSL | Bolsonaro promete R$ 10 bi à ciência e quer astronauta ministro 23-10-2018 » Após fala de Eduardo | Em carta a Celso de Mello, Bolsonaro diz prestigiar STF 23-10-2018 » Candidato do PT | Duas semanas após 1º turno, Marina Silva declara 'voto crítico' em Haddad 23-10-2018 » Marcado para 24 de outubro | TRF-4 nega pedido de Vaccari para adiar julgamento de Palocci 23-10-2018 » 'Marginais vermelhos' | PT anuncia ações contra Bolsonaro por apologia ao crime após discurso 23-10-2018 » Campeonato Brasileiro | Santos marca no fim e empata com Inter por 2 a 2; assista aos gols 23-10-2018 » Ministério do Trabalho | 2017: Salário médio das mulheres cresce mais que de homens 23-10-2018 » Não é só Remy | Relembre mortos que 'ressuscitaram' do autor de Segundo Sol 23-10-2018 » SUVs | Jeep Renegade mudado e novos rivais: como fica o mercado 23-10-2018 » Personalidade forte | Sassá, F. Melo: futebol evolui, mas jogadores indomáveis resistem 23-10-2018 » Papo com o técnico | Renato Gaúcho: Grêmio pode encarar o Real de igual para igual 23-10-2018 » Desfila na SPFW | 'Tento me posicionar de uma forma mais sutil', diz Camila Queiroz 22-10-2018 » Submundo do marketing político | Como opera o mercado ilegal de santinhos virtuais via WhatsApp 22-10-2018 » Mais votado no 1º turno no AM | Wilson Lima tem respaldo de grupo de comunicação e apoia Bolsonaro 22-10-2018 » Opositor do regime morto na Turquia | As versões dadas pela Arábia Saudita até admitir assassinato de jornalista
Publicidade
6 de setembro de 2018

Ex-ministro diz que gestão do PSOL na UFRJ é uma das piores do país

Foto Reprodução

O ex-ministro Mendonça Filho (DEM-PE), que comandou o Ministério da Educação (MEC) de 2016 a abril deste ano, diz que não há mea-culpa a ser feito no caso do incêndio do Museu Nacional, de acordo com colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo.

Ele ataca contra a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que administra a instituição. “Ela é conhecida como uma das universidades mais mal geridas do país. É o modo ‘psolista’ de administrar”, diz Mendonça, referindo-se ao fato de dirigentes da instituição serem ligados ao PSOL “e também ao PSTU e ao PCdoB, a tríplice aliança da incompetência”.

Para publicação, o demista diz que sempre repassou “100% da verba de custeio para a universidade”, além de elevar “a liberação de recursos para investimento. Mas preferiram colocar dinheiro em eventos do MST”.

Procurado pela coluna, o reitor da UFRJ, Roberto Leher, afirma ser “lamentável que o ex-ministro utilize o problema do incêndio no Museu Nacional para fins eleitorais. Mendonça Filho não fez nada para reverter o problema da queda de investimentos nas universidades federais, que foi muito acentuada em sua gestão”.

Ele afirma que o ex-ministro “não dialogava de maneira adequada com as universidades e não foi capaz sequer de responder aos ofícios institucionais da UFRJ”. Leher diz ainda lamentar que Mendonça “desconsidere a natureza republicana que a universidade estabelece com a equipe do atual ministro da Educação, que tem demonstrado estar à altura das responsabilidades” de um gestor da área.


VOLTAR