Ex-muçulmano, pastor diz que postura da Igreja sobre o Estado Islâmico deve ser de “oração” » Rede Acontece
Últimas
20-01-2019 » Campeonato Paulista | Na Arena, Corinthians marca no último lance e empata com São Caetano 20-01-2019 » Funcionários fantasmas | Assembleias Legislativas de 16 estados são alvo de investigações 20-01-2019 » Campeonato Carioca | Fla sai atrás após falha de R. Caio, mas vira e bate Bangu por 2 a 1 20-01-2019 » Movimentações atípicas | Caso de Flávio Bolsonaro "não tem nada" a ver com governo, diz Mourão 20-01-2019 » Músico morreu aos 53 | Corpo de Marcelo Yuka é enterrado em cemitério no Rio 20-01-2019 » "Podem ser diferentes" | 1º encontro com aliens será chocante, aposta astrofísico de Harvard 20-01-2019 » istambul basaksehir | Com Robinho, time de 'velhinhos' provoca revolução na Turquia 20-01-2019 » Campeonato Gaúcho | Fora de casa, Grêmio goleia Novo Hamburgo por 4 a 0 em sua estreia 20-01-2019 » Campeonato Mineiro | Ricardo Oliveira brilha, marca 3, e Atlético-MG goleia Boa Esporte por 5 a 0 20-01-2019 » Presidente flexibilizou posse | "Estado não está obrigando ninguém a adquirir armas de fogo", diz delegada 20-01-2019 » Carolina Ligabue conhece elite do país | Ela tuitou traições e bastidores de ricos e famosos e viralizou 20-01-2019 » Nutricionista falou no VivaBem Talks | Luta contra efeito sanfona na dieta? Confira essas 5 dicas de Veronica Laino 20-01-2019 » Queloides inflamadas no corpo | "Levei 16 anos para achar solução para as cicatrizes que me abalavam muito" 20-01-2019 » 'Temos uma cota pessoal' | Deputados do PSL montam estratégia contra parlamentares do PT e PSOL 20-01-2019 » Delação premiada | Palocci diz que Lula pediu R$ 30 mi para Delfim e Bumlai em obra de Belo Monte
Publicidade
22 de dezembro de 2015

Ex-muçulmano, pastor diz que postura da Igreja sobre o Estado Islâmico deve ser de “oração”

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

O Estado Islâmico alcançou uma posição de ser a preocupação de diversos países e grupos sociais, e um pastor, que se converteu ao Evangelho após abandonar o islamismo, pregou um sermão sobre qual a postura que a Igreja deve tomar a respeito do assunto. No contexto em que como Igreja, todos nós cristãos somos parte da sociedade, o pastor Naeem Fazal, autor do livro “Ex-muçulmano”, ponderou que há apenas uma postura a ser tomada em relação aos grupos terroristas motivados pelo extremismo muçulmano. “Como igreja, temos uma posição para tomar, e nenhuma outra entidade, nenhuma outra organização, clube ou comunidade, pode atuar nessa posição. Nós somos os únicos que podemos tomar esta posição e realmente fazer a diferença”, afirmou Fazal, que é pastor na Mosaic Church, em Charlotte, Carolina do Norte (EUA). “E essa posição não é uma afirmação, ou uma ideia, ou uma solução. A posição é, na verdade, estar de joelhos fisicamente. Porque ninguém está ficando de joelhos. Ninguém mais está pensando dessa forma. Ninguém mais é chamado para fazer isso [orar]”, acrescentou o pastor. O sermão, realizado uma semana após o atentado terrorista em San Bernardino, Califórnia, por um casal de muçulmanos admirador do Estado Islâmico, foi uma resposta ao estado de perplexidade dos fiéis, que o procuraram para saber “o que fazer para evitar outro 11 de setembro”.Sobre esse temor coletivo, Fazal destacou que é importante se manter em oração, como recomenda a Bíblia, e citou a passagem de Daniel 10 para ilustrar a necessidade de ter paz interior para enfrentar os desafios: “A oração nos permite matar algumas coisas”, disse o pastor, incluindo “demônios interiores”, explicou. “Além disso, a oração pode trazer uma paz dentro de si mesma que isso ultrapasse o entendimento […] “colocando o Cristão em proteção sobrenatural”. Ao final, o pastor destacou que “a oração é mais do que uma conversa”, e explicou: “Em Mateus 18, Jesus está dizendo que você tem o poder de oração para acessar e controlar as coisas que você não vê”, e, novamente, ilustrou uma hipótese: “[Através de sua oração Deus pode ] sobrenaturalmente mostrar-se a um homem-bomba e dizer: ‘Você não irá acabar com todas essas pessoas. Seu plano era matar milhares e milhares de pessoas’. É a oração da igreja que tem impedido milhares de mortes que os terroristas haviam planejado”, disse o pastor. Em seu livro “Ex-muçulmano”, Fazal conta seu testemunho de conversão a partir de uma experiência sobrenatural que mudou o curso de sua vida. Paquistanês, ele foi criado no Kuwait e cresceu entre muçulmanos, vivendo a intensidade da Guerra do Golfo. Em 1992, ele imigrou para os Estados Unidos, onde se naturalizou norte-americano e conheceu o Evangelho.


VOLTAR