Existem hoje dez vezes mais crianças obesas do que nos anos 70, diz estudo » Rede Acontece
Últimas
16-07-2018 » No Brasil Império | A história esquecida do 1º barão negro do país, senhor de mil escravos 16-07-2018 » Capítulo final | Bola parada, VAR, fim da posse de bola... Copa vai ditar tendência? 16-07-2018 » Fim da Copa do Mundo | França leva R$ 146 mi por título; veja quanto cada seleção receberá 16-07-2018 » Pode isso, Arnaldo? | Arnaldo Cezar Coelho anuncia aposentadoria como comentarista 16-07-2018 » 'Me fez chorar' | Galvão chama Casão de 'herói' por vencer dependência química 16-07-2018 » TAB #165 - Rádio AM | No Brasil profundo, fãs fervem pilhas e viram 'amigas' de locutores 16-07-2018 » Pelo Twitter, Casillas e Suaréz criticam VAR durante a final da Copa do Mundo da Rússia 16-07-2018 » Apesar de vice, Zagreb tem festa e fogos de artifício em comemoração 16-07-2018 » Missão impossível: repórter do SporTV tenta gravar em meio à festa em Paris 16-07-2018 » Empolgado, Pogba provoca ingleses com 'it's coming home' e se desculpa 16-07-2018 » A internet não perdoa | Não foi só Neymar: os craques que viraram meme na Copa-2018 16-07-2018 » Falha de Cobertura | Humor: Mbappé é tão rápido que não chega nos próprios lances 16-07-2018 » Encontro para final | Croatas em SP sofrem em inesperada decisão de Copa do Mundo 16-07-2018 » Tiradas divertidas | Oito anos após dizer 'ânimo, galera', Petkovic leva 'mau humor' à TV 16-07-2018 » Festa pelo título | Pogba se diz 'louco', e jogadores da França cantam com taça 16-07-2018 » Alvo do Real Madrid? | Mbappé diz que sua permanência no PSG é 100% certa 16-07-2018 » França é bicampeã | Azul é a cor mais quente 16-07-2018 » Vice-campeonato | Governo croata irá premiar cada jogador com R$ 43 mil 16-07-2018 » Presidente comemorou | Podemos nos orgulhar da organização da Copa, diz Putin 16-07-2018 » Discussões na Rússia | Copa escancarou assédios e 'guerra' por liberdade da mulher
Publicidade
lab laboratorio supermercado centrel centro medico sao gabriel clinica master grafica bandeirante intersorft
13 de outubro de 2017

Existem hoje dez vezes mais crianças obesas do que nos anos 70, diz estudo

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Existem hoje dez vezes mais crianças e adolescentes obesos no mundo do que existiam há quatro décadas. É o que mostra um novo estudo liderado pelo Imperial College de Londres e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), divulgado na noite desta terça-feira. Entre 1975 e 2016, o índice de obesos passou de 0,7% para 5,6% entre as meninas, e 0,9% e 7,8% entre meninos. A faixa etária estudada foi de 5 a 19 anos de idade. No total, o número de obesos na infância e na adolescência saltou de 11 milhões para 124 milhões, nesse período. Outros 213 milhões estão com excesso de peso, mas ainda não são considerados obesos. — Nas últimas quatro décadas, as taxas de obesidade em crianças e adolescentes aumentaram em nível mundial e continuam a fazê-lo em países de baixa e média renda. Mais recentemente, esse índice tem estabilizado em países de maior renda, embora os níveis de obesidade permaneçam inaceitavelmente altos — destacou o autor principal do estudo Majid Ezzati, da Escola de Saúde Pública do Imperial College de Londres. De acordo com o relatório, publicado na revista internacional “The Lancet”, se as tendências dos últimos anos continuarem, em 2022 haverá no mundo mais crianças e adolescentes com obesidade do que com desnutrição, abaixo do peso. O relatório vem a público um dia antes do Dia Mundial da Obesidade, lembrado em 11 de outubro. Para realizar a pesquisa, foram avaliadas quase 130 milhões de pessoas de 200 países. Destas, 31,5 milhões têm entre 5 e 19 anos de idade, e 97,4 milhões, mais de 20 anos. Este é o maior número de participantes já envolvidos em um estudo epidemiológico. — Essas tendências preocupantes refletem o impacto do marketing de alimentos em todo o mundo, com alimentos nutritivos saudáveis sendo muito caros para famílias

Veja como é feito cálculo

Para adultos, o sobrepeso é diagnosticado quando o índice de Massa Corporal (IMC) está entre 25 e 30, e a obesidade existe quando o IMC passa dos 30. No entanto, para avaliar o peso de crianças e adolescentes não se pode usar essa ferramenta, porque eles ainda estão em fase de desenvolvimento. Por isso, a OMS tem uma ferramenta técnica chamada de curva de crescimento, que monitora o peso e a altura entre 0 e 19 anos de idade. — Como as crianças estão em fase de crescimento, não há um índice fixo para identificar os pontos de corte de sobrepeso e obesidade, como no caso dos adultos em que um IMC acima de 25 caracteriza a doença. Então, é preciso medir altura e peso da criança para, depois, por meio das curvas, classificarmos a condição como magreza acentuada, magreza, eutrofia, sobrepeso, obesidade ou obesidade grave — explica Maria Julia Miele, nutricionista materno-infantil da plataforma Doctoralia.


VOLTAR