Facebook e Google apresentam código contra 'fake news' » Rede Acontece
Últimas
20-01-2019 » Campeonato Paulista | Na Arena, Corinthians marca no último lance e empata com São Caetano 20-01-2019 » Funcionários fantasmas | Assembleias Legislativas de 16 estados são alvo de investigações 20-01-2019 » Campeonato Carioca | Fla sai atrás após falha de R. Caio, mas vira e bate Bangu por 2 a 1 20-01-2019 » Movimentações atípicas | Caso de Flávio Bolsonaro "não tem nada" a ver com governo, diz Mourão 20-01-2019 » Músico morreu aos 53 | Corpo de Marcelo Yuka é enterrado em cemitério no Rio 20-01-2019 » "Podem ser diferentes" | 1º encontro com aliens será chocante, aposta astrofísico de Harvard 20-01-2019 » istambul basaksehir | Com Robinho, time de 'velhinhos' provoca revolução na Turquia 20-01-2019 » Campeonato Gaúcho | Fora de casa, Grêmio goleia Novo Hamburgo por 4 a 0 em sua estreia 20-01-2019 » Campeonato Mineiro | Ricardo Oliveira brilha, marca 3, e Atlético-MG goleia Boa Esporte por 5 a 0 20-01-2019 » Presidente flexibilizou posse | "Estado não está obrigando ninguém a adquirir armas de fogo", diz delegada 20-01-2019 » Carolina Ligabue conhece elite do país | Ela tuitou traições e bastidores de ricos e famosos e viralizou 20-01-2019 » Nutricionista falou no VivaBem Talks | Luta contra efeito sanfona na dieta? Confira essas 5 dicas de Veronica Laino 20-01-2019 » Queloides inflamadas no corpo | "Levei 16 anos para achar solução para as cicatrizes que me abalavam muito" 20-01-2019 » 'Temos uma cota pessoal' | Deputados do PSL montam estratégia contra parlamentares do PT e PSOL 20-01-2019 » Delação premiada | Palocci diz que Lula pediu R$ 30 mi para Delfim e Bumlai em obra de Belo Monte
Publicidade
27 de setembro de 2018

Facebook e Google apresentam código contra ‘fake news’

Foto Reprodução

O Facebook, Google, Twitter, entre outras associações, apresentaram um código de conduta à Comissão Europeia nesta quarta-feira (26) com uma série de práticas para combater as fake news e a desinformação online. A União Europeia pediu, em abril, que as plataformas da internet efetuassem um plano para combater esses problemas ou, caso contrário, estariam sujeitas a possíveis regulamentações criadas pelo bloco. As empresas se comprometeram em colocar fim ao “clickbait”, conteúdo que chama atenção para o clique, mas não oferece o que foi prometido. As associações querem colocar um fim na ligação entre a publicidade online e os sites que difundem informações falsas. Ainda, para tornar mais transparente a publicidade eleitoral na internet, as redes eliminarão as contas falsas e contas robô das plataformas; ampliarão o acesso dos usuários a diversas fontes de informação, melhorando a visibilidade de conteúdos relevantes; e facilitarão também as denúncias de mentiras. Será consentido, segundo o documento, aos pesquisadores e acadêmicos entrar nos dados das plataformas para monitorar a desinformação online. “Essa é a primeira vez que a indústria concordou voluntariamente com uma série de autorregulamentações para combater a desinformação no mundo”, declarou Mariya Gabriel, comissária de Sociedade Digital da UE. Ela também convidou outras associações a se unirem ao movimento, além de intimar as plataformas a colocarem imediatamente em prática as ações delineadas no código de conduta. A comissária se encontrará com as empresas nas próximas semanas para acompanhar a parte prática do projeto, e uma avaliação da eficácia das medidas será realizada até o fim de 2018. Gabriel lembrou, por fim, que, se os resultados forem insuficientes, a Comissão proporá ações às redes, inclusive regulamentadoras.


VOLTAR