Falta de chuva pode deixar conta luz mais cara até novembro » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 22-07-2019 » Desmatamento no Brasil | Bolsonaro quer embargar dados do Inpe para não ser 'pego de calças curtas' 22-07-2019 » 23 mortos em Osasco em 2013 | PMs condenados por maior chacina de SP são expulsos às vésperas de recurso 22-07-2019 » Sucessão de escândalos e intrigas | Cidade de Alagoas tem os prefeitos afastados desde 2000 por corrupção 22-07-2019 » De Uno a Ford Ka | PitsTop: veja cinco carros que serão futuros clássicos nacionais 22-07-2019 » Minha História | Esquiva relembra: Me disseram 'entregue a droga, não é para você' 22-07-2019 » Projeto de Moro | 'Há uma má vontade com o pacote anticrime', diz relator na Câmara 22-07-2019 » Ela tinha 24 anos | Ex-noivo de Alinne Araújo fala sobre morte dela: 'Tentei de tudo' 22-07-2019 » Confira os modelos | Chevrolet faz recall de Cruze, Tracker e Sonic por falha em airbag 22-07-2019 » Jogador foi ao SBT | Análise: Silvio entra na operação de limpeza da imagem de Neymar 22-07-2019 » Torneio de clubes | Falhas na Copa América deixam Brasil longe do Mundial-2021 22-07-2019 » Aeroporto no estado | Governador da BA não irá a inauguração por atritos com Bolsonaro 22-07-2019 » Tabela do frete | Após governo recuar, caminhoneiros prometem extinguir grupos sobre greve 22-07-2019 » Decreto publicado hoje | Bolsonaro após redução em órgãos: 'Não podemos ficar reféns de conselhos' 22-07-2019 » Desigualdade global | Afetados pela globalização perdem status e se rendem ao populismo na Europa 22-07-2019 » Novo congelamento de gastos | Governo anuncia bloqueio de R$ 1,44 bi e não detalha em que pasta 22-07-2019 » Em 6 meses de governo | 4 em 10 dizem que Bolsonaro não fez nada de positivo, aponta Datafolha 22-07-2019 » Violência após o Gre-Nal | Clubismo é fascismo? Cachecol de colorada agressora gera confusão e debate 22-07-2019 » Reinaldo Azevedo | Moro e Deltan, os valentões, fogem do caso Flávio 22-07-2019 » Pellegrino/Miklos | Tabata Amaral não é Alexandria Ocasio-Cortez 22-07-2019 » Flávio Ricco | Fim do horário de verão irá mexer com ibope?
Publicidade
9 de agosto de 2018

Falta de chuva pode deixar conta luz mais cara até novembro

Foto: Rede Acontece

O diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse hoje (8) que, embora o nível de chuva no Brasil tenha melhorado no mês de agosto, os resultados baixos desde fevereiro não favorecem um bom desempenho para a geração de energia até o fim do período seco, no fim de novembro.

De acordo com Barata, essa condição pode determinar a manutenção da bandeira vermelha na tarifa de energia até novembro. Apesar de dizer que não gosta de comentar uma situação que pertence à seara da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), acrescentou que as previsões não são favoráveis.

“De fato já estamos agora basicamente no meio do período seco e os sinais que temos dos institutos de clima são de que não deve ter mudança nenhuma em relação ao que a gente tem. Devemos continuar com uma primavera seca”, observou, após palestra no evento Brazil Windpower 2018, no Rio de Janeiro. O encontro é organizado pela Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), pelo Conselho Global de Energia Eólica (GWEC) e pelo Grupo CanalEnergia.

Barata acrescentou que ainda assim, conta com a chuva, agora, para reduzir o impacto no futuro. “Essa chuva não penetra e não se transforma em energia. A vantagem é que como ela umidifica o solo, quando chegarmos ao período úmido o solo não estará tão seco e, rapidamente, as chuvas do período úmido se transformam em vazão. Essa é a torcida que a gente tem”, relatou.

O diretor da Aneel Sandoval de Araújo Feitosa Neto afirmou que ainda não é possível assegurar que a bandeira vermelha vai seguir até o fim do período seco, em 30 de novembro. Ele informou que a definição da bandeira segue a metodologia elaborada em uma norma do órgão baseada em avaliação mensal dos reservatórios. Embora reconheça que o ONS tem condições de estimar, com mais antecedência, o tempo de permanência de uma cor para estipular a tarifa de energia, o diretor completou que a partir da análise da Aneel é que a cor da bandeira é determinada.

“Não posso precisar se até o fim do ano a bandeira ficará vermelha. O ONS acompanha e tem maiores informações para antecipar este fato. O que posso dizer é que a definição do patamar da bandeira é feita em norma da Aneel. Somente se verifica a cor da bandeira no momento em questão. Por exemplo, estamos no mês de agosto, a definição da bandeira foi em julho. Ao final de agosto se avaliarão as condições energéticas e se chegará a bandeira de setembro e assim sucessivamente”, afirmou, após participar de um painel no Brazil Windpower.

Com a falta de chuvas, o ONS precisa acionar as usinas térmicas para garantir o abastecimento. Segundo o diretor, atualmente estão sendo despachados, pelo programa, cerca de 13,5 mil a 14 mil megawatts (MW), volume que foi beneficiado pela queda da temperatura nessa semana. “A temperatura caiu, com isso a gente despacha menos térmicas”, apontou.

Segundo Barata, o ONS estima para o final do período seco, em 30 de novembro, chegar na faixa de 18% a 20 % de participação das térmicas no sistema na região Sudeste, mas isso depende das condições da Região Sul. “Se o Sul ficar muito ruim fica no limite inferior de 15% ou 16%”, completou.

O panorama pode mudar se as condições da Região Sul se alterarem com a chegada do El Niño previsto para o fim do ano. “Se, ao contrário, as condições no Sul se modificarem, fala-se na chegada do El Niño no final do ano. El Niño significa chuvas no Sul e reduz a necessidade do Sudeste exportar para o Sul, então, poderemos concluir o ano com umnível maior Sudeste”, disse.

Já no Nordeste, o quadro está diferenciado do ano passado. “Pela estratégia que temos hoje de operação na cascata do São Francisco , nós devemos terminar o ano na faixa de 30%, o que é bem acima do que chegamos no ano passado.


Tags:
VOLTAR