França alerta sobre uso de ibuprofeno e cetoprofeno » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 01-06-2020 » Pandemia de coronavírus | Brasil bate 500 mil casos e torna-se epicentro da covid-19 no mundo 01-06-2020 » Domingo de manifestações | Bolsonaro sobre passeio a cavalo em ato no DF: 'Estarei onde o povo estiver' 01-06-2020 » Manifestações | Confrontos entre atos anti e pró-Bolsonaro marcam domingo tenso no país 01-06-2020 » Bandeira de grupo em ato | Associação entre bolsonaristas e a Ucrânia gera incômodo na Rússia 01-06-2020 » Contrariando Código Penal | Abraham Weintraub teve privilégio ao prestar depoimento dentro de ministério 01-06-2020 » Benefício de R$ 600 | Mais de 27 mil foragidos tiveram auxílio emergencial aprovado, revela TV 01-06-2020 » Nave da SpaceX | Após viagem de 19 horas, astronautas da Nasa chegam à ISS com capsula Dragon 01-06-2020 » Mostrado pela Globo | Youtuber desafia polícia a 200 km/h e diz que velocidade é 'fake' 01-06-2020 » Dados da Anatel | Na quarentena, TV paga perde 55 mil assinantes em abril 01-06-2020 » Perrone | Escapadas de F. Luís e Diego mostram reflexo negativo de treinos 01-06-2020 » Em área nobre de SP | Empresário acusado de violência doméstica xinga e ameaça PM 01-06-2020 » Televisão | Com menos destaque aos atos nos EUA, CNN perde da GloboNews 01-06-2020 » Mauricio Stycer | Cinco situações críticas para o jornalismo em apenas sete dias 01-06-2020 » Suspeita de covid-19 | Ex-juiz Nicolau dos Santos Neto morre aos 91 anos em São Paulo 01-06-2020 » Reprisado na SporTV | 'Quando o BR se acha favorito, é problema', diz Muricy sobre 7 a 1 01-06-2020 » De volta ao Flu | Fred pede volta de T. Silva, e Bittencourt apela para torcida 01-06-2020 » Sobre coronavírus | Como se manter informado sem sofrer 'overdose' de notícias 01-06-2020 » Tinham 19 e 20 anos | Dois ex-jogadores de futsal morrem em acidente de carro no PR 01-06-2020 » Briga entre os poderes | Gilmar: 'Votos não autorizam Bolsonaro a descumprir a Constituição' 01-06-2020 » Caso George Floyd | Motorista avança caminhão contra manifestação antirracista nos EUA
Publicidade
22 de abril de 2019

França alerta sobre uso de ibuprofeno e cetoprofeno

Foto Reprodução

A Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde (ANSM) da França fez uma advertência sobre os riscos do uso das substâncias ibuprofeno e cetoprofeno – medicamentos com função analgésica, antitérmica e anti-inflamatória muito usados no Brasil, indicados para casos de dores musculares, de cabeça, de garganta e de dente e até mesmo cólica menstrual. De acordo com a advertência da agência, esses medicamentos podem agravar infecções durante o tratamento. As recomendações feitas pela entidade serão analisadas por agências similares de outros países integrantes da União Europeia. Por meio de um porta-voz, a ANSM explicou que as autorizações dos medicamentos são feitas para toda a Europa, e não apenas para França. Em junho do ano passado, a entidade abriu uma investigação farmacológica encomendada aos seus centros de Tours e Marselha. Ontem (18), a agência emitiu uma série de recomendações, entre as quais a de dar preferência ao uso do paracetamol, em vez do ibuprofeno e do cetoprofeno, em caso de dor ou febre, sobretudo em casos de infecção como anginas, rinofaringites, otites, tosse, infeção pulmonar, assim como lesões cutâneas ou varicela. A Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde sugere dosagens mínimas e eficazes desses medicamentos, durante o menor tempo possível – interrompendo o tratamento assim que o sintoma desaparecer. Sugere, ainda, que o tratamento não dure mais de três dias, em caso de febre, nem mais de cinco dias, em caso de dor. As recomendações decorrem de um estudo encomendado em junho de 2018 aos centros regionais da ANSM de Tours e Marselha, segundo qual existem infecções que podem ser agravadas com o uso do medicamento. Foram analisados 337 casos de complicações infecciosas graves com ibuprofeno e 49 com cetoprofeno e que estiveram na origem de hospitalizações, sequelas e até mesmo morte. Os casos foram estudados ao longo de um período prolongado, que começou no ano 2000.


VOLTAR