Futuro de Lula dependerá de Dilma, avalia petista » Rede Acontece
Últimas
19-08-2018 » Striptease até de dia | Festa de Barretos tenta vetar sexo ao ar livre em camping 19-08-2018 » "Meus dois esquimós" | Galvão Bueno parabeniza os netos gêmeos nas redes 19-08-2018 » Cachos soltos | Maju muda visual e ganha elogios dos internautas 19-08-2018 » Separados há 20 anos | Aniversário da filha reúne Demi Moore e Bruce Willis 19-08-2018 » Corinthians perde | Loss vê Grêmio mais entrosado e lamenta falta de treino 19-08-2018 » Às 11h | Atlético-PR recebe Fla no maior jogo de 'torcida única' 19-08-2018 » Emagrecimento | Suco de laranja não é vilão e pode ajudar na perda de peso 19-08-2018 » Atriz tem 78 anos | 'Minha doença é não abandonar a cannabis', afirma Maria Gladys 19-08-2018 » Marcelo e Jesus voltam? | Tite telefona para 'esquecidos' e projeta volta até Copa América 19-08-2018 » Proteínas no cérebro protegem | Algumas pessoas podem ser imunes ao Alzheimer, e ciência descobre razão 19-08-2018 » Mentiras que matam gente | Detalhes do 1º caso de repercussão em que notícia falsa tirou uma vida 19-08-2018 » Diva country bota peões para dançar | Com arena de rodeios lotada, Shania Twain levanta Barretos com clássicos 19-08-2018 » Fila para ver mostra polêmica | Queermuseu tem 1º dia com recorde de público, protesto e proibição no RJ 19-08-2018 » O gênio por trás do AliExpress | Como um 'antinerd' tornou o Alibaba uma potência global do comércio 19-08-2018 » Sonho de muita gente | Transformar o hobby em trabalho nem sempre vai deixar você mais feliz 19-08-2018 » Violência no Rio | Vice de Romário é vítima de roubo; suspeitos tinham pistola e fuzil 19-08-2018 » Surpresas e riscos | Catacumba faz das profundezas de Paris quase uma outra cidade 19-08-2018 » Eleições 2018 | Dinastias políticas lançam mais de 60 candidatos 19-08-2018 » Como fica a CLT em 2019 | Conheça propostas dos presidenciáveis para leis do trabalho 19-08-2018 » Momento instável | Vale a pena investir em imóvel agora? Depende do próximo presidente
Publicidade
centro medico sao gabriel lab laboratorio clinica master intersorft
1 de fevereiro de 2016

Futuro de Lula dependerá de Dilma, avalia petista

Foto: Urandi Acontece

Foto: Urandi Acontece

Um aspecto curioso chamou a atenção de pessoas que conversaram com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última semana. Embora tenha entrado na mira da Operação Lava Jato e do Ministério Público Estadual por causa de um apartamento tríplex no Guarujá, Lula só falava de economia, principalmente das expectativas quanto à reunião da presidente Dilma Rousseff com o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, realizada na sexta-feira (29). A alguns destes interlocutores Lula explicou o motivo da fixação com a economia. Ciente dos danos que as suspeitas de envolvimento com empresas investigadas na Lava Jato têm causado à sua imagem, o petista só vê chance de recuperar a reputação em curto ou médio prazo se Dilma corrigir o rumo da economia e chegar ao fim de seu mandato com índices razoáveis de aprovação. Nas palavras de um aliado, “Lula agora está nas mãos da Dilma”. O entorno de Lula avalia que tanto o ex-presidente quanto o PT estão de mãos atadas diante da ofensiva da Lava Jato e do MP paulista contra o petista. A decisão de abrir mão do tríplex no Guarujá seguiu orientações jurídicas e, no entender de assessores do ex-presidente, é absolutamente legal. O PT, por sua vez, não pode fazer mais do que manifestar publicamente solidariedade ao ex-presidente diante do que considera como “agressões”, mas não tem poder real para interferir no processo.Na reunião da Executiva do partido na última terça (26), em Brasília, um grupo de dirigentes defendeu uma resolução política que trouxesse uma defesa explícita de Lula, mas o próprio ex-presidente abriu mão. O desagravo deve ficar para o aniversário do PT, nos dias 26 e 27 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Aliados ofereceram a Lula uma série de alternativas de defesa que passavam de alguma forma pelo Palácio do Planalto. Lula recusou. Segundo pessoas próximas, ele sabe que Dilma vê na Lava Jato a possibilidade de deixar uma marca positiva de seu governo e não está disposto a cruzar esta fronteira. Aliados de Lula empenhados em reverter a situação esbarram em outra barreira: tanto o apartamento do Guarujá quanto o sítio usado pelo petista em Atibaia, cuja reforma teria sido paga pela Odebrecht, são assuntos estritamente pessoais, que nada tem a ver com questões partidárias ou governamentais como foi, por exemplo, o mensalão. Isso aumenta a dificuldade para abordar os temas. Apesar da avalanche de acusações, o entorno de Lula mantém a confiança de que, ao cabo das investigações, o petista sairá limpo. Com isso, parte da erosão seria estancada. O mesmo otimismo não se repete quanto ao governo. Lula e boa parte do PT admitem em conversas reservadas que Dilma não “aprendeu a governar” e ainda age como ministra. Por isso a fixação do ex-presidente com a reunião do Conselhão. Para Lula, seria a chance de Dilma para dar uma guinada na política econômica e aproveitar o arrefecimento do pedido de impeachment para tirar o governo do atoleiro e chegar em 2018 em condições de permitir a Lula possibilidades de voltar ao Palácio do Planalto. Em conversa recente, o petista teria dito a Dilma que ela “precisa ser a presidente e não a ministra”. (BN)


VOLTAR