No Banner to display

02-06-2016

5 dicas para ter relacionamentos mais duradouros

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Manter uma relação, seja namoro ou casamento, não é tarefa fácil. Mas é possível, com algumas dicas, fugir das crises e construir um relacionamento duradouro e sólida. A psicóloga e especialista em análise comportamental, Camila Cury, diretora do Instituto Augusto Cury Cursos, diz que não há soluções mágicas e que é necessário apenas saber as habilidades corretas para educar a emoção e equipar o intelecto, conhecendo os papéis de cada um. “Brigar, gritar, impor ideias em excesso não reflete uma personalidade forte, como muitos pensam, mas, sim, frágil. Falar o que vem à mente, dizer sempre a verdade, nem sempre é a expressão de alguém maduro, mas, sim, de quem não tem autocontrole”, afirma. O que faz uma relação durar mais? Ela ressalta que um relacionamento maduro pressupões que as pessoas aquietem sua ansiedade, protejam quem amam, peçam desculpas sem medo, apontem primeiro o dedo para si mesmas antes de falar dos erros do outro, repensem sua história, exijam menos e se doem mais, sem a necessidade neurótica de mudar quem está ao seu redor. “Nada pode ser tão angustiante quanto construir relações saturadas de atritos, discórdias, cobranças, ansiedade, ciúme, controles, medo da perda e necessidade neurótica de estar sempre certo”, afirma. Além disso, é preciso saber conviver com situações comuns a todos os seres humanos, como decepções imprevisíveis e frustrações inesperadas. “Não há nada tão saudável quanto construir relações sociais fundamentadas em amor inteligente, elogio, apoio, diálogo, tranquilidade, generosidade, investimento em sonhos e reconhecimento de erros”, diz. Veja mais algumas dicas da especialista para fazer a relação durar.
Como ter um relacionamento mais duradouro, saiba mais:
1 – Não avalie o outro pelos seus erros: ‘A maioria das pessoas tem uma tendência a resumir o outro pelo erro, esquecendo-se dos acertos e pautando-se principalmente nas dificuldades. Entender que ninguém oferece ao outro o que não tem para dar e que as pessoas são mais importantes que os seus erros, pode contribuir muito na construção de relações saudáveis’, ensina.
2 – Antes de criticar, faça um elogio: ‘Geralmente, as pessoas expõem o outro acreditando que o constrangimento é importante para gerar mudança, mas acontece o contrário, a pessoa exposta sente-se invadida emocionalmente e pode se fechar a qualquer iniciativa de reflexão e mudança. Elogiar em público e criticar no particular é a melhor técnica para produzir aprendizagem’, afirma.
3 – Cobre menos e abrace mais: ‘Muitos se cobram demais, buscam errar pouco e são altamente preocupados com o que os outros vão pensar de si. Isso é muito importante, mas, se não houver proteção emocional, a maioria acaba se cobrando excessivamente e, consequentemente, cobrando do outro também. Ser tolerante e paciente consigo é fundamental para proporcionar reflexão às outras pessoas e provocar mudanças comportamentais. Doe-se sem reservas, mas, não espere a contrapartida do retorno’, aconselha.
4 – Reconheça seus erros: ‘Antes de exigir mudanças nos outros, devemos buscar mudanças em nós mesmos. E o primeiro passo é reconhecer os erros. Quem acredita que os problemas são sempre do outro, não possui maturidade emocional e pode levar suas dificuldades até o fim da vida, sem reeditar sua história’, diz.
5 – Seja empático, simpático e carismático: ‘Ser empático é colocar-se no lugar do outro, se preocupando pelo interesse e necessidade das pessoas. Ser simpático é expor o que sente pelo outro, compartilhando suas histórias e valorizando a das outras pessoas. Ser carismático é distribuir elogios, demonstrar paciência e amabilidade e destilar sabedoria e afetividade’, finaliza.

No Banner to display

AQUIVO ACONTECE