Igreja distribuirá 240 mil refeições aos pobres no Natal » Rede Acontece
Últimas
17-01-2019 » Inseparáveis | Por que você vai ouvir falar muito de Arielle, a coreógrafa da Anitta 17-01-2019 » Bem além da passarela | 5 lutas compradas por Gisele que a tornaram mais do que modelo 17-01-2019 » Discurso nos EUA; veja | Bolsonaro elogiado por Trump? No contexto, talvez não seja assim 17-01-2019 » Deputada e socialista | Por que Ocasio-Cortez é a mulher mais importante dos EUA? 17-01-2019 » Jack estava internada | Ginasta brasileira que defendeu seleção morre aos 17 anos 17-01-2019 » Sexo sem tabu | 'Com 16 eu tinha cama de casal', diz youtuber Dora Figueiredo 17-01-2019 » Onda de violência no estado | Governador do CE pede a Moro reforço em segurança por reação de facções 17-01-2019 » Grito de carnaval da cidade | Shows do CarnaUOL serão em frente ao sambódromo de SP; veja atrações 17-01-2019 » Mercado financeiro | Bolsa sobe e fecha acima de 95 mil pontos pela 1ª vez; Taurus salta 14% 17-01-2019 » Brecha na segurança | Vazamento na web atinge 800 milhões de e-mails e senhas; veja se foi afetado 17-01-2019 » Educação | Economista que chamou docentes de manipuladores será coordenador do Enem 17-01-2019 » Reforma da previdência | Governo quer restringir acúmulo de pensão com aposentadoria 17-01-2019 » No Fórum de Davos, na Suíça | Guedes apresentará privatizações e Previdência como vitrines do Brasil 17-01-2019 » Senador eleito pelo PSL | MP do Rio usa Coaf como 'atalho' para burlar Justiça, diz Flávio Bolsonaro 17-01-2019 » Liminar parou investigação de Queiroz | Flávio Bolsonaro alega ter foro e pede anulação de provas do Coaf no STF 17-01-2019 » Normal ou cesariana? | Como disputas ideológicas no Brasil chegaram ao parto 17-01-2019 » UOL Líderes | País não sobreviverá sem reformas, diz vice da Microsoft América Latina 17-01-2019 » Celular, isqueiro, cabo USB... | Preso tenta voltar para a cadeia com 62 objetos no estômago em SC
Publicidade
17 de dezembro de 2015

Igreja distribuirá 240 mil refeições aos pobres no Natal

Imagem Divulgação

Imagem Divulgação

A Liquid Church, uma das maiores igrejas não-denominacionais de Nova Jersey, mobilizou um exército de voluntários em suas oito congregações com o objetivo de fazer uma campanha de Natal diferente. Ao todo, foram mais de 2.000 fiéis da igreja unindo-se para ajudar a camada mais pobre da população. Seu objetivo declarado era que todos pudessem “sentir o amor de Cristo durante o Natal”. Cerca de 240.000 refeições foram preparadas e distribuídas em diferentes cidades do Estado. Em média, 120 refeições foram embaladas por cada voluntário. Além de alimentos, eles doarão brinquedos para mais de 1.000 crianças e centenas de casacos de inverno. Nos Estados Unidos é inverno agora. “Nós realmente queremos ajudar as pessoas de maneira concreta e mostrar a compaixão de Cristo. Aí entra o seu coração e não apenas a sua cabeça”, explica o pastor Tim Lucas, que coordena o projeto. O pastor ressalta ainda que este tipo de ação faz parte “do que a igreja é”. “Trabalho comunitário não é um ‘extra’ em nossa igreja, é o centro nervoso de tudo que fazemos”, salienta. Para ele, trata-se de “colocar em prática durante a semana o que aprendemos aos domingos”.Cita ainda o Livro de Tiago: “De que adianta alguém dizer que tem fé, se não tem obras?” (Tg 2:14). Com 4 mil membros, os líderes comemoram que não precisam fazer muito esforço para que os fiéis se envolvam. Recados nos cultos e e-mails para os membros geralmente são suficientes para que os voluntários participem. Na ação de Natal, quase metade dos membros apareceram e alguns trouxeram consigo pessoas que nem frequentam a igreja para ajudar. Questionado por que o nome da Igreja é “líquida”, Lucas diz que a “razão é simples… Jesus Cristo disse que é a Água Viva e nós pensamos que igreja deveria ser um refresco para as pessoas que estão “secas” e “cansadas”. Ao mesmo tempo, “desejamos levar água limpa, que é a nossa principal missão global, a lugares como Ruanda”. Uma referência ao investimento contínuo da igreja na perfuração de poços em lugares onde não há água potável em abundância.


VOLTAR