Indicador mostra alta de 2,6% no consumo de bens da indústria em julho » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 08-08-2020 » Andreza Delgado | Castanhari cumpre papel de instigar o conhecimento 08-08-2020 » José Simão | Era pra acabar com a mamata, não com a mata! 08-08-2020 » Julio Abramczyk | A ciência e a pandemia da covid-19 08-08-2020 » Clodoaldo Silva | Tentando voltar à normalidade 08-08-2020 » Katia Rubio | Corte no Bolsa Atleta afeta milhares de jovens 08-08-2020 » Reinaldo Azevedo | Os vazamentos e o papel da imprensa 08-08-2020 » Fernando Haddad | O julgamento de suspeição de Moro 08-08-2020 » Beatriz Resende | Grupo de risco: a idade como desqualificação 08-08-2020 » Menon | Diniz tem chance de ouro de deslanchar 08-08-2020 » Claudia Costin | Habilidades e conhecimentos na formação 08-08-2020 » Julianna Sofia | Bolsonaro vira refém do auxílio emergencial 08-08-2020 » B. Boghossian | Não será fácil Moro preservar capital político 08-08-2020 » Balaio do Kotscho | Por que Fachin queria tanto ficar na vaga de Teori 08-08-2020 » Dibradoras | O gol inesquecível da Maurine para o Brasil 08-08-2020 » André Santana | Arte negra de educar: 'Frozen' e Yemanjá 08-08-2020 » Nelson Barbosa | Taxa real de juro vem caindo desde os anos 1990 08-08-2020 » M. M. Izidoro | Como nós precisamos cuidar do mundo 08-08-2020 » Sakamoto | Dois entregadores negros e o mesmo racismo 08-08-2020 » Caio Magri | 'Vamos tocar a vida' e as 100 mil vidas perdidas 08-08-2020 » Mari Rodrigues | LGBTI+ são protagonistas de suas histórias
Publicidade
13 de setembro de 2019

Indicador mostra alta de 2,6% no consumo de bens da indústria em julho

Foto Rede Acontece

O Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais, que mede a demanda interna no setor, registrou alta de 2,6% na comparação entre os meses de julho e junho na série com ajuste sazonal. Com esse resultado, que sucedeu um recuo de 0,2% no período anterior, o trimestre terminado em julho encerrou com crescimento de 1,8% na margem. O indicador é definido como a produção industrial doméstica, descontadas as exportações e acrescidas as importações. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), entre os componentes do consumo aparente, enquanto a produção interna não exportada cresceu 1,1% em julho deste ano comparado ao mês anterior, as importações de bens industriais registraram alta de 8,9% no mesmo período. As grandes categorias econômicas, em geral, apresentaram crescimento em relação ao mês de junho, com destaque para bens de consumo duráveis (3,9%) e não duráveis (2,6%). Na comparação com julho de 2018, porém, a queda foi disseminada entre as categorias, com destaque negativo para bens de capital (-2,9%) e duráveis (-3%). De acordo com o Ipea, o bom desempenho das categorias econômicas em julho, em relação ao mês de junho deste ano, se refletiu nas classes de produção, com aumento da demanda interna por bens da indústria de transformação em 2,4% em relação ao mês de junho. A extrativa mineral também cresceu, pelo 3º período consecutivo, com alta de 13,3%. Do total de 22 segmentos, 16 avançaram, com destaque para equipamentos de transportes (23,6%) e metalurgia (18,3%). Na comparação entre julho e o mesmo mês do ano passado, a demanda interna por bens industriais avançou 1,2%. O trimestre terminado em julho mostrou crescimento de 0,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Na variação acumulada em 12 meses, a demanda registrou queda de 1,1%.


VOLTAR