Índices de aprovação de Dilma melhoram, mas avaliação negativa fica em 62,4% » Rede Acontece
Últimas
19-10-2018 » Ao Vivo | Band realiza debate eleitoral em 6 estados e no DF; acompanhe 19-10-2018 » Corrida presidencial | Datafolha: Bolsonaro tem 59%, e Haddad, 41% dos votos válidos 19-10-2018 » Campanha dos presidenciáveis | Pode estar ressentido, diz Haddad de recusa de Ciro 19-10-2018 » Sétimo Guardião vem aí | Realidade é tão terrível que voltei para fantasia, diz Aguinaldo Silva 19-10-2018 » Nega briga política | Marquezine confirma fim de namoro com Neymar: "Decisão dele" 19-10-2018 » Cuidado | Ameaçar a vida e a integridade de alguém nas redes é crime 19-10-2018 » Profissional do game | Longe do futebol, Jean Chera se dedica ao Fifa e jogará Brasileiro 19-10-2018 » 'Lamentável' | Susto e tristeza: como a banda de Roger Waters reagiu às vaias em SP 19-10-2018 » Ainda sem data para começar | Vítimas de pedofilia serão ouvidas em projeto-piloto do Vaticano no Brasil 19-10-2018 » Testemunha relata grito de 'Bolsonaro' | Grupo tenta evitar que travesti seja enterrada como indigente em SP 19-10-2018 » Remédio Vivo | Medicamentos biológicos tratam de câncer a doença viral; entenda 18-10-2018 » Eleições nas redes sociais | Campanha de Bolsonaro notificará empresas e processará Haddad 18-10-2018 » Mais Datafolha nos Estados | No Rio, Witzel tem 61% dos votos válidos 18-10-2018 » Disputa ao Governo de SP | Doria tem 53% e França, 47% dos votos válidos, diz Datafolha 18-10-2018 » Opinião | Justiça não pode duvidar que Ustra foi torturador 18-10-2018 » Caso Bolsonaro seja eleito | Ilan se prepara para deixar BC ao fim do mandato de Temer, segundo fontes
Publicidade
25 de fevereiro de 2016

Índices de aprovação de Dilma melhoram, mas avaliação negativa fica em 62,4%

Foto: Rede Acontece

Foto: Rede Acontece

Os índices de aprovação de Dilma Rousseff melhoraram entre outubro do ano passado e fevereiro deste ano. No entanto, a avaliação negativa do governo da presidente segue alta, passando de 70% para 62,4%. A avaliação positiva da gestão apresentou crescimento de 2,4%, chegando a 11,4%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (24) em pesquisa feita pelo instituto MDA sob encomenda da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Quanto ao desempenho pessoal, 21,8% dos entrevistados aprovaram Dilma Rousseff, contra 15,9% em outubro de 2015. Já o índice de desaprovação do desempenho pessoal passou de 80,7% para 73,9%. O levantamento também indica que 67,8% das pessoas consideram a presidente culpada pelo esquema de corrupção na Petrobras, contra 69,2% na última pesquisa. A melhora no desempenho não se aplica para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre os entrevistados, 70,3% acreditam que ele é culpado pela corrupção na estatal, enquanto em outubro do ano passado o índice era de 68,4%. A pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 136 municípios de 25 estados. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. (BN)


VOLTAR
24 de fevereiro de 2016

Índices de aprovação de Dilma melhoram, mas avaliação negativa fica em 62,4%

FOTO: BRUMADO ACONTECE

FOTO: BRUMADO ACONTECE

Os índices de aprovação de Dilma Rousseff melhoraram entre outubro do ano passado e fevereiro deste ano. No entanto, a avaliação negativa do governo da presidente segue alta, passando de 70% para 62,4%. A avaliação positiva da gestão apresentou crescimento de 2,4%, chegando a 11,4%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (24) em pesquisa feita pelo instituto MDA sob encomenda da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Quanto ao desempenho pessoal, 21,8% dos entrevistados aprovaram Dilma Rousseff, contra 15,9% em outubro de 2015. Já o índice de desaprovação do desempenho pessoal passou de 80,7% para 73,9%. O levantamento também indica que 67,8% das pessoas consideram a presidente culpada pelo esquema de corrupção na Petrobras, contra 69,2% na última pesquisa. A melhora no desempenho não se aplica para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre os entrevistados, 70,3% acreditam que ele é culpado pela corrupção na estatal, enquanto em outubro do ano passado o índice era de 68,4%. A pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 136 municípios de 25 estados. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais


VOLTAR