Irã pede que muçulmanos se unam contra Israel e os EUA » Rede Acontece
Últimas
16-12-2018 » Programa Mais Médicos | Saída de cubanos deixa bairro pobre do Rio sem médicos: Agora, só Jesus 16-12-2018 » Não passe perrengue | Bebidas, remédios, bichos? Veja o que pode trazer do exterior na mala 16-12-2018 » 50 anos de trabalho na Amazônia | 'Perdoei o índio isolado que me flechou no rosto', conta ex-sertanista 16-12-2018 » Alvos da facção em SP | PCC planeja matar deputado da bancada da bala e secretário, diz Gaeco 16-12-2018 » Consumidor é quem ganha | Maior concorrência de fintechs com bancos ajudará juro a cair, diz entidade 16-12-2018 » Novo técnico | Sampaoli cita gringos, brasileiros e pede para Santos 'segurar' saídas 16-12-2018 » Troca de acusações | Jovens pedem comida após sonho frustrado de jogar na Europa 16-12-2018 » 'Nunca tinha apanhado' | Apresentadora lembra de agressões em La Bombonera 16-12-2018 » Questão de identidade | Após saída de Gentil, Globo freia mudanças no Esporte Espetacular 16-12-2018 » Estreia antecipada | Por que Aquaman faz tanto sucesso nos cinemas da China? 16-12-2018 » Citado em relatório do Coaf | Ex-assessor de Flávio Bolsonaro, PM ganhou bônus por coragem 16-12-2018 » Novo governo | Futuro chanceler diz que Maduro não foi convidado para posse de Bolsonaro 16-12-2018 » UOL esteve na cidade | Em Abadiânia (GO), ninguém fala sobre o caso João de Deus 16-12-2018 » 50 anos do Ato Institucional | Produto do AI-5, DOI-Codi foi símbolo da repressão e da tortura na ditadura 16-12-2018 » Impacto da crise econômica no país | Número de passageiros em voos cai ao patamar do início da década
Publicidade
25 de novembro de 2018

Irã pede que muçulmanos se unam contra Israel e os EUA

Foto Reprodução

O presidente do Irã, Hasan Rohani, conclamou neste sábado (24) que os muçulmanos de todo o mundo se unam. Disse ainda que os sauditas são ‘irmãos’ e não têm por que temer Teerã.

Durante a Conferência da Unidade Islâmica, que acontece em Teerã, ele criticou o governo de Donald Trump por ter abandonado em maio o acordo nuclear assinado por Obama de 2015 entre as principais potências mundiais e e Teerã, Rohani insistiu que “O que os Estados Unidos querem hoje é a escravidão”.

Para ele, ao invés de “estender o tapete vermelho para os criminosos”, os governos dos países muçulmanos deveriam se unir contra os Estados Unidos e contra “o câncer da região”, Israel. Mandou ainda um recado à Arábia Saudita, exigindo que o reinado deixe de depender da “insultante” ajuda militar americana.

Em seu discurso, transmitido pela TV estatal, o líder iraniano destacou que “submeter-se ao Ocidente encabeçado pelos EUA seria uma traição contra a nossa religião”. Disse ainda que os muçulmanos precisam “defender-se contra a injustiça e permanecer fiéis ao nosso profeta, ao nosso Alcorão e ao nosso Islã”.

De maioria sunita, a Arábia Saudita compete com o Irã, xiita. Estão de lado opostos nos conflitos na região. Enquanto os sauditas ficam do lado dos americanos nos conflitos na Síria e no Iêmen, os iranianos estão em aliança com a Rússia. Também estão de lados opostos no apoio a grupos políticos no Iraque e no Líbano.

Com informações das agências


VOLTAR