Israel remove minas do vale do Jordão e permite reabertura de local onde Jesus foi batizado » Rede Acontece
Últimas
26-03-2019 » Solto por decisão do TRF-2 | Ex-presidente Michel Temer é solto no Rio após 4 dias de prisão 26-03-2019 » Encontro em Boston | Mourão vai se reunir com imigrantes brasileiros nos EUA 26-03-2019 » Nego Ney | Como funkeiro mirim embala o Fla em fase decisiva da temporada 26-03-2019 » SP e Curitiba | Justiça nega entrada de menores de 10 anos em show de P. McCartney 26-03-2019 » Aposentadoria | Brasileiro vive quase tanto quanto alemão e para 10 anos antes 26-03-2019 » Governador do Rio | Witzel é intimado por dívida de R$ 115 mil com ex-sogra 26-03-2019 » Tríplex do Guarujá (SP) | Lula pede que STJ anule condenação e envie caso à Justiça Eleitoral 26-03-2019 » Conflito pela reforma | Líder do PSL critica articulação do governo na Previdência 26-03-2019 » Ministro da Casa Civil | Onyx encomenda extinção de conselhos participativos do Meio Ambiente 26-03-2019 » Ele diz que vai recorrer | Tribunal afasta ex-ministro Carlos Marun do Conselho de Itaipu 26-03-2019 » Baixa no alto escalão da pasta | Secretária de Educação Básica pede demissão do MEC 26-03-2019 » Chef duas estrelas Michelin | O sonho do restaurante normalmente vira pesadelo, diz Ivan Ralston 26-03-2019 » Barragem da Vale em alerta | Moradores de Barão de Cocais (MG) relatam noites sem sono 26-03-2019 » 'Ele era meu melhor amigo' | Jovem revela como usou o Facebook para avô confessar abuso 26-03-2019 » Amistoso em Praga nesta 3ª | Mauro Cezar: Crédito popular pré-Copa de Tite acabou, e Brasil precisa "performar" 26-03-2019 » Celebração em 31 de março | Bolsonaro determinou "comemorações devidas" do golpe de 1964, diz porta-voz
Publicidade
INTERSORFT 100 MEGA
corretora de seguros
14 de dezembro de 2018

Israel remove minas do vale do Jordão e permite reabertura de local onde Jesus foi batizado

Foto Reprodução

O governo de Israel concluiu uma operação de remoção de minas terrestres e restos de material de guerra do vale do Rio Jordão, na Cisjordânia. As bombas eram resquícios da Guerra dos Seis Dias, e limitavam o acesso à área que se acredita ter sido o local do batismo nas águas de Jesus.

Uma igreja construída na área foi reaberta ao púbico após a conclusão da operação, iniciada no primeiro semestre de 2018. O portal israelense Haaretz informou que uma equipe internacional de desminadores israelenses, palestinos e georgianos, que há anos pretende livrar a área de minas terrestres, conseguiu finalizar a operação.

A região ficou fechada por quase 50 anos, uma vez que as minas terrestres haviam sido instaladas na área em 1968 como forma de impedir atentados terroristas por parte de grupos extremistas palestinos após a Guerra dos Seis Dias.

Várias outras igrejas, apelidadas de “fantasmas“, construídas próximo ao local onde João Batista teria encontrado Jesus para batizá-lo, permanecem fechadas pois somente 50 dos 250 acres (mais de 1 milhão de M²) foram limpos. Apenas o templo Qasr al-Yahud, a igreja etíope, foi oficialmente reinaugurada no domingo, 09 de dezembro.

Os desminadores esperam limpar o terreno de vários outros mosteiros até o final de 2019 e reabri-los ao público também. O coronel Max Nudelman, do Corpo de Engenharia, revelou que mil minas foram removidas, mas pelo menos o dobro continuam enterradas.

O local de batismo de Jesus é tido como um dos lugares mais sagrados para várias tradições cristãs, assim como a Igreja da Natividade em Belém, construída onde se acredita que Jesus nasceu, e a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém, onde o Cristo teria sido sepultado após a crucificação.

Moshe Hillman, da Autoridade de Ação Contra Minas, revelou o que foi encontrado quando o templo foi aberto após a conclusão da remoção das minas terrestres: “Quando abrimos as portas, encontramos um mundo intocado, com cruzes, carrinhos de mão e garrafas de vinho meio


VOLTAR