Itapé: Secretário da Câmara tem assinatura falsificada; Presidente é suspeito » Rede Acontece
Últimas
16-01-2019 » Se diz explorada | Rihanna abre processo contra o próprio pai, Ronald Fenty; entenda 16-01-2019 » Contas | Veja 7 dicas para economizar na compra de material escolar 16-01-2019 » Loterias | Mega acumula e pode pagar R$ 27 milhões na quinta; veja dezenas 16-01-2019 » Copa São Paulo | Figueirense elimina Palmeiras, que mantém jejum na competição 16-01-2019 » Fim de contrato | Acusado de assédio, José Mayer deixa a Globo após 35 anos 16-01-2019 » Medida é considerada ilegal | Sindicatos querem tirar reajuste salarial de quem não pagar contribuição 16-01-2019 » Italiano preso | Bolívia descarta atuação brasileira em captura de Battisti 16-01-2019 » Querem implantar no Brasil | Bancada do PSL vai à China importar sistema que reconhece rostos 16-01-2019 » Ministro da Justiça | Para Moro, críticas indicam que decreto de posse de arma foi "ponderado" 16-01-2019 » Presidência da Câmara | Esquerda não chega a acordo e pode liberar voto de deputados 16-01-2019 » Assinado por Bolsonaro | Decreto frustra defensores de acesso a armas; indústria aprova 16-01-2019 » 1ª visita de chefe de Estado | Macri vem ao Brasil e discute com Bolsonaro Mercosul e Venezuela 16-01-2019 » Antes de tomar posse | Bolsonaro recebeu R$ 33,7 mil de auxílio-mudança da Câmara 16-01-2019 » Combustível feito em um único local | Parada em refinaria da Petrobras deixa aviões agrícolas sem gasolina 16-01-2019 » 'Frankenstein' de 2018 | Misturamos modelos de celulares para criar o 'aparelho dos sonhos' 16-01-2019 » Interpretação de mapa astral | Para de ser doida! Sense Márcia analisa a vida da youtuber Evelyn Regly
Publicidade
7 de julho de 2018

Itapé: Secretário da Câmara tem assinatura falsificada; Presidente é suspeito

Foto: Reprodução

O primeiro secretário da Câmara de Vereadores de Itapé, Cledson Gomes Alves, conhecido como “Pocado” teve a assinatura falsificada em dois cheques da câmara que entraram em uma agência do Banco do Brasil, nos valores de R$ 2.400 e R$ 2,480. Em conversa com o Bahia Notícias, o secretário informou que os cheques retornaram depois que a assinatura não foi reconhecida. “Quando soube que os cheques retornaram pude ver que não se tratava da minha assinatura e diante disso eu fiz uma denuncia no Ministério Publico”, afirmou. O caso segue em apuração para descobrir quem falsificou a assinatura. De acordo com o secretário, as pessoas que estavam com o cheque disseram que receberam a ordem de pagamento do presidente da Câmara, Nilton Rosa Pinto. “Fiquei sabendo através de populares. Eu também solicitei a microfilmagem do banco e através dela pude constatar que realmente havia entrado dois cheques no banco”, contou o secretário.


VOLTAR