Janot diz que planejou matar Gilmar Mendes no STF e depois cometer suicídio » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 04-08-2020 » Após reabertura de templos | Covid-19 dá novo salto em igrejas e atinge bispos ligados ao padre Marcelo 04-08-2020 » Em março de 2019 | Justiça identifica donos de perfis que comemoraram a morte do neto de Lula 04-08-2020 » Prejuízo estimado de R$ 94 mi | PF apreende R$ 3,5 mi em casa de alvo de ação contra suposto desvio nos Correios 04-08-2020 » Após liminar de Fachin | STF forma maioria para manter proibições de ações policiais em favelas do Rio 04-08-2020 » Educação na pandemia | Municípios têm queda orçamentária e falta de dinheiro para volta às aulas 04-08-2020 » Mais um problema para lidar | 'Sim, engordei', diz Valesca. Famosas relatam pressão estética na quarentena 04-08-2020 » Sexo pós-covid | Pandemia antecipou o futuro do sexo, que vai ser ainda mais digital 04-08-2020 » Corinthians e Palmeiras | Oswaldo Brandão, o técnico que supera as rivalidades e se tornou ídolo em times de SP 04-08-2020 » Cura para a covid-19 | Sem supervisão de autoridades, grupo busca sua própria vacina nos EUA 04-08-2020 » Morreu asfixiada no Rio | Suspeito de matar cozinheira na casa dos patrões é preso no Rio de Janeiro 04-08-2020 » Saiu de moratória técnica | Em último dia de prazo, Argentina faz acordo com credores da dívida externa 04-08-2020 » Conexão VivaBem | Cris Guerra: 'Perdi mãe, pai, marido e aprendi que não controlamos a vida' 04-08-2020 » Engavetamento no PR matou 8 | Carreta envolvida em acidente viajava no limite de velocidade, diz empresa 04-08-2020 » Ecoa | Resistência do mangue na Maré simboliza a história da favela no Rio 04-08-2020 » TAB | Bateu tesão na quarentena? É hora de saciar novos desejos no digital 04-08-2020 » Folha de São Paulo | Mulher perde pai e tio com covid-19 em 3 dias no interior de SP 04-08-2020 » Carros | BMW M235i Gran Coupé: mais caro que Série 3, sedã de 306 cv empolga 04-08-2020 » Novo patrocínio | Jequiti conversa com SP para ter perfume de Pato, genro de Silvio 04-08-2020 » 'Errei feio' | Comentarista que fez ofensa racista contra Marinho é demitido 04-08-2020 » Veículos camuflados | Novo SUV de 7 lugares da Jeep e Compass turbo são flagrados
Publicidade
27 de setembro de 2019

Janot diz que planejou matar Gilmar Mendes no STF e depois cometer suicídio

Foto: Reprodução

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot disse na última quinta-feira (26) que foi armado à uma seção do Supremo Tribunal Federal com a intenção de matar Gilmar Mendes. Janot narrou o episódio sem nomear o ministro do STF em livro de memórias que está sendo lançado neste mês e declarou à Folha de S.Paulo que seu alvo era Mendes. À Veja e ao Estadão, ele acrescentou que pretendia se suicidar após cometer o crime. “Não ia ser ameaça não. Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele (Gilmar) e depois me suicidar”, afirmou Janot ao jornal O Estado de S. Paulo. O plano de assassinar Gilmar Mendes se deu por causa de insinuações que ele teria feito sobre sua filha em 2017. “Tenho uma dificuldade enorme de pronunciar o nome desta pessoa”, disse à Folha. Em maio de 2017, quando ainda atuava como procurador-geral da República, Janot pediu a suspeição de Gilmar Mendes em casos relacionados a Eike Batista – o empresário se se tornara alvo da Lava Jato e era defendido pelo escritório de advocacia do qual a mulher do ministro, Guiomar Feitosa Mendes, é sócia. A reação de Mendes, segundo Janot, foi lançar suspeitas sobre a atuação de sua filha, Letícia Ladeira Monteiro de Barros, que é advogada e representara a empreiteira OAS no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). “Num dos momentos de dor aguda, de ira cega, botei uma pistola carregada na cintura e por muito pouco não descarreguei na cabeça de uma autoridade de língua ferina que, em meio àquela algaravia orquestrada pelos investigados, resolvera fazer graça com minha filha”, relata Janot, em seu livro. “Só não houve o gesto extremo porque, no instante decisivo, a mão invisível do bom senso tocou meu ombro e disse: não.” O ex-procurador-geral da República disse, na entrevista concedida à Folha, que seu plano era matar Gilmar Mendes antes do início da sessão no STF. “Na antessala, onde eu o encontraria antes da sessão”, afirmou. Ele afirmou, porém, que não entrou no plenário do tribunal armado. O episódio ocorreu em 2017, perto do fim do seu segundo mandato à frente da Procuradoria-Geral da República, que ele chefiou por quatro anos.


VOLTAR