Juazeiro: Professora assassinada foi executada a mando da ex do companheiro e do pai da suspeita, diz polícia » Rede Acontece
Últimas
24-03-2019 » 1.373 pessoas a bordo | Navio de cruzeiro que estava à deriva chega a porto na Noruega 24-03-2019 » Morto aos 82 anos | Opinião: Domingos Oliveira foi farol de inteligência na arte 24-03-2019 » Passou por 3 países | Sobe para 750 número de mortos após ciclone atingir sul da África 24-03-2019 » Deputado David Miranda | Substituto de Jean Wyllys comemora adoção com marido 24-03-2019 » Reuniu celebridades | Após polêmica, Baile da Vogue se reinventa e dá espaço à diversidade 24-03-2019 » Em meio à crise política | Joice critica colegas do PSL e diz que Congresso é um "zoo sem jaulas" 24-03-2019 » Campeonato Paulista | VAR é aprovado por FPF, mas revolta palmeirenses 24-03-2019 » Baixada Fluminense | Vereador de Japeri (RJ) é encontrado morto em carro 24-03-2019 » Jogo duro de Zak Brown | Chefe da McLaren pede mudanças e cogita saída da equipe da Fórmula 1 24-03-2019 » Articulações para reforma | Bolsonaro recebe líder do governo na Câmara para tratar de "aproximação" 24-03-2019 » Operação que prendeu Temer | Delator diz à PF que empresário detido era próximo a Eunício 24-03-2019 » "Prioridade é Previdência" | Após atritos, Maia exclui pacote anticrime de Moro da agenda da Câmara 24-03-2019 » Eles odeiam os pequenos | Mães contam como a aversão de estranhos a crianças afeta seus filhos 24-03-2019 » Entrevista | "Se você avaliar muito o Brasil, dá uma pirada", diz Bebel Gilberto 24-03-2019 » Método é mais eficiente | Oslo será a primeira cidade a recarregar táxis elétricos pelo ar
Publicidade
corretora de seguros
INTERSORFT 100 MEGA
12 de março de 2019

Juazeiro: Professora assassinada foi executada a mando da ex do companheiro e do pai da suspeita, diz polícia

Foto Reprodução

A professora Élida Márcia de Oliveira, de 32 anos, que foi morta a tiros em Juazeiro, no último mês de fevereiro, foi vítima de execução, e os principais suspeitos de serem os mandantes do crime são a ex do companheiro dela e o pai da mulher. Nesta segunda-feira (11), a delegada Lígia Nunes, que investiga o caso, informou que o crime foi cometido porque a suspeita, identificada como Edvânia Pereira de Morais, não aceitava o fim do relacionamento com Lázaro Pinheiro. Élida foi atingida com cerca de cinco tiros quando estava dentro do carro, com a família, a caminho do trabalho. O companheiro da vítima e a filha do casal, de 2 anos, presenciaram o crime. Na ocasião, o homem ficou ferido com os estilhaços do vidro do veículo. Apesar de ser suspeita de envolvimento no caso, Edvânia ainda não possui mandado de prisão. Entretanto, o pai dela, Edivan Constantino, foi preso no domingo (10), após ser apontado como mandante do crime. Um homem suspeito ter dirigido a moto que transportou o atirador também está preso. Os dois cumprem prisão temporária e devem passar por audiência de custódia nesta segunda-feira. De acordo com a delegada Lígia Nunes, o motociclista confessou ter guiado a moto usada no dia da execução e reconheceu Edivan como mandante. Já o suspeito de ter atirado na professora, identificado como Maicon Neves dos Santos, segue foragido. A delegada detalhou que Edvânia Pereira e Lázaro terminaram o relacionamento em outubro de 2018, mas a mulher não se conformava com o término. Segundo a Polícia Civil, por não aceitar o fim do relacionamento, Edvânia tinha comportamento agressivo e até chegou a desligar a energia da casa do ex-namorado, além de ameaçar a vítima de morte, conforme relataram testemunhas à polícia. Não há detalhes da data em que ocorreram esses episódios. Conforme apontam as investigações, Edivan já respondeu processo por homicídio em Juazeiro e tinha sido visto com uma arma de fogo, ao buscar a filha no local de trabalho, dias antes do crime contra a professora. Não há detalhes do depoimento de Edivan, nem de onde está a arma de fogo vista com o suspeito.A professora Élida Márcia de Oliveira foi morta a tiros na manhã do dia 20 de fevereiro, em Juazeiro, quando estava dentro do carro da família, a caminho do trabalho. O crime ocorreu na porta da casa da vítima, no bairro Alto do Alencar. Segundo a delegada Lígia Nunes, Élida Márcia estava no banco carona, quando uma moto com duas pessoas se aproximou do veículo. Um dos criminosos desceu da motocicleta e atirou contra a professora. Élida morreu no local. O marido da professora foi atingido por estilhaços. Ele foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade e recebeu alta. O corpo da professora foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade. A filha da vítima não foi atingida mas, segundo a delegada, ficou em estado de choque.


Tags:
VOLTAR