Justiça concede liminar aos professores da Uneb e governo tem 72 horas para regularizar os pagamentos » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 21-07-2019 » Jogo de terça é em Mendoza | Palmeiras ficará em Buenos Aires após problema em voo e 10 horas dentro de avião 21-07-2019 » Caso Flordelis | 'Não pode acabar em pizza', diz filho de deputada sobre morte de pastor no RJ 21-07-2019 » Considerados políticos | Exército enquadra tuítes de militares da ativa 21-07-2019 » Novo vazamento de mensagens | Deltan receou comentar caso Flávio e questionou reação de Moro 21-07-2019 » Órgão atacado por Bolsonaro | Após acusação de publicação de dados desonestos, cientistas defendem o Inpe 21-07-2019 » Mentora da lei do feminicídio | 'Quando se tem uma ministra que crê que mulher é inferior, tudo pode acontecer' 21-07-2019 » Na GloboNews | José Roberto Burnier pede licença para se tratar de um câncer 21-07-2019 » De cobertura | Jogador do Fortaleza faz gol contra do meio de campo; assista 21-07-2019 » Agressão no Beira-Rio | STJD vai analisar imagens, e Inter pode ser punido 21-07-2019 » San Diego Comic-Con | Marvel lançará 10 produções até 2021; Portman será Thor 21-07-2019 » Após fala sobre nordestinos | Bolsonaro chama de 'melancia' general que o criticou 21-07-2019 » Ministério ainda não confirma | Em suposto áudio de caminhoneiros, ministro suspende tabela do frete 21-07-2019 » Samuel Pêssoa | Velha esquerda no país morrerá de morte morrida 21-07-2019 » Antônio Prata | Uma mesma palavra e tantos significados 21-07-2019 » Perrone | Hostilidade de palmeirenses não é normal 21-07-2019 » A. Pellegrino | Surfistinha é o pânico de homens como o presidente 21-07-2019 » Reinaldo Azevedo | Por qual crime Bolsonaro será deposto? 21-07-2019 » Diogo Schelp | Por que 'guerra' em Hong Kong continua? 21-07-2019 » Josias de Souza | Língua de Bolsonaro ganhou vida própria 21-07-2019 » Drauzio Varella | Fatalismo deve ser substituído por práticas saudáveis
Publicidade
7 de maio de 2019

Justiça concede liminar aos professores da Uneb e governo tem 72 horas para regularizar os pagamentos

Foto Reprodução

O Tribunal de Justiça da Bahia, na tarde desta segunda-feira (6), concedeu liminar impetrada pela Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb), contra o corte dos salários dos professores em greve, imposto pelo governo do estado. O mandado de segurança Nº 8007856-97.2019.8.05.0000 foi julgado pelo desembargador Edmilson Jatahy Fonseca Júnior. Por respeito aos direitos trabalhistas negados, por maior orçamento às universidades e melhores salários, há 28 dias a categoria docente da Uneb, Uefs, Uesb e Uesc realiza paralisação por tempo indeterminado. De acordo com o documento, o governo do Estado terá 72h para efetuar o pagamento da categoria docente. “Diante do exposto, presentes os pressupostos autorizadores, CONCEDO A MEDIDA LIMINAR para determinar, às autoridades coatoras que procedam, no prazo de 72 horas, o pagamento dos salários do mês de abril de 2019 e eventuais meses subsequentes, em valores devidamente corrigidos e atualizados; bem como que se abstenham de efetuar o desconto dos dias parados, em virtude de deflagração de movimento grevista pelos docentes, efetivos ou temporários, da UNEB. Devem os acionados, ainda, que mantenham e, se for o caso, sucessivamente, restabeleçam o atendimento dos docentes efetivos e temporários, bem como seus dependentes e agregados, conveniados ao

Ato público e audiência na Alba

O movimento grevista das universidades estaduais da Bahia, apoiados por estudantes, ocuparão as ruas do Centro Administrativo da Bahia nesta terça-feira (07/05), com concentração a partir das 8h na Assembleia Legislativa. O protesto reivindicará do governo estadual a reabertura das negociações. No mesmo local, às 11h, acontecerá, na sala José Amando, a audiência pública “O Ensino Superior no Estado da Bahia e os seus desafios”.

Assim como aconteceu no Ato Público do Campo Grande, que reuniu cerca de 1.500 manifestantes, em 25.04, ônibus trarão a comunidade acadêmica dos campi do interior. De acordo a coordenação da Aduneb, a greve ficou ainda mais forte depois que o governo adotou a atitude arbitrária de cortar os salários dos professores. O protesto é legítimo, cumpre todas as recomendações legais e está garantido pela Constituição.

Desde o início da greve (09/04) os docentes, de maneira responsável, buscam o diálogo e o avanço das negociações. A proposta acenada pelo governo, até o momento, foi considerada insatisfatória pelas assembleias docentes das quatro universidades estaduais. Sobre os direitos trabalhistas, desrespeitados desde o final de 2015, a proposta não contempla todas as promoções necessárias à Uneb e Uesb. Apenas na Uneb cerca de 400 docentes aguardam na fila das promoções. Quanto às alterações de regime de trabalho, existe apenas um comprometimento verbal de analisar o assunto.


Tags:
VOLTAR