Justiça Federal na Bahia nega aposentadoria por invalidez a jovem com deficiência auditiva » Rede Acontece
Últimas
18-01-2019 » Caso Daniel | Âncora acusado de fake news por família Brittes é chamado a depor 18-01-2019 » Questão de higiene | Tem problema ter lixo na pia ou aumenta risco de bactérias? 18-01-2019 » Jack estava internada | Ginasta brasileira que defendeu seleção morre aos 17 anos 18-01-2019 » Defensora dos animais | Luisa Mell: 'Pode ter mulher agredida onde tem bicho apanhando' 18-01-2019 » Acordo com pai dela | Felipe Neto pagará 'acompanhamento psicológico' a Melody 18-01-2019 » Exclusivo | Funcionária que disparou WhatsApp para Bolsonaro ganha cargo no Planalto 18-01-2019 » Investigação contra Queiroz | Ministro do STF afirma que pedido de Flávio foi 'confissão de culpa' 18-01-2019 » Ex-ministro de Temer | Bolsonaro escolhe general Silva e Luna para ser o diretor-geral de Itaipu 18-01-2019 » Medidas econômicas | Auxílio-reclusão e pensão por morte vão passar por pente-fino; entenda 18-01-2019 » Educação | Governo suspende nomeação de diretor para coordenar Enem 18-01-2019 » Relações com o país vizinho | Bolsonaro cita PT e diz que Brasil tem culpa em crise na Venezuela 18-01-2019 » Atacante do Santos | Fla encaminha acerto com Bruno Henrique por R$ 23 milhões 18-01-2019 » Copa São Paulo | SP bate Cruzeiro nos pênaltis e pega Guarani na semifinal 18-01-2019 » Ex-comandante do Exército | Símbolo de superação, Villas Bôas traz voz moderada ao Planalto 18-01-2019 » Para descobrir o que têm | Pessoas com doenças misteriosas buscam 'detetives' nos EUA 18-01-2019 » Salão de Detroit | Nissan revela que futuro Versa será 'surpreendente como o Kicks'
Publicidade
31 de julho de 2018

Justiça Federal na Bahia nega aposentadoria por invalidez a jovem com deficiência auditiva

Foto: Reprodução

Justiça Federal na Bahia nega aposentadoria por invalidez a jovem com deficiência auditiva
A Câmara Regional Previdenciária da Bahia (CPR-BA) negou o pedido de aposentadoria por invalidez a um jovem de 26 anos com deficiência auditiva. A Câmara acatou parcialmente o pedido INSS para conceder auxílio-doença e não aposentadoria por invalidez ao autor da ação. Ficou entendido que a parte autora ainda pode trabalhar, a partir de uma reabilitação. Em 1º Grau, a Justiça Federal na Bahia havia obrigado o INSS a aposentar por invalidez o autor da demanda. O INSS recorreu da decisão. Ao analisar o caso, o relator, juiz federal Cristiano Miranda de Santana, destacou que é inviável a concessão da aposentadoria por invalidez, pois o laudo pericial informa que a parte autora é portadora de perda auditiva bilateral, encontrando-se incapacitada para sua atividade habitual de auxiliar de produção e aquelas que exijam o sentido da audição, pelo grau de rebaixamento desse sentido. Entretanto, o perito pontou que há possibilidade de reabilitação para outras atividades que possibilitem o uso dos sentidos da visão e tato. Por tal razão, a Câmara entendeu que o caso é para concessão de auxílio-doença, sendo precipitada a concessão da aposentadoria por invalidez. “Desse modo, a sentença merece parcial reforma, pois a parte autora não faz jus à aposentadoria por invalidez, ante a ausência dos pressupostos para sua concessão, sendo devido o auxílio-doença a partir do dia imediato à cessação do benefício na esfera administrativa”, finalizou o relator.


VOLTAR