Kátia Abreu defende desistência de Haddad e substituição por Ciro Gomes » Rede Acontece
Últimas
19-10-2018 » 2º turno em SP | Por apoio a França, prefeitos saem do PSDB em São Paulo 19-10-2018 » Denúncias de eleitores | Vídeos com urna que autocompleta voto a presidente são falsos 19-10-2018 » Denúncia na campanha presidencial | Disparo de mensagens contra o PT no WhatsApp constrange o TSE 19-10-2018 » Mais eleições nas redes | Candidatos declaram gasto de R$ 3 milhões com WhatsApp 19-10-2018 » Pesquisa Datafolha | Eleitores de esquerda ampliam vantagem de Bolsonaro 19-10-2018 » Em boate de Barcelona | Após dispensar Bruna, Neymar Jr. é flagrado com ex-namorada 19-10-2018 » 'Quase híbrido' | Mercedes Classe C ficará mais caro por pegadinha do IPI 19-10-2018 » Jogadora de vôlei | 'Só está rolando reclamação porque eu sou boa', diz Tifanny 19-10-2018 » Veja quem oferece | Chave inteligente cobra até R$ 6 mil para abrir, ligar e estacionar carro 19-10-2018 » Nega briga política | Marquezine confirma fim de namoro com Neymar: "Decisão dele" 19-10-2018 » Destruiu placa de Marielle | Mais votado para Alerj quer PSL na Comissão de Direitos Humanos 19-10-2018 » Brasileirão | Corinthians liga alerta sobre rebaixamento, mas risco é tão alto? 19-10-2018 » França e Doria disputam governo | 'Crau', Bolsonaro 'coitado' e bronca do mediador: as frases do debate em SP 19-10-2018 » Previsão de chegada é 2025 | Europa e Japão lançam sua 1ª missão com a meta de explorar Mercúrio 19-10-2018 » R$ 6,7 milhões | BNDES libera verba para fazer rede de recarga de carros elétricos no país
Publicidade
11 de outubro de 2018

Kátia Abreu defende desistência de Haddad e substituição por Ciro Gomes

Foto Reprodução

A candidata a vice-presidente de Ciro Gomes, senadora Kátia Abreu (PDT-TO), declarou nesta quarta-feira (10) posição de neutralidade na disputa presidencial e defendeu a desistência de Fernando Haddad, do PT.

Segundo ela, o artigo 77 da Constituição Federal estabelece que em caso de desistência de um candidato, antes da realização do segundo turno, será convocado o de maior votação no primeiro turno.

Neste cenário, Haddad seria substituído por Ciro, que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, o que, na avaliação de Kátia, seria a única forma do campo de esquerda derrotar o candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

“Eu não estou falando pelo partido, mas não estranharia se por acaso ele [Haddad] desistisse, vendo que pode entregar o país para um fascismo religioso. A lei é clara: se ele renunciar, Ciro é o único capaz de vencer Bolsonaro”, disse.

A senadora elogiou o trabalho de Haddad como ministro da Educação, mas avaliou que ele não está preparado para ser candidato a Presidente após ter perdido em 2016 a reeleição para a prefeitura de São Paulo.

“Eu acho que dois anos não é tempo suficiente para ele conseguir uma performance para governar o país”, disse.

A alternativa foi citada em reunião da executiva nacional do PDT, nesta quarta-feira (10), na presença de Ciro.

A possibilidade legal foi citada pelo deputado federal eleito Túlio Gadelha (PDT-PE).

A cúpula nacional da legenda, contudo, afastou a hipótese, considerando que dificilmente o PT aceitaria abrir mão da candidatura presidencial, mesmo que tivesse a certeza do risco de uma derrota.


VOLTAR