Manifestantes protestam contra aumento de combustíveis em Paris » Rede Acontece
Últimas
22-02-2019 » Desastre em Brumadinho (MG) | Corpo é achado em almoxarifado, e nº de mortos vai a 176 22-02-2019 » Mudanças na Previdência | Como nova proposta para a reforma da Previdência pode afetar as mulheres 22-02-2019 » Criminalização da homofobia | Quem tem coração vê discriminação a LGBTs, diz Barroso ao votar no STF 22-02-2019 » Módulo Beresheet | Nave privada israelense está a caminho para tentar pouso na Lua 22-02-2019 » Fábrica vai fechar | Papel de Doria não é ser corretor de imóveis da Ford, diz sindicato 22-02-2019 » Por R$ 51 milhões | Palmeiras encaminha venda de Deyverson para time chinês 22-02-2019 » Em São Paulo | Covas decide desativar Minhocão e fazer parque suspenso 22-02-2019 » Custeará VAR | CBF anuncia Supercopa e restringe trocas de técnicos 22-02-2019 » Crise no país vizinho | Bolsonaro mantém envio de ajuda à Venezuela apesar de bloqueio 22-02-2019 » Dificuldades se acumulam no país | Relembre 6 momentos que explicam a crise que assola a Venezuela 22-02-2019 » Paulo Sérgio Pinheiro | Ex-ministro: Discurso violento de líderes cria clima de 'liberou geral' 22-02-2019 » Material enviado a todos franqueados | Escolinha de Ronaldo sugere publicidade infantil e mentir aos pais em guia 22-02-2019 » Investigação do MP e MPF | SP teve pelo menos 60 candidatas laranjas nas eleições de 2018 22-02-2019 » Múltiplas fraturas na face | Mulher espancada por 4 horas no Rio terá alta nesta sexta 21-02-2019 » Caso Del Nero | Palmeiras pode ser rebaixado? Falta de notificação da Fifa alivia clube 21-02-2019 » Carmen Flores não foi eleita | Candidata de Bolsonaro no RS repassou verba pública a filha e neta
Publicidade
25 de novembro de 2018

Manifestantes protestam contra aumento de combustíveis em Paris

Foto Reprodução

Milhares de pessoas foram às ruas em Paris para se manifestar contra o aumento de combustíveis. Chamados de “coletes amarelos”, eles tentavam se aproximar do Palácio do Eliseu, residência do presidente Emmanuel Macron.

As forças de segurança lançaram gás lacrimogêneo e usaram um canhão de água para conter o avanço dos manifestantes que tentavam ultrapassar o perímetro de segurança determinado pela polícia. Os manifestantes gritam palavras de ordem e carregam cartazes pedindo a renúncia do presidente Macron.

As autoridades tinham proibido a concentração nos arredores do Eliseu e indicaram o Campo de Marte, situado em frente à Torre Eiffel, como local permitido para a manifestação.

Os representantes do movimento, que começou como protesto contra a alta dos impostos sobre os combustíveis, mas que vem se diversificando com o passar dos dias, rejeitaram esse ponto de concentração e pediram aos manifestantes que se aproximassem da residência oficial.

Os “coletes amarelos” atiraram mobiliário urbano contra os agentes que tinham estabelecido um cordão de segurança.

Para as autoridades, facções de extrema-direita podem ter se infiltrado entre os manifestantes para radicalizar o movimento.

Segundo dados preliminares do Ministério do Interior, cerca de 3 mil “coletes amarelos” se concentraram na capital francesa, a maior parte deles na Champs-Élysées e nos limites da Praça da Concórdia, que dá acesso à residência presidencial.

No restante do país, protestos mantêm os bloqueios de centros logísticos e estradas iniciados há uma semana, mas com menos intensidade que no sábado passado, quando eram estimados quase 300 mil manifestantes. Com informações das agências EFE e Brasil.


VOLTAR