Médica que faria eutanásia na Suíça se casa e volta a querer viver » Rede Acontece
Últimas
22-09-2018 » Aéreas facilitam stopover | Saiba como viajar mais sem perder muito tempo no aeroporto 22-09-2018 » Candidata à Câmara | PM que matou ladrão diz: quem é de bem não mata a rodo 22-09-2018 » Atividade física | Após 40, foque na musculação e nos exercícios funcionais 22-09-2018 » Avaliação | Novo VW Jetta fica mais "tiozão" para enfrentar Corolla 22-09-2018 » Por carreira | Mais brasileiras congelam óvulo para adiar maternidade 22-09-2018 » Segundo estudo | Não existe nível seguro de consumo de álcool 22-09-2018 » Carlos Fernando dos Santos | Para procurador, Lava Jato teve mais apoio enquanto o PT era o principal alvo 22-09-2018 » Presidenciável pelo PSL | Na 1ª entrevista após o atentado, Jair Bolsonaro defende Paulo Guedes 22-09-2018 » Quadro inverso ao de 2014 | Recursos públicos bancam 82% das campanhas eleitorais 22-09-2018 » Ibope | Sartori lidera com 31% para o governo do RS; Leite, em 2º, tem 26% 22-09-2018 » Corrida presidencial | Alckmin elogia a carta de FHC, mas diz que não seguirá sugestão 22-09-2018 » Checagem de informações | Jean Wyllys não tem convite para ser ministro de Haddad 22-09-2018 » Mais eleições | Democracia deve ser protegida em qualquer resultado, diz Barroso 21-09-2018 » Em Campinas (SP) | Acelerador de partícula terá R$ 70 milhões para '1ª volta' de elétrons 21-09-2018 » Antes da fama | Youtubers de finanças pessoais contam como já perderam dinheiro 21-09-2018 » Dúvida de muitos | 11 razões que explicam por que urna eletrônica não mudará seu voto 21-09-2018 » Cultura pop abraçou | Tesla caiu nas graças de rappers e isso é bom para os carros elétricos 21-09-2018 » Presidente do Real | 'Ninguém deu mais de 100 milhões de euros por CR7', diz Florentino 21-09-2018 » Rechaço a ação de neopentecostais | Contra apoio a Bolsonaro, evangélicos lançam carta defendendo Estado laico 21-09-2018 » Cortado do Itamaraty por agressão | Ele não parará enquanto não matar alguém, diz ex de diplomata demitido
Publicidade
10 de julho de 2018

Médica que faria eutanásia na Suíça se casa e volta a querer viver

Foto: Reprodução

A vida de médica de Cuiabá que chegou cogitar viajar para a Suíça para fazer eutanásia mudou completamente desde que sua história foi divulgada na imprensa. Letícia Franco, de 37 anos, desistiu da morte assistida, passou a fazer um novo tratamento para a síndrome Asia e se casou. A enfermidade rara que a mulher sofre é incurável, autoimune e está ligada ao acúmulo de alumínio ou uso de próteses de silicone no corpo.

O paciente com a síndrome sofre fortes dores. Uma médica de São Paulo, Maria Emília Gadelha Serra, se sensibilizou com a história da médica e ofereceu a ela um novo tratamento, a terapia de ozônio. O procedimento oferece mais qualidade de vida aos enfermos.

“Ela me falou sobre a ozonoterapia, que poderia aliviar a dor, dar mais qualidade de vida, mais ânimo, e perguntou se eu não gostaria de tentar ir para São Paulo fazer”, conta Letícia, em entrevista ao site O Livre. O preço do tratamento chegou a assustar a paciente de início, mas Maria Emília abriu mão de pagamento para ajudá-la.

“Eu abri o jogo com ela [a médica Maria Emília], falei: ‘doutora, eu agradeço muito, mas infelizmente eu não tenho dinheiro, só uma parte do tratamento custa mais de R$ 100 mil e tem que fazer a vida inteira’. E ela falou: ‘não, Letícia, eu vi seu caso, eu li sobre você, vi seus trabalhos, você é muito parecida comigo, gosta de ajudar as pessoas, eu quero dar o tratamento para você’”, contou Letícia.

A história da médica também fez voltar à sua vida um antigo amor: Guilherme Viñe, 30 anos, era um ex-namorado de Letícia que acabou retomando contato. A aproximação deu certo: o casal fez união civil e pretende se casar na igreja em breve. “A gente foi ficando mais junto, ele me alegrando, não fui sentindo mais dor. Todo dia ele me faz rir, quando estou na companhia dele, eu me esqueço que estou doente”, comemora Letícia.


Tags:
VOLTAR