Michel Temer cogita usar TV para fazer defesa da Lava Jato » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 23-01-2020 » Conflito com saque do FGTS | Seguro-desemprego sairá uma vez por semana para escapar de falha em sistema 23-01-2020 » No Rio de Janeiro | Cedae vai retomar obra engavetada por 10 anos que evitaria crise da água 23-01-2020 » "Birkin Boy" | Com R$ 500 mil em bolsas de grife, brasileiro vive como VIP na Inglaterra 23-01-2020 » Você conhece a 'gastronomia social'? | 'Quem manda no restaurante são moradores de rua', diz chef 23-01-2020 » Para voo doméstico | Poltrona de couro, tomada USB: UOL voou no novo maior avião da Azul 23-01-2020 » Mercado financeiro | Bolsa bate recorde e ultrapassa 119 mil pontos; dólar recua a R$ 4,167 23-01-2020 » Tribunal questiona medida | Para driblar TCU, governo pode ceder militares ao INSS em vez de contratar 23-01-2020 » Viagem do presidente | Bolsonaro e Modi se reúnem na Índia por alívio de crises domésticas 23-01-2020 » Grupo é pró-reforma | MBL faz lobby por setor de serviços contra alíquota única na PEC tributária 23-01-2020 » Educação | Falhas em duas etapas de verificação causaram erros no Enem, diz gráfica 23-01-2020 » Convidada para Cultura | Governo banca despesa de Regina em Brasília e se recusa a informar valores 23-01-2020 » Economia | Governo prevê aprovação de 'pacotaço' de Guedes no primeiro semestre 23-01-2020 » Nomeado por Augusto Aras | Coordenador da Lava Jato na PGR deixa o cargo e é substituído por subprocuradora 23-01-2020 » Prevenção contra lavagem de dinheiro | Vereadores e deputados estaduais passam a ser monitorados pelo BC 23-01-2020 » Jim Lehrer | Ícone de debates presidenciais nos EUA, jornalista morre aos 85 23-01-2020 » Análise | Bom Sucesso termina com morte de Alberto, e audiência surpreende 23-01-2020 » Flávio Ricco | Band perde mais um nome para a CNN Brasil: Carol Nogueira 23-01-2020 » No México | Homem encontra mãos em caixa encontrada em loja de ferragens 23-01-2020 » Contra a precariedade | França: enfermeiros em greve fazem vídeo seminus em protesto 23-01-2020 » Fora de SP | Lollapalooza 2020: City and Colour, Mika e Masego farão sideshows
Publicidade
9 de maio de 2016

Michel Temer cogita usar TV para fazer defesa da Lava Jato

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Muito tem se falado que o vice-presidente Michel Temer (PMDB) chegando ao poder com o afastamento de Dilma, uma das consequências será o enfraquecimento da Lava Jato, que investiga o crime de corrupçao na Petrobras e tem peemedebistas envolvidos, incluindo citação ao próprio político. Na tentativa de desconstruir essa tese, Temer cogista fazer seu primeiro pronunciamento à nação como presidente, após o Senado decidir sobre o provável impeachment da presidente Dilma Rousseff, garantindo a “blindagem” da operação contra eventuais pressões políticas. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, interlocutores do vice afirmam que o objetivo é tratar a Lava Jato não só como a maior ação de combate à corrupção no país, mas como um “patrimônio nacional” que precisa ser preservado e ter autonomia para prosseguir com suas apurações. A intenção com o gesto é tentar manter uma base de sustentação popular à sua gestão. Temer discutiu neste domingo (8), em São Paulo, com o publicitário do PMDB, Elsinho Mouco, a convocação de uma rede de rádio e TV para se apresentar para o país. Uma das ideias em discussão é que ele, tão logo assuma, faça o pronunciamento de quatro minutos no qual incluirá o compromisso do novo governo com a continuidade da Lava Jato. Após a conversa com o publicitário, Temer retornou a Brasília no fim da tarde, para uma série de reuniões com o núcleo de colaboradores que formará a base de seu governo.O primeiro a chegar ao Palácio do Jaburu, nove minutos depois do anfitrião, foi Henrique Meirelles, que vai assumir o Ministério da Fazenda no provável governo peemedebista. Depois vieram Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), Romero Jucá (Planejamento) e Moreira Franco (ações de infraestrutura). Sob o risco de iniciar a gestão com o Ministério incompleto, Temer deverá optar pelo secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, para o Ministério da Justiça, cargo considerado chave de um governo que terá de acompanhar com lupa os desdobramentos das ações judiciais que investigam corrupção em órgãos públicos. Moraes é o quarto nome da lista de opções para o cargo – os “notáveis” ex-presidentes do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto e Carlos Velloso declinaram de sondagens e, depois, a opção por Antonio Claudio Mariz de Oliveira acabou sendo descartada.


VOLTAR