Ministério Público pede 7 anos de prisão para Geddel » Rede Acontece
Últimas
14-08-2018 » Vice de Lula na chapa do PT | Haddad cobra apoio de Ciro à sua participação em debates eleitorais 14-08-2018 » Novo design e mais segurança | Honda Civic ganha facelift nos EUA; Brasil deve ter novidades em 2019 14-08-2018 » Raio-x e acelerador de partículas | Cientistas do Brasil criam técnica para observar neurônios em 3D 14-08-2018 » 'Eles vão tentar me matar' | Cabo Daciolo vai a monte jejuar, ataca Illuminati e se compara a Enéas 14-08-2018 » Pesou no Photoshop? | Foto de Ciro Gomes com a vice Kátia Abreu vira meme na Internet 14-08-2018 » Duas notas que se tornaram ofensa | A história do "fiu-fiu" e por que ele pode estar prestes a ser aposentado 14-08-2018 » Brasileirão | Inter bate Flu por 3 a 0 em pleno Maracanã; assista aos gols 14-08-2018 » Bake Off Brasil | SBT tentou contratar Evaristo Costa para reality 14-08-2018 » gênia inglesa | Menina de 3 anos tem QI mais alto do que o de Einstein 14-08-2018 » estreou há um mês | Fracasso de grade da GloboNews preocupa equipes 14-08-2018 » solteira de novo | Mariana Goldfarb diz que seu maior desejo é ser mãe 14-08-2018 » Funcionária fantasma em Angra | Após flagra, Bolsonaro demite assessora no RJ 14-08-2018 » participações especiais | Por que Fátima Bernardes é a rainha das novelas da Globo? 14-08-2018 » Troca de comando | Candidato inelegível deveria devolver verba, diz Fux ao deixar TSE 14-08-2018 » INSS fez pente-fino | 80% dos auxílios-doença revisados são cancelados 14-08-2018 » Em 10 anos | Mais da metade dos brasileiros do Shakhtar chegou à seleção 14-08-2018 » TAB #169 - O país de toga | Governo e Congresso sem moral criam 'superpoder' judiciário 13-08-2018 » Economia | Com crise na Turquia, dólar fecha em alta e encosta em R$ 3,90 13-08-2018 » Ex-ministros de governos petistas | Moro torna Mantega réu na Lava Jato, mas recusa denúncia contra Palocci 13-08-2018 » novo estudo | Google rastreia localização até quando função está desativada
Publicidade
intersorft clinica master centro medico sao gabriel lab laboratorio supermercado centrel grafica bandeirante
10 de fevereiro de 2018

Ministério Público pede 7 anos de prisão para Geddel

Foto Brumado Acontece

Foto Brumado Acontece

O Ministério Público Federal (MPF) pediu hoje (9) à Justiça Federal a condenação do ex-ministro Geddel Vieira Lima a 7 anos de prisão pelo crime de embaraço às investigações das operações da Polícia Federal (PF) Cui Bono e Sépsis, que apuram desvios na Caixa Econômica Federal (CEF). Em alegações finais, última fase da ação penal na qual Geddel é réu, os procuradores responsáveis pelo caso afirmam que o ex-ministro tentou evitar a delação premiada do empresário Lúcio Funaro, operador financeiro do suposto esquema de corrupção.No entendimento do MPF, Geddel atuou para constranger Funaro, telefonando por diversas vezes para a esposa dele, Raquel Pitta, quando o operador já estava preso, com objetivo de convencê-lo a não se tornar um delator.“Dessa forma, era incutida em Lúcio Funaro a apreensão e o temor por represálias, para que não colaborasse espontaneamente com as investigações, causando, portanto, embaraço a investigação de crimes praticados por organização criminosa no âmbito da CEF”, argumentam os procuradores.Em depoimento prestado nessa semana ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, onde corre o processo, Geddel voltou a negar que tenha tentado amedrontar Funaro. Segundo ele, seus telefonemas eram para manifestar solidariedade à família do operador financeiro detido, para que não se sentissem isolados.“Falei algumas vezes com a senhora [Raquel]. Posso dizer que esses telefonemas amigáveis devem ter lhe feito bem”, comentou o ex-ministro, comparando a situação de Raquel Pitta à de sua própria família após ele próprio ter sido preso. “Amigos de longa data me lançaram ao degredo, ao Vale dos Leprosos”, queixou-se Geddel, que não respondeu às perguntas feitas pelos procuradores, por orientação da defesa.Após as alegações finais da defesa do ex-ministro, o processo estará pronto para a sentença do magistrado. Geddel está preso desde o dia 8 de setembro do ano passado em função de outra investigação, a que trata da origem de R$ 51 milhões encontrados no apartamento de um amigo do político, em Salvador.Segundo a Polícia Federal, parte do dinheiro seria resultante de um esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da instituição.


VOLTAR