MPF pede suspensão do decreto de armas de Bolsonaro » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 23-05-2019 » Copa do Brasil | Bahia surpreende, vence SP por 1 a 0 no Morumbi e larga na frente 23-05-2019 » O dia nos esportes | Armero é dispensado, Corinthians freta jato e Fifa define sobre Copa 23-05-2019 » Antes de julgamento | STF tem 'lobby' de evangélicos e LGBTs sobre homofobia 23-05-2019 » Mais Copa do Brasil | Juventude e Grêmio não saem do zero no jogo de ida das oitavas 23-05-2019 » Na Arena da Baixada | Athletico vence River Plate por 1 a 0 no duelo de ida da Recopa 23-05-2019 » Emissora nega | De Faustão a William Bonner, Globo reduzirá salários milionários 23-05-2019 » Loteria | Mega-Sena paga R$ 11,8 mi a aposta única de Aramina (SP) 23-05-2019 » Vai para sanção presidencial | Senado aprova capital estrangeiro em aéreas e volta de bagagem gratuita 23-05-2019 » Reforma administrativa | Câmara tira Coaf de Moro, mas aprova redução de ministérios 23-05-2019 » CCJ da Câmara aprovou | Secretário da Receita diz ver 'com otimismo' avanço de reforma tributária 23-05-2019 » Setor de cosméticos | Natura confirma compra da Avon e cria 4º maior grupo de beleza do mundo 23-05-2019 » Manifestações | 'Dissidentes' do 'Fora Dilma' estão à frente de atos pró-Bolsonaro deste domingo 23-05-2019 » Decreto de armas | Portar fuzil está proibido; Exército tem 60 dias para avaliar permissão de compra 23-05-2019 » Oitavas da Copa do Brasil | Palmeiras reserva bate o Sampaio por 1 a 0 23-05-2019 » Turistas em Santiago | Seis brasileiros morrem no Chile; polícia suspeita de vazamento de gás 23-05-2019 » Painel S/A | Nestlé e Fonterra avaliam venda de joint venture 23-05-2019 » Flávio Ricco | Tadeu Schmidt entrevista irmão Oscar no SporTV 23-05-2019 » Mulherias | Nova Previdência aflige mulheres da periferia 23-05-2019 » Josias de Souza | Medo do asfalto amolece governo e centrão 23-05-2019 » Descomplique | 5 atitudes que te deixam endividado
Publicidade
corretora de seguros
INTERSORFT 100 MEGA
15 de maio de 2019

MPF pede suspensão do decreto de armas de Bolsonaro

Foto Rede Acontece

O Ministério Público Federal (MPF) anunciou, nesta quarta-feira (15), que solicitou à 17ª Vara de Justiça Federal a suspensão imediata e integral do decreto que regulamentou o porte de armas no Brasil. A ação foi ajuizada na terça-feira (14). Para o MPF, o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro em 8 de maio extrapola a sua natureza regulamentar, desrespeita as regras previstas no Estatuto do Desarmamento e “coloca em risco a segurança pública de todos os brasileiros”. A ação requer também que a União preste as informações que fundamentaram a edição do regulamento. O documento, assinado por cinco procuradores da República, elenca, pelo menos, oito quesitos problemáticos instituídos pela norma. “As regras, quando comparadas à previsão legal sobre o assunto, são conflitantes”, afirmam os procuradores. De acordo com eles, o decreto deixa brechas ou mesmo contraria diretamente o que foi orientado pela lei vigente no país. No pedido de tutela antecipada, os procuradores sustentam que o aumento da comercialização de armas em decorrência do novo decreto impactará, desde já, o número de armas em circulação no país durante décadas. Segundo o MPF, por se tratar da liberação de um bem durável, os efeitos podem ser irreversíveis: “Muitas daquelas armas vendidas no Brasil antes do Estatuto do Desarmamento, portanto, municiam os agentes do crime até hoje” . Caso a suspensão total do regulamento não seja deferida, os procuradores requerem que a medida seja aplicada a, pelo menos, dez artigos do Decreto. Nesse caso, aqueles que, para o MPF, incidem em maior risco para a ordem social e jurídica do país.


VOLTAR