'Não se ganha com o nome', diz meia mexicano sobre Brasil » Rede Acontece
Últimas
18-11-2018 » Aquecimento global | Ártico derrete 13% por década; Polo Norte pode não ter gelo no verão 18-11-2018 » Tecnologia de ponta | Navio e drones ajudaram a encontrar submarino argentino desaparecido 18-11-2018 » Maioria é de advogados | Em 6 meses, Lula recebe 572 visitas na sede da PF em Curitiba 18-11-2018 » Completa 25 anos | 'Somos vintage, nunca saímos de moda', diz grupo É o Tchan 18-11-2018 » Seleção brasileira | Indiscutível, Casemiro é 'problema' para Tite por não ter reserva 18-11-2018 » Sedã icônico | Estrela do Salão de SP, novo BMW Série 3 será vendido e feito no Brasil 18-11-2018 » Ex-SP foi assassinado | Caso Daniel e como o futebol age contra jogador 'todo-poderoso' 18-11-2018 » Ricardo Feltrin | Ruptura nem pensar: SBT fatura milhões ao ano com Claudia Leitte 18-11-2018 » Tentam manter relevância | Partidos derrotados buscam reinvenção após pleito polarizado 18-11-2018 » Contrapartida a aumento | Juízes querem que STF deixe para 2019 análise do fim do auxílio-moradia 18-11-2018 » Mais Brasileirão | Palmeiras enfrenta o Paraná para pôr mão na taça e passar rival 18-11-2018 » Bateu Vasco por 1 a 0 | Aliviado, Corinthians só pensa em 'terminar o ano com dignidade' 18-11-2018 » Localizado após 1 ano | Resgate de submarino poderia pôr em risco outras vidas, diz juíza 18-11-2018 » Programa federal | Não são só cubanos do Mais Médicos que não precisam fazer o Revalida; entenda 18-11-2018 » Vai chefiar Agricultura | Parceira da JBS, futura ministra deu incentivos fiscais à empresa em MS 18-11-2018 » Portões abrem às 12h | Unicamp tem 1ª fase hoje; veja o que levar e esperar da prova 18-11-2018 » Investimentos | Com fim da queda de preços, cenário é bom para comprar imóveis
Publicidade
28 de junho de 2018

‘Não se ganha com o nome’, diz meia mexicano sobre Brasil

Foto: Reprodução

A maioria dos jogadores da seleção mexicana tinha a resposta na ponta da língua. “Não iremos falar de qualquer time enquanto não soubermos nosso rival”. Foi o caso do goleiro Ochoa, por exemplo. Após a derrota por 3 a 0 para a Suécia na quarta-feira (27), eles passavam pela zona de entrevistas com uma expressão menos eufórica do que a vista nos dez primeiros dias de Copa.

No entanto, quando questionados sobre enfrentar o Brasil, em vez de uma seleção europeia, todos abriram um sorriso. O México foi atropelado pelos suecos, seu estilo de jogo não encaixou. Contra o Brasil, o México não precisará mudar muito suas características. São dois times que jogam e deixam jogar, pelo menos se comparados a seleções como a sueca.

Além disso, o retrospecto é equilibrado: nos últimos dez confrontos, o México venceu quatro, empatou dois e perdeu quatro – contando a final olímpica. “Eu comentei desde a primeira partida, o futebol mundial está muito equilibrado. Já não existem mais essas diferenças que havia antes, de o Brasil ser melhor que outra equipe e fazer quatro, cinco, seis gols. Hoje, o Brasil precisa trabalhar mais para ganhar, a Alemanha também, outros favoritos também”, disse o meia Miguel Layún, do Sevilla.

“Não se ganha com o nome. Hoje em dia o futebol é muito disputado e cada time tem suas características, suas condições. Quem melhor se impuser no jogo vai conseguir a vitória.” “Contra qualquer que seja o estilo, temos que ser mais inteligentes e temos que saber fazer as partidas que nós fizemos nos dois primeiros encontros [vitórias sobre Alemanha e Coreia do Sul]. O Brasil tem outras características, tem condições totalmente distintas [em relação à Suécia], mas da mesma maneira é um rival de muito perigo e seguramente é um dos candidatos ao título”, seguiu Layún.

O zagueiro Salcedo, quando questionado sobre a possibilidade de enfrentar o Brasil e Neymar, logo disse “que Deus e o destino decidam”. “Estes jogos sempre têm algo especial, como foi o contra a Alemanha. O time tem que estar à altura do momento”, falou Salcedo. “Perder hoje é um balde de água fria, mas é melhor que tenha acontecido agora. A partir de agora são jogos únicos, não há mais margem de manobra, e este aprendizado pode ser importante.”


VOLTAR